Coronavírus: hotel usado para quarentena desaba na China

O hotel desabou por volta das 19h30 de sábado (7) deixando 70 pessoas presas. Trinta e quatro foram resgatadas nas horas seguintes.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Cerca de 70 pessoas ficaram presas no hotel (Twitter/Global Times)

Um hotel de 5 andares usado para quarentena de coronavírus desabou na cidade portuária de Quanzhou, no sudeste do país, no sábado (7), deixando cerca de 70 pessoas presas, divulgou a mídia estatal.

Publicidade

Um vídeo postado pelo Beijing News mostrou equipes de resgate subindo nos escombros do Hotel Quanzhou Xinjia e carregando pessoas até as ambulâncias.

O hotel desabou por volta das 19h30, hora local, e 34 pessoas foram resgatadas nas horas seguintes, disse o município de Quanzhou em seu site.

Não ficou claro por que o hotel o desabou ou se houve alguma vítima fatal.

“Eu estava em um posto de gasolina e ouvi um barulho alto. Olhei e todo o prédio havia desabado. Pó em todos os lugares e fragmentos de vidro lançados em volta”, disse uma testemunha em um vídeo postado no app de streaming Miaopai.

“Fiquei tão assustada que minhas mãos e pernas estavam tremendo”.

Uma mulher identificada apenas pelo seu sobrenome, Chen, disse ao Beijing News que seus parentes, incluindo sua irmã, estavam sob quarentena no hotel como recomendado por regulamentos locais após retornarem da província de Hubei, onde o coronavírus surgiu.

Ela disse que eles sairiam do hotel logo, após completar 14 dias de isolamento.

“Não consigo entrar em contato com eles, eles não estão atendendo os telefones”, disse ela.

“Eu também estou em quarentena (em um outro hotel) e estou muito preocupada, não sei o que fazer. Eles estavam saudáveis, mediam suas temperaturas todos os dias, e testes mostraram que tudo estava normal”.

Quanzhou é uma cidade portuária no Estreito de Taiwan na província de Fujian com uma população de mais de 8 milhões.

O People’s Daily disse que o hotel foi inaugurado em junho de 2018 e tinha 80 quartos.

O vídeo publicado pelo Beijing News teve mais de 2 milhões de visualizações no Weibo no sábado e o desabamento do hotel foi top trending no site.

Alguns usuários exigiram uma investigação sobre como o hotel poderia ter desabado.

O governo provincial de Fujian disse que desde a sexta-feira (6), a província tinha 296 casos de coronavírus e 10.819 pessoas haviam sido colocadas sob observação após serem classificadas como contatos próximos suspeitos.

6 mortos no desabamento do hotel

(atualização às 18h30 de domingo, 8 de março de 2020)

Quarenta e três pessoas foram retiradas dos escombros até a manhã de domingo (8), mas seis delas tiveram as mortes confirmadas posteriormente.

A agência estatal chinesa Xinhua diz que 71 pessoas, incluindo aquelas que haviam viajado da província de Hubei e trabalhadores médicos, estavam presas no prédio na cidade de Quanzhou.

Imagens do local mostram o hotel inteiro derrubado e equipes de resgate buscando por sobreviventes nos escombros.

O hotel abriu há 2 anos após o prédio ter passado por renovações.

O trabalho de renovação envolveu a construção de mais paredes para separar quartos.

O andar térreo que abrigava um supermercado passava por renovações antes do feriado de Ano Novo Lunar deste ano, e o hotel estaria passando por outra reforma até ele ser designado como local para quarentena.

A causa do desabamento é desconhecida.

A polícia deteve o proprietário de 65 anos do prédio para questionamento.

Fonte: CNBC, NHK

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Coronavírus: cartas com mensagens de ódio enviadas a restaurantes na Chinatown em Yokohama

Publicado em 7 de março de 2020, em Sociedade

“Os chineses são lixo! Saiam do Japão agora!”, lia uma das cartas, enviada a um consagrado restaurante cantonês na Chinatown em Yokohama.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Área da Chinatown em Yokohama, província de Kanagawa (PM)

Vários restaurantes na Chinatown de Yokohama (Kanagawa) receberam cartas contendo mensagens de ódio contra chineses em meio aos contínuos temores do coronavírus no Japão.

Publicidade

“Os chineses são lixo! Bactéria! Terríveis! Incômodos! Saiam do Japão agora!” lia uma das cartas, enviada a um consagrado restaurante cantonês no distrito de Naka em 3 de março. Cartas com conteúdo similar também foram recebidas por alguns outros restaurantes na área, de acordo com a cidade e outras fontes.

“Elas são discurso de ódio. Isso me entristece muito quando penso nas pessoas que trabalham no restaurante”, disse a prefeita de Yokohama, Fumiko Hayashi, em uma coletiva de imprensa em 5 de março. “Responderemos ao assunto em conjunto com organizações relacionadas”, disse ela.

A Associação de Desenvolvimento da Chinatown de Yokohama, a qual muitos restaurantes e outros estabelecimentos na área pertencem, consultou a Polícia da Província de Kanagawa em relação aos ataques por escrito. Oficiais do departamento de direitos humanos do Governo Municipal de Yokohama também visitaram a associação em 5 de março para pedir detalhes dos incidentes.

O governo da cidade postou mensagens em seu site pedindo às pessoas que não deixem desinformações e percepções erradas as levarem a cometerem violações de direitos humanos.

“As pessoas na Chinatown, que deram suporte ao desenvolvimento desta cidade por muitos anos, vêm sofrendo em relação a assuntos relacionados ao novo coronavírus. Estou totalmente irritada pelo fato de que essas cartas tenham sido enviadas a elas”, disse Hayashi aos repórteres.

Uma carta enviada a um restaurante consagrado na Chinatown de Yokohama mostra ataques discriminatórios contra chineses, nesta foto tirada em Kaiinkaku no distrito de Naka em 4 de março de 2020 (Mainichi)

Fonte: Mainichi

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância