JR inaugura belo prédio da estação de Onomichi, em Hiroshima

O novo prédio da estação de Onomichi levou 3 anos para ser construído sob o conceito ‘sincronicidade com a comunidade’. Saiba mais.

Deck no segundo piso com vista do Mar Interior de Seto (Watch Impress)

No domingo (10) ocorreu o corte de fitas do novo prédio da estação Onomichi, da West JR-Japan Railways, na cidade homônima (Hiroshima).

Publicidade

No primeiro piso do prédio há um local com café e aluguel de 30 bicicletas. Favorece os turistas que querem percorrer o belo trecho do Mar Interior do Seto (Setouchi, em japonês). Afinal, a estação fica em um local a poucos metros do mar.

Novo prédio da estação (Asahi)

No andar superior tem deck para observar o mar e também um hostel para receber visitantes. O acesso à área é gratuito e promete ser o novo point da cidade. Nas instalações ainda tem armários com moeda (coin locker), restaurante e loja de conveniência.

O prédio tem 2.150 metros quadrados de área e levou 3 anos para ser construído, substituindo o anterior que foi usado por 125 anos.

Há elevador, mas a escadaria é um charme de galeria, mostrando obras locais (Travel Watch)

Fontes: Mainichi, Watch Impress, Asahi e Nikkei 

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Oito anos do Grande Terremoto do Leste do Japão

Publicado em 11 de março de 2019, em Sociedade

Esta segunda-feira, 11 de março, marca 8 anos do Grande Terremoto do Leste do Japão, uma data que ninguém irá esquecer.

Imagem registrada pela equipe do Portal Mie em 2011

Hoje, segunda-feira 11 de março de 2019, o Japão marca 8 anos do grande terremoto que atingiu o Japão e subsequente acidente nuclear na planta nuclear Fukushima Daiichi.

Publicidade

O terremoto de magnitude 9 na escala Richter ocorreu ao largo da costa da região Tohoku às 14h46.

Um tsunami de mais de 10 metros de altura causado pelo forte tremor atingiu as costas de Tohoku e Kanto.

De acordo com a Agência Nacional de Polícia, desde 8 de março o número de pessoas mortas confirmadas era de 15.867 e 2.533 outras estavam desaparecidas. Pelo menos 22.131 morreram em decorrência do desastre de 2011, incluindo aquelas cujas condições saúde se deterioraram enquanto estavam em evacuação.

Imagem registrada pela equipe do Portal Mie em 2011

Muitos problemas não foram solucionados nas áreas afetadas, incluindo um declínio da população regional e idosos vivendo isolados.

Em sete municípios na província de Fukushima ainda há zonas de entrada proibida. Uma pesquisa realizada pela Agência de Reconstrução em fevereiro mostra de 51.778 pessoas de áreas afetadas ainda estão vivendo em outros lugares no país como evacuados. Esse número vem diminuindo gradualmente.

No desastre de 2011, três reatores na planta Fukushima Daiichi sofreram fusão no que é considerado um dos piores acidentes nucleares do mundo.

No mês passado, uma sonda robótica colocada dentro de um dos reatores fez contato direto com os detritos, o que deve ser uma mistura de combustível nuclear fundido e partes estruturais.

Imagem registrada pela equipe do Portal Mie em 2011

Por causa dos detritos que lembram um monte argiloso a sonda robótica teve dificuldades para se mover.

A remoção dos detritos é considerada a parte mais difícil do desmantelamento da planta.

O governo e a TEPCO – Tokyo Electric Power Company que opera a planta disseram que com base nos resultados da avaliação, eles esperam iniciar a remoção dos detritos dos reatores em 2021 após considerar até o fim de março de 2020 maneiras de realizar o trabalho.

Nesse meio tempo, a água refrigerada sendo despejada sobre os detritos nos três reatores está sendo coletada sob o solo. A água, misturada com água subterrânea que flui no complexo de encostas próximas, continua se acumulando como contaminada.

A Autoridade de Regulação Nuclear disse que liberar a água no oceano após diluí-la de forma suficiente abaixo do nível radioativo máximo permitido pelo governo será uma maneira razoável de lidar com o problema.

Contudo um plano final sobre como lidar com a água contaminada ainda será decidido por causa das objeções de pescadores locais.

Tsunami na área de Miyako (YouTube/TD Interesting Topics Tube)

Fonte: NHK

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
Empregos no Japão - HUMAN