Apple Watch Series 4: mais foco na saúde

O esperado lançamento das novidades da empresa da Maçã começou com a linha Apple Watch, com telas maiores e foco na saúde, além de mais rápidos. Veja!

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Publicidade

A esperada apresentação direto de Cupertino, na quinta-feira, 2h, horário Japão começou com Apple Watch Series 4, como o número 1 do mundo, conectando pessoas ao redor do mundo e ajudando a gerenciar a saúde.

A nova geração do relógio inteligente chamada de Series 4 apresenta displays maiores. Ganharam 32 a 35% a mais de superfície. O usuário pode customizar o mostrador, ganha melhoria na qualidade da ligação, mais velocidade com CPU de 64bits.

O novo chip trabalha com novo acelerômetro e giroscópio muito mais precisos que antes. Detectam uma queda e acionam automaticamente o socorro indicando o local.

O incrível é que consegue realizar um eletrocardiograma, direto do pulso. Todo o relatório é enviado para o app Saúde que pode gerar um arquivo em PDF com as medições do coração.

Com todas essas inovações, a bateria também foi atualizada para durar um dia todo.

As cores disponíveis são silver, space gray e gold, com mais uma gold stainless.

A pré-venda se inicia em 14 deste mês e as vendas nas lojas físicas a partir de 21. Os preços são de 45.800 ienes, com GPS, tamanho 40mm.

Os da Series 3 têm preços reduzidos a partir de 31.800 ienes. O Apple Watch OS5 estará disponível a partir de 17 de setembro.

Fotos: ao vivo

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Japoneses reclamam de ‘poluição do turismo’ enquanto número de visitantes estrangeiros dispara

Publicado em 13 de setembro de 2018, em Artigos de Turismo

Turistas barulhentos, transportes públicos lotados e falta de etiqueta são algumas das reclamações.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Kiyomizudera em Quioto repleto de turistas na época do outono (arquivo PM)

O tradicional senso de “omotenashi” do Japão – algo como cuidar incondicionalmente dos convidados – está se desgastando claramente, visto que muitos moradores da maioria das áreas consideradas destinos turísticos estão cada vez mais manifestando suas frustrações em relação a estrangeiros barulhentos e desrespeitosos, transportes públicos lotados e falta de etiqueta.

Publicidade

O problema se tornou tão ruim em algumas cidades, como Quioto e Kamakura (Kanagawa), que os residentes estão fazendo queixas às autoridades locais sobre “poluição do turismo”.

Estímulo para visitar áreas mais remotas do país

A Agência de Turismo do Japão está encorajando freneticamente os turistas a saírem da “Rota Dourada” que liga Tóquio, Quioto e Osaka e explorar mais áreas remotas do país.

A campanha parece ter tido um impacto, mas a maioria dos viajantes – principalmente os que vêm pela primeira vez – ainda quer vivenciar os arranha-céus e luzes brilhantes da capital, os deleites culturais e históricos de Quioto e a gastronomia, entretenimento e oportunidades de compras que fervilham em Osaka.

Mais de 20 milhões de turistas estrangeiros chegaram ao Japão nos primeiros oito meses deste ano e o total anual poderá ultrapassar a barreira de 30 milhões, alta de 28,7 milhões de chegadas em 2017.

Essa é uma reviravolta notável das 7,1 milhões de chegadas em 2011, ano em que o nordeste do Japão foi atingido por um terremoto de magnitude 9 e tsunami que desencadeou uma crise nuclear.

E enquanto hotéis e outros negócios que dependem de turistas receberam bem o influxo de estrangeiros, residentes locais estão menos enamorados com tantas pessoas de fora em suas cidades.

Muitas reclamações

Quioto observou um “surto” de reclamações ligadas ao aumento do número de turistas.

Os residentes locais dizem que é difícil entrar nos ônibus que passam perto de lugares famosos na cidade, enquanto a demanda por acomodações encorajou donos de residências a alugar propriedades não licenciadas.

Turistas estrangeiros também, geralmente, não conhecem os costumes locais – como separar o lixo – o que somou ao atrito com os residentes.

Autoridades locais têm consciência dos problemas

Autoridades do setor de turismo da cidade dizem que têm consciência dos problemas e estão tomando medidas para reduzir a discórdia entre moradores e visitantes.

“Sem dúvida que o aumento no número de turistas teve uma influência nas vidas diárias dos cidadãos de Quioto”, disse Shuhei Akahoshi, líder do Departamento de Convenções e Turismo da cidade.

“Mas temos várias campanhas de publicidade em curso que promovem melhores maneiras entre os turistas”.

A cidade fez uma parceria com o site TripAdvisorpara ao criar um guia de boas maneiras para turistas e está usando revistas para espalhar a mesma mensagem.

Autoridades de viagem também estão encorajando as pessoas a visitarem o Japão fora da temporada de pico ou ir a destinos famosos em horário menos populares do dia.

“Por um longo tempo, Quioto vivenciou vários problemas, visto que os nossos turistas aumentaram”, disse Akahoshi.

“Nossa meta é coexistência harmoniosa e benefício mútuo entre nossos cidadãos e nossos convidados, e através de inovação lidaremos com os vários problemas que surgem”.

“Para nós em Quioto, não pensamos nas coisas em termos de confronto. Ao invés disso, acreditamos no alcance da harmonia através de trabalho cuidadoso”, frisou.

Fonte: Telegraph
Imagem: Arquivo PM

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância