Acordo de livre comércio entre Japão e União Europeia entra em vigor

Sob o acordo entre o Japão e a UE assinado em julho e ratificado em dezembro, os consumidores terão acesso a produtos alimentícios importados mais baratos.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Produtos alimentícios importados, como queijos, ficarão mais baratos (NHK)

O acordo de parceria econômica do Japão com a UE- União Europeia entrou em vigor nesta sexta-feira (1º), criando uma área de comércio livre que cobre cerca de um terço da economia mundial.

Publicidade

O pacto eliminará tarifas sobre a maioria do comércio recíproco, o qual cobre mercados de mais de 600 milhões de pessoas, encoraja investimento de negócios e garante a proteção de direitos de propriedade intelectual, visto que o Japão e a UE esperam estabelecer uma forte corrente ao crescente protecionismo em meio a uma guerra de tarifas entre os EUA e a China.

Sob o acordo assinado em julho e ratificado em dezembro após cinco anos de negociações, os consumidores terão acesso a produtos alimentícios importados mais baratos, enquanto a eliminação de tarifas sobre produtos industriais ajudará a reduzir custos para os exportadores.

O Japão eliminará tarifas em 94% de suas importações da UE, incluindo produtos agrícolas. A UE eliminará tarifas em 99% das importações do Japão.

Preços de bebidas importadas, como vinhos, também serão reduzidos (NHK)

Se preparando para a remoção imediata de 15% das tarifas assim que o acordo entra em vigor, as redes japonesas Aeon e a Seven & I Holdings já prometeram reduzir os preços sobre vinhos importados da UE, lar para grandes produtores de vinho como a França, Itália e Espanha.

O mercado japonês de queijos também está preparado para ver um influxo de produtos mais baratos da UE, um vento contrário para produtores de queijo no país, mas uma oportunidade para melhorar a competitividade global.

A tarifa existente de 29.8% imposta pelo Japão sobre queijos duros como gouda e cheddar será reduzida para zero em estágios ao longo de 16 anos. Para queijos macios como muçarela, o país estabelecerá uma cota e a tarifa será removida completamente ao longo do mesmo período de tempo.

É provável que as montadoras japonesas, as quais exportaram mais de 640 mil veículos em 2017 para a UE, se beneficiem com o acordo, visto que a atual tarifa de importação de 10% será reduzida para zero ao longo de oito anos.

A proteção de direitos de propriedade intelectual é outro elemento principal do acordo.

O Japão e a UE vão proteger cada um os nomes de produtos associados a sua origem chamado de “indicações geográficas”, como a carne bovina de Kobe e o saquê japonês.

De acordo com uma estimativa do governo, a iniciativa do acordo proporcionará um estímulo de aproximadamente 5 trilhões de ienes à economia e aumentará o PIB real do Japão em cerca de 1%. Quando combinado com o revisado acordo da Parceria Transpacífico, estima-se um impacto econômico na casa dos 13 trilhões de ienes.

O pacto eliminará tarifas sobre a maioria do comércio recíproco (NHK)

Fonte: Kyodo, Japan Today

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Em mensagem ao Congresso, Bolsonaro anunciará reforma da Previdência

Publicado em 1 de fevereiro de 2019, em Brasil

A informação foi dada pelo porta-voz da Presidência, Rêgo Barros, na tarde de quinta-feira (31), no Hospital Albert Einstein, onde o presidente está internado após cirurgia.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Presidente Jair Bolsonaro despacha no Hospital Albert Einstein – Divulgação/Presidência da República via Agência Brasil

A mensagem do presidente Jair Bolsonaro ao Congresso Nacional anunciará as propostas de uma nova Previdência Social e de combate ao crime organizado e à corrupção, além da revisão da lei de segurança de barragens.

Publicidade

A informação foi dada pelo porta-voz da Presidência, Rêgo Barros, na tarde de quinta-feira (31), no Hospital Albert Einstein, onde o presidente está internado após cirurgia de reconstrução do trânsito intestinal na última segunda-feira (28).

As propostas constarão da mensagem que será lida no Congresso Nacional no próximo dia 7. “Proporemos uma nova Previdência, mais humana, mais justa, que não retire direitos e restabeleça o equilíbrio fiscal, que garanta que nossos filhos e netos tenham um futuro assegurado”, disse o porta-voz.

“Levaremos ao Congresso uma proposta que auxilie no combate ao crime organizado e à corrupção, atacando o fim da impunidade por meio da Lei Anticrime. Na área de infraestrutura, trabalharemos para acabar com os gargalos logísticos que tentam atrapalhar o setor produtivo do Brasil. Levaremos também ao Congresso, de forma imediata, a revisão da Lei de Segurança de Barragens”, acrescentou Rêgo Barros.

Questionado sobre a inclusão dos militares na reforma da Previdência, o porta-voz disse que não tem nenhuma proposta específica. “Naturalmente, o nosso presidente está enxergando e identificando todas as possibilidades, sejam para os funcionários militares, sejam para funcionários de outras carreiras e a sociedade de uma maneira geral”, disse.

Segundo o porta-voz, Bolsonaro está elaborando a estratégia de apresentação das propostas ao Congresso a partir de um diálogo consensual com a própria casa legislativa.

Despachos

O presidente Jair Bolsonaro já assinou alguns decretos no hospital. Na quinta-feira ele assinou o decreto de reestruturação da vice-presidência, na presença de representante da Subsecretaria de Assuntos Jurídicos da Casa Civil.

Na quarta-feira (30), de acordo com a assessoria de comunicação da Presidência, foram assinados outros decretos que trataram da estrutura regimental do Ministério da Economia, da estrutura da Casa Civil, da Secretaria-Geral e da Secretaria de Governo, e da Controladoria-Geral da União (CGU).

Via Agência Brasil

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância