OMS: coronavírus pode não desaparecer no verão

O diretor executivo da OMS alertou que não há evidência para sugerir que o surto pode diminuir no verão, como a influenza.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Número de infectados no mundo excedem 100 mil (ilustrativa/PM)

Um oficial junto à Organização Mundial da Saúde – OMS diz que todos os países devem tornar suas prioridades o impedimento da propagação do novo coronavírus, Covid-19.

Publicidade

Ele também alertou que não há evidência para sugerir que o surto pode diminuir no verão, tal como a influenza.

Michael Ryan, diretor executivo do Programa de Emergências de Saúde da OMS, falou com repórteres em Genebra, na Suíça, na sexta-feira (6).

Ele também disse que a atividade e comportamento do coronavírus em diferentes condições climáticas são desconhecidos. Acrescentou que é uma “falsa esperança” que o Covid-19 vai desaparecer no verão.

O oficial pediu a todos os países que se concentrem no que podem fazer, e não esperem o surto terminar de uma forma natural.

A coletiva de imprensa ocorre enquanto o número de infecções excede a marca de 100 mil.

O diretor-geral da OMS Tedros Adhanom Ghebreyesus manifestou profunda preocupação com o crescente número de novos casos em países de baixa renda e sistemas médicos mais debilitados.

Michael Ryan, diretor executivo (à esq.), Tedros Adhanom Ghebreyesus , diretor-geral (centro) e Maria Van Kerkhove, líder técnica (à dir.) – NHK

Ele enfatizou a necessidade de reduzir a velocidade da epidemia, permitir a hospitais e governos que se preparem e salvem vidas, assim como desenvolver vacinas e tratamentos.

Ryan também falou sobre as medidas tomadas pelo Japão e Coreia do Sul para limitar a entrada de pessoas de cada país. Ele descreveu a situação como “disputa política” e pediu aos países que a colocassem de lado, porque “esses tipos de restrições não estão ajudando”.

Fonte: NHK

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

N-Box continua sendo o carro mais vendido no Japão

Publicado em 6 de março de 2020, em Sociedade

Os veículos kei dominaram os seis primeiros lugares nos rankings, com o N-Box da Honda sendo o mais vendido.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

O N-Box foi o carro mais vendido no Japão pelo 3º mês consecutivo (Honda)

O veículo leve (kei jidosha) da Honda Motor foi o carro mais vendido no Japão pelo terceiro mês consecutivo em fevereiro, embora suas vendas tenham caído em comparação ao ano anterior, mostraram dados da indústria na quinta-feira (5).

Publicidade

Os veículos kei dominaram os seis primeiros lugares nos rankings, com todos eles desfrutando de vendas de mais de 10 mil unidades.

As vendas no N-Box diminuíram 6 por cento, para 19.177 unidades.

Em segundo ficou o Dayz da Nissan, com vendas de 15.495 unidades, seguido pelo Tanto da Daihatsu, com 14.496 carros.

A N-WGN da Honda subiu para o sexto lugar, visto que suas vendas mais que dobraram para 11.121 unidades após uma interrupção na produção devido a peças com defeito.

Posição Carro Unidades vendidas
1 N-Box (Honda) 19.177
2 Dayz (Nissan) 15.495
3 Tanto (Daihatsu) 14.496
4 Spacia (Suzuki) 13.495
5 Move (Daihatsu) 11.570
6 N-WGN (Honda) 11.121
7 Raize (Toyota) 9.979
8 Note (Nissan) 9.913
9 Corolla (Toyota) 9.898
10 Serena (Nissan) 8.647
Fonte: Jiji

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância