Mulher misteriosa doa ¥30 milhões para províncias atingidas pelo desastre de 2011

A mulher misteriosa foi até cada uma das províncias duramente atingidas pelo desastre de 2011 e deixou sacolas contendo altas quantias em dinheiro. Saiba mais.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

A mulher misteriosa foi até cada uma das províncias duramente atingidas pelo desastre de 2011 e deixou sacolas contendo altas quantias em dinheiro (imagem ilustrativa)

Uma mulher que aparentemente deseja manter sua identidade anônima doou 10 milhões de ienes ($8.780) em dinheiro para cada uma das 3 províncias duramente atingidas pelo terremoto e tsunami de 2011.

Publicidade

Autoridades nas províncias de Iwate, Miyagi e Fukushima disseram que receberam a visita de uma mulher, no dia 27 de junho, dizendo que queria ajudar com os esforços de reconstrução e então entregou o dinheiro em sacolas de papel e simplesmente saiu.

Em cada parada, ela disse “Eu quero que vocês usem isso (dinheiro) para atividades de reconstrução”.

Posteriormente, funcionários dos 3 governos entraram em contato entre si para discutir sobre as visitas misteriosas e concluíram que a mesma mulher fez as doações.

As visitas aos órgãos do governo

Primeiramente a mulher misteriosa visitou o escritório do governo da província de Iwate, na cidade de Morioka, logo após as 13h. Ela se aproximou de um funcionário do setor de orientações gerais dizendo “Eu quero fazer uma doação”. Então, ela foi até o departamento financeiro e entregou um tipo de sacola contendo envelopes na cor marrom.

Um funcionário tentou entregar-lhe um recibo, mas a mulher saiu dizendo que não podia perder o ônibus.

Assim que perceberam a alta quantia da doação, dois funcionários tentaram ir atrás da mulher, mas não conseguiram localizá-la. Ela parecia ter cerca de 60 anos de idade, segundo o governo de Iwate.

Por volta das 14h45, a mulher visitou o setor de bem-estar social do governo da província de Miyagi, na cidade de Sendai, e entregou uma sacola de papel contendo 10 milhões de ienes.

Um pouco mais tarde, por volta das 16h, ela visitou o setor bem-estar social do governo da província de Fukushima, na cidade de Fukushima, e entregou uma sacola que continha a mesma quantia em dinheiro.

Os governos das províncias de Miyagi e Fukushima planejam gastar o dinheiro em atividades de reconstrução. Já a província de Iwate tem a intenção de usar o dinheiro em um fundo educacional para crianças que ficaram órfãs após o terremoto e tsunami de 2011, além de outros propósitos relacionados ao desastre.

Fonte: Asahi
Imagem: Bank Image

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

“Poluição por turismo” em Quioto: residentes reclamam dos visitantes estrangeiros

Publicado em 11 de julho de 2017, em Conhecendo o Japão

Multidões sem fim e comportamento indisciplinado drenaram o senso de “omotenashi” (hospitalidade) dos residentes na cidade de Quioto. Veja mais.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Turistas na área de Kiyomizu-dera em Quioto, um dos locais mais populares na cidade (Portal Mie)

Multidões sem fim, vizinhos desconhecidos e comportamento indisciplinado drenaram o senso de “omotenashi” (hospitalidade) dos residentes na cidade de Quioto.

Publicidade

Segundo os residentes desse local tão famoso, multidões de turistas do exterior que continuam passando pela antiga capital do Japão estão desgastando a qualidade de suas vidas tradicionais.

Em 2015, um recorde de 56.84 milhões de turistas visitou Quioto e gastaram cerca de 1 trilhão de ienes, também uma alta, de acordo com o governo da cidade. Os gastos foram 30 por cento mais em comparação ao ano anterior.

O governo central está continuando sua campanha para atrair visitantes internacionais a fim de revitalizar as economias locais que sofrem com o declínio populacional.

Contudo, em Quioto, um dos destinos mais populares no Japão, alguns residentes estão implorando pelo fim dessa onda.

“Poluição por turismo”

Os residentes dizem que os números “excederam o limite” e estão descrevendo a situação na cidade como “poluição por turismo”.

Na primavera deste ano, residentes locais decidiram não iluminar as cerejeiras durante as noites no distrito de Gionshinbashi, um destino turístico popular alinhado a moradias tradicionais no estilo Quioto. O evento de iluminação vinha sendo realizado há 27 anos consecutivos.

“Muitas pessoas vieram para ver as flores de cerejeira, e estávamos preocupados sobre continuar o evento para atrair mais e mais pessoas”, disse Toshio Akiyama, líder do comitê de organização do evento de iluminação. “Acredito que nós, os residentes locais, não seríamos capazes de lidar com tantas pessoas sozinhos”.

Muitos casais também visitam a região para tirar fotos de casamento com as moradias tradicionais ao fundo antes da realização de suas cerimônias. Um residente pediu a um casal que parasse de tirar fotos em frente a sua residência e uma discussão acabou se seguindo.

Kanji Tomita, que está envolvido nas atividades de limpeza na área, disse que muitos turistas não têm respeito pela comunidade.

Mesmo com esses problemas o governo central quer aumentar o número de turistas estrangeiros

Apesar dos problemas relatados em Quioto, o governo central ainda está ansioso para aumentar o número de turistas estrangeiros em toda a nação.

Em 2003, somente 5 milhões de turistas estrangeiros visitaram o arquipélago japonês. O governo, então, iniciou a Campanha de Visita ao Japão para dobrar esse número.

O número de visitantes estrangeiros no país atingiu 20 milhões em 2016 e um recorde mensal de 2.57 milhões de turistas do exterior vieram ao Japão em abril de 2017.

Se as coisas seguirem como o governo deseja, o número de turistas estrangeiros vai atingir 40 milhões até 2020 e 60 milhões até 2030.

“O turismo vem sendo promovido de uma forma tão grande que a atmosfera tradicional da cidade vem sendo perdida. Nossa decisão (de parar de iluminar as cerejeiras) também visa confrontar o governo da cidade com uma pergunta: É realmente correto manter a atual política de turismo”, disse Akiyama, líder do comitê de organização do evento de iluminação.

Fonte: Asahi
Imagem: Arquivo Portal Mie

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância