Ministério compra máscaras para distribuir em lares de Hokkaido

Através de grupos da indústria, 4 milhões de máscaras serão preparadas. Residências poderão receber até 40 unidades cada.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Hokkaido é a província mais afetada pelo coronavírus no Japão (ilustrativa/PM)

Em 3 de março, o governo fez uso de uma lei de 1973 pela primeira vez para ordenar a fabricantes e importadores que vendam suas máscaras cirúrgicas ao ministério da saúde para distribuição em Hokkaido, província mais afetada pelo coronavírus.

Publicidade

A ordem é baseada no Artigo 22 da lei sobre medidas de emergência para estabilizar as condições de vida do público. A Agência de Assuntos do Consumidor disse que essa é a primeira vez que a lei foi invocada desde seu decreto há cerca de meio século.

O ministério da saúde primeiro distribuirá as máscaras em Naka-Furano, uma vila com alta porcentagem de infecções, e na cidade de Kitami, que é considerada um centro potencial para a propagação do novo coronavírus.

Através de grupos da indústria, 4 milhões de máscaras serão preparadas, permitindo às famílias nos dois municípios receberem até 40 unidades cada.

Funcionários do Japan Post Group entregarão as máscaras em cada residência com início em 6 de março.

O governo decidiu em 3 de março em uma reunião do Gabinete usar 2.285 bilhões de ienes de um fundo de reserva do orçamento deste ano fiscal para cobrir os custos de distribuição.

O total de infectados em Hokkaido é de 79.

Fonte: Asahi

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Subsídios do governo para empresas que concederam folga remunerada e trabalho remoto

Publicado em 4 de março de 2020, em Política

Além desses, veja outras medidas de apoio, incluindo pagamento de babá e linhas crédito, em consequência da prevenção à disseminação do Covid-19.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Primeiro-ministro Shinzo Abe (Tokyo Shimbun)

Com a disseminação do novo coronavírus, o governo lançou sucessivamente medidas de apoio, como compensação para os pais que tiram licença temporária para cuidar dos filhos em idade escolar ou para aqueles que foram afastados do trabalho porque a empresa está com desempenho comercial muito fraco.

Publicidade

No entanto, embora cada um dos ministérios tenha feito seus anúncios sobre esses subsídios, há uma dificuldade para compreendê-los e como proceder. 

8.330 ienes por dia

O subsídio diário, no valor máximo de 8.330 ienes por trabalhador, é destinado às empresas que concederam folga remunerada aos trabalhadores.

Por conta da decisão do Primeiro-Ministro sobre o fechamento temporário das escolas para evitar o contágio pelo coronavírus muitos dos pais trabalhadores tiveram que pedir licença. O motivo foi para ficar com os filhos, muitas vezes, crianças pequenas. Para essas empresas que permitiram a licença aplica-se esse subsídio de mesmo valor do subsídio ao desemprego.

Vale lembrar que não importa o tamanho da empresa – desde a pequena às grandes – todos esses funcionários que receberam da empresa, regulares ou não, incluindo arubaitos e haken, são alvo. 

Ficam de fora os trabalhadores prestadores de serviço autônomos e os freelancers. Ou seja, aqueles que não possuem vínculo empregatício com as empresas.

500 bilhões de ienes

O secretário-geral Yoshihide Suga disse em uma coletiva de imprensa na terça-feira (3) que “criaremos uma seção de consulta para as empresas e tomaremos medidas para empréstimo de emergência e um quadro de garantia de 500 bilhões de ienes pela Japan Finance Corporation”.

Ele informou que não se trata de subsídio e sim de uma linha de crédito para as empresas que enfrentam dificuldades financeiras por causa do novo coronavírus. 

Subsídio para ajuste do emprego

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar também acrescentou o subsídio para ajuste de emprego (雇用調整助成金) para aquelas empresas afetadas com a disseminação do novo coronavírus, fazendo corte de pessoal por conta do enfraquecimento comercial. 

Trabalho remoto

Para as PME-empresas de pequeno e médio porte que pediram aos funcionários para realizarem o trabalho em casa os Ministérios da Saúde, Trabalho e Bem-Estar, bem como da Economia, Comércio e Indústria, implementaram um programa de suplementação. Ajudará com a quantia máxima de 1 milhão de ienes na compra dos equipamentos para permitir esse tipo de trabalho, ou até a metade do valor, desde que não ultrapasse o limite.

O METI subsidiará até 450 milhões de ienes.

Custo da babá em março

O Gabinete elevou o teto para pagamento da babá contratada pela empresa para que seus funcionários possam levar seus filhos pequenos para o trabalho. Com o fechamento temporário das escolas aumentou esse subsídio de 52.800 para 264 mil ienes por família, apenas em março.  

Safety Net

O METI-Ministério da Economia, Comércio e Indústria também reforçou seu apoio financeiro a PMEs das províncias afetadas por terremotos e tufões. Foi estabelecido o sistema de Safety Net, dobrando o limite de empréstimos das instituições financeiras.

Fontes: Tokyo Shimbun e Huffington Post

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância