Companhias aéreas estão suspendendo voos para a China continental

Governos em todo o mundo estão atentos por causa do novo coronavírus e já emitiram alertas de viagem. Companhias aéreas preocupadas suspendem vários voos para a China continental.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Por medo da propagação do novo coronavírus, aéreas suspendem vários voos para a China (ilustrativa/PM)

Companhias aéreas na Europa, Ásia e América do Norte estão cancelando voos de/para a China enquanto o novo coronavírus, que se originou na cidade chinesa de Wuhan, infecta milhares de pessoas na China e dezenas além de suas fronteiras.

Publicidade

Embora todas as 213 mortes em decorrência do vírus estejam limitadas à China, pelo menos 82 pessoas em 18 países diferentes testaram positivo para o novo coronavírus, o 2019-nCoV, levando governos em todo o mundo a emitirem alertas de viagem e começarem a evacuar seus cidadãos de Wuhan.

Autoridades chinesas impediram viagens de/para Wuhan e adotaram restrições de transportes similares e rigorosas em várias outras cidades.

Quais companhias aéreas suspenderam voos?

A British Airways cancelou voos de/para Pequim e Xangai até pelo menos essa sexta-feira (31) após alertas de autoridades locais para “somente viagens essenciais à China continental”. Voos de/para Hong Kong continuarão sem ser afetados, disse a aérea.

A KLM optou por suspender voos com destino a Pequim e Xangai após esse fim de semana até 9 de fevereiro. A companhia havia anunciado anteriormente que também cancelaria voos para Chengdu, Hanghzhou e Xiamen.

A American Airlines disse na quarta-feira (29) que suspenderia voos entre Los Angeles e Xangai e Pequim a partir de 9 de fevereiro até 27 de março, mas citou que voos a partir de Dallas-Forth Worth continuariam, de acordo com a Associated Press.

O Grupo Lufthansa disse que cancelaria todos os seus voos com destino à China continental até 9 de fevereiro.

A Austrian Airlines disse que suspenderá voos de/para a China até 9 de fevereiro. A companhia aérea informou na quarta-feira que voaria para destinos na China “por uma última vez hoje”.

A Air Canada suspendeu todos os voos diretos para Pequim e Xangai de quinta-feira até 29 de fevereiro após o alerta do governo canadense para evitar viagem desnecessária à China continental. “Clientes afetados serão notificados e terão opções, incluindo viagens em outras aéreas onde disponível, ou reembolso”, disse a companhia em uma declaração.

A United Airlines emitiu dispensas de viagem a clientes que tinham a intenção de ir para Wuhan e outros destinos na China. A aérea disse que serviços de/para a China seriam afetados entre 1º e 8 de fevereiro por causa de um “significante declínio na demanda”, divulgou o Washington Post. A interrupção afetaria 24 viagens de ida e volta entre EUA e Pequim, Hong Kong e Xangai.

A Delta está emitindo dispensas de viagem em voos de/para e por Pequim e Xangai de 24 de janeiro a 30 de abril.

A Cathay Pacific disse na terça-feira (28) que “reduzirá progressivamente a capacidade” de seus voos de/para a China continental “em 50% ou mais” a partir de 30 de janeiro até o fim de março.

A Air India cancelou voos para Xangai a partir de 31 de janeiro até 14 de fevereiro e disse que um máximo de sete voos entre Nova Déli e Hong Kong só ocorrerão em três dias dentro do mesmo período de tempo.

A Finnair suspendeu voos de/para Nanjing e Pequim. “Devido à recente suspensão de todos os grupos de viagem da China, a Finnair cancelará seus três voos semanais entre Helsinque e o Aeroporto Internacional Beijing Daxing entre 5 de fevereiro e 29 de março, e seus dois voos semanais entre Helsinque e Nanjing entre 8 de fevereiro e 29 de março”, disse a aérea em uma declaração, acrescentando que ofereceria a escolha de uma mudança na data da viagem ou destino ou reembolso.

A LCC sul-coreana Seoul Air também interrompeu voos para a China e a indonésia Lion Air disse que fará o mesmo, de acordo com a Associated Press. A Lion Air disse que cancelou mais de 50 voos para a China até fevereiro.

A Associated Press também divulga que aéreas de Hong Kong estão reduzindo o número de voos para a China continental em cerca da metade, a Air Seoul está suspendendo voos para destinos na China continental e a Jetstar Asia sediada em Singapura está reduzindo voos de/para a China.

Aéreas japonesas consideram interrupção de voos para a China

Companhias aéreas japonesas estão observando um declínio no número de passageiros que vão e vêm da China desde o surto do coronavírus. Elas estão considerando suspender alguns voos tanto pelos negócios como por razões de segurança da saúde.

A All Nippon Airways – ANA opera 20 voos de ida e volta por dia entre Japão e China. Até agora, somente o serviço para Wuhan foi suspenso. Oficiais dizem que ficarão de olho na situação.

A Japan Airlines – JAL diz que continuará operando voos para a China, mas que isso poderia mudar a qualquer momento.

Fontes: Time, NHK World

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Quatro pontos a saber sobre novo coronavírus e não entrar em pânico

Publicado em 31 de janeiro de 2020, em Sociedade

O número de pessoas infectadas com o novo coronavírus aumenta diariamente. Isso é fato. Mas não é motivo para pânico se reside no Japão. Veja os pontos importantes.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Equipe médica em Wuhan, na China (ANN)

O novo tipo de coronavírus vem infectando cada vez mais pessoas, especialmente na China, em Wuhan (Hubei), onde começou. 

Publicidade

O povo japonês também está preocupado. Isso é mostrado pelos números de telefonemas que as instituições médicas recebem das pessoas querendo elucidar sobre esse novo vírus. 

Conhecer as doenças infecciosas é muito importante para abrandar o medo. A NHK preparou um material sobre o assunto e divulgou na quinta-feira (30). 

Embora a Organização Mundial da Saúde tenha declarado como uma emergência global, na quinta-feira, com a grave situação na China, não precisa entrar em pânico. Claro que há outros países com pacientes, como Japão, Estados Unidos, Coreia do Sul e outros, mas em muito menor escala. 

Então, serão esclarecidos 4 pontos, através das perguntas recorrentes, respondendo se são mito ou fato. 

1  – “Tem aumento de pessoas infectadas e mortes?”

O número de pacientes e pessoas infectadas está aumentando rapidamente, especialmente na China. São quase 10 mil infectados no mundo, sendo que 9.700 são na China. O número de mortes é grave, mas não é tanto quanto em 2002-2003 quando da SARS-síndrome respiratória aguda grave.

Segundo a OMS e outras fontes, muitos dos pacientes que morreram tinham uma condição preexistente que reduzia sua imunidade, como pressão alta, diabetes e doenças cardíacas e vasculares

Portanto, isso é fato, mas não alarmante para o Japão. 

2 – “A infecção é apenas por contato muito próximo?”

A infectividade é medida pela quantidade de pacientes que podem espalhar a infecção. No caso desse novo coronavírus, a OMS-Organização Mundial da Saúde informou que varia de 1,4 a 2,5. 

Basicamente, diz-se que o contágio é através de gotículas da tosse e dos espirros. Isso se dá quando o contato é próximo, por isso, é fato. 

3 – “O contágio pode ocorrer durante o período de incubação?”

Há relatos da China de que a infecção pode ocorrer durante o período de incubação, quando os sintomas não estão presentes. Portanto, é fato, e existe a preocupação de que ela possa “espalhar” sem perceber.

4 – “Não tem medicamento ou vacina?”

Mais um fato. Esse coronavírus é um novo tipo de vírus que nunca havia sido encontrado antes, por isso ainda não tem vacina. Tampouco medicamento específico. 

Vendo por outros ângulos

Olhando para os 4 pontos acima muitas pessoas devem se sentir preocupadas. No entanto há outros aspectos importantes a serem considerados.

1 – As infecções fora da China ainda são baixas?

Atualmente, o número de pessoas infectadas fora da China é de cerca de 100 em todo o mundo, uma ordem de magnitude muito inferior ao da China. 

Só para ter uma ideia, a influenza que prevalece todos os anos, especialmente no inverno, infecta mais de 2 milhões de pessoas no Japão em uma semana, no período de pico.

2 – A gravidade é de 20%?

Sim, fato. Segundo a OMS, apenas 20% das pessoas têm o quadro agravado após a infecção. A grande maioria das pessoas apresenta sintomas leves, são tratadas e ficam bem. Mesmo contagiadas, nem todas apresentam quadro de pneumonia. E há que se levar em conta a condição preexistente como outras doenças citadas acima, como hipertensão, diabetes e outras.

3 – Recuperação pode ser com tratamento? E o desenvolvimento da vacina?

Embora não exista medicamento específico o tratamento tem sido eficiente, como uso de soro e máscara de oxigênio. Os medicamentos são importantes, mas as pessoas se recuperam das doenças infecciosas com o poder de seu sistema imunológico. Por isso, a importância de cuidar dele.

Vacinas estão sendo pesquisadas e desenvolvidas. É uma questão de tempo para isso.

4 – Pode ser evitado com cuidados pessoais?

Sim, a prevenção é a forma mais adequada. Por isso, se ainda não leu a matéria detalhada sobre o assunto, toque aqui para ver

Sem pânico

Na situação atual, é inevitável ver ou ouvir informações desconfortáveis. Embora exista o imprevisto, como a possibilidade de o novo coronavírus sofrer mutações e aumentar a infecciosidade e a patogenicidade, é importante acompanhar as informações com precaução, ficando longe das fake news ou notícias sem fundamento. Assim, ao invés do medo que causa pânico terá um mais saudável, como a prudência

Caso queira saber mais pode ligar para o call center que o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar instalou: 03-3595-2285. O horário de atendimento é das 9h às 21h, em japonês. 

Fonte: NHK

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância