Plano de aumento de tarifas de Trump preocupa o Japão

A Federação Japonesa de Aço e Ferro apresentou uma carta à Trump pedindo que reconsiderasse o plano de impor tarifas de 25% e 10% em aço e alumínio importados.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Donald Trump anunciou o aumento das tarifas de importação de aço e alumínio citando razões de segurança nacional (NHK/reprodução)

O governo e a indústria japoneses estão preocupados sobre os possíveis efeitos na economia doméstica por causa do aumento das tarifas de importação, o qual Donald Trump anunciou em 1º de março que seria imposto sobre aço e alumínio por razões de segurança nacional.

Publicidade

Enquanto a medida dos Estados Unidos parece ter como alvo principalmente a China, um oficial sênior do ministério japonês da economia disse que “não há garantia de que o Japão não será afetado após suas exportações de aço aos EUA terem aumentado 38,5% ano a ano em janeiro.

Além das inquietações sobre uma possível queda no envio de aço do Japão aos Estados Unidos, que atualmente contam por 5% de suas exportações totais da liga metálica, há preocupações de que as tarifas planejadas por Trump poderiam fazer com que a China envie mais aço dentro da Ásia, o principal campo de atuação para fabricantes japonesas.

“Estamos muito preocupados de que as tarifas dos EUA levarão a uma queda nos preços do aço (no mercado asiático)”, disse Kosei Shindo, presidente da Nippon Steel & Sumitomo.

A Federação Japonesa de Aço e Ferro, um grupo da indústria liderado por Shindo, apresentou uma carta à Trump na sexta-feira (2), pedindo que reconsiderasse o plano de impor tarifas de 25% e 10% sobre aço e alumínio importados.

Fonte: Jiji
Imagem: NHK

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Apple: vida útil dos produtos pode ser de 4 anos

Publicado em 5 de março de 2018, em Tecnologia

Um iPhone, iPad ou iMac podem durar, em média, 4 anos, segundo um estudo divulgado na semana passada. Veja como foi feito o cálculo.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

A vida útil de um dispositivo Apple pode ser, em média, de 4 anos (Flickr)

No Japão as operadoras de telefonia celular oferecem planos que vão dos 24 aos 48 meses para parcelamento ao fazer um contrato para adquirir um novo iPhone. O mais recente modelo, o iPhone X custa mais de 100 mil ienes. Por um iPad Pro de 10,5 polegadas o consumidor irá desembolsar a partir de 69,8 mil ienes. E por um MacBook Air lá se vão 100 mil ienes.

Publicidade

A cada 24 meses o usuário fica tentado a trocar por um novo modelo do iPhone. E aqui fica a pergunta: será mesmo necessário?

Segundo o estudo divulgado por Horace Dediu, um analista de mercado do instituto norte-americano Asymco, a vida útil desses aparelhos que a sociedade não fica sem, tem uma durabilidade média de 4 anos.

Como calculou a vida útil

Como base de cálculo usou os dados da empresa da Maçã e seus principais produtos. Os números oficiais indicam que ela tem 1,3 bilhão de dispositivos ativos ao redor do mundo.

Depois subtraiu o número de dispositivos vendidos por ela nos últimos 10 anos. O acumulado desde 2007 era de cerca de 2 bilhões de unidades. Portanto, encontrou a diferença de 700 milhões.

Para saber quanto tempo levou para que esses 700 milhões de produtos fossem aposentados, é só checar quando o total de produtos vendidos bateu 700 milhões.

A empresa da Maçã acumulou 700 milhões de produtos vendidos pela primeira vez no segundo trimestre de 2013. Portanto, 4 anos e três meses anteriores ao último trimestre de 2017. Assim, encontrou o tempo estimado da vida útil dos produtos da Apple.

É preciso ressaltar que nesse estudo se incluíram todos os iMacs, Macbooks, iPhones, iPads, Apple Watches e iPod Touches vendidos desde 2007. Não entraram outros modelos de iPod, nem acessórios como os AirPods e nem o recém-lançado HomePod.

Esse estudo pode ser uma referência para você, antes de trocar seu dispositivo por um modelo mais recente. É claro que tudo vai depender dos cuidados de como usa cada um deles.

Fonte: Asymco
Imagens: Asymco e Flickr

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância