Total de 1.056 infectados pelo novo coronavírus, subindo para 360 no Japão

Foi feita correção no total dos infectados no navio enquanto no país o número sobe, passando a 360 até a manhã de sexta-feira.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Houve correção no número de pessoas infectadas do navio (PM)

Na quinta-feira (5) o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar corrigiu o número de passageiros e tripulantes com infecção do novo coronavírus para 696, do navio Diamond Princess. 

Publicidade

O motivo dessa correção foi a constatação de erro na contagem, com nomes em duplicidade. São 552 passageiros e 144 tripulantes, sendo que 410 deles não apresentaram sintomas.

Aumento de pacientes  

Dentro do país houve aumento de pessoas com resultados positivos dos exames do novo coronavírus. Há uma grande preocupação e consequente ação para conter os focos, especialmente em Hokkaido e Aichi. Nessa última foi enviada uma equipe de especialistas para analisar e tentar frear o contágio pela aglomeração de pessoas em Nagoia. 

Em Shiga foi constatado o primeiro caso e houve aumento em Hokkaido, Quioto, Niigata, Yamaguchi, Kanagawa, Hyogo, Tóquio, Saitama, Osaka, Wakayama, Aichi e Tochigi. Um dos casos de Aichi é de um homem residente em Mie que retornou de viagem de trabalho, via Centrair, depois de visitar 3 países da Ásia.

Mortes

Sem aumento o total continua 12, sendo 6 do navio e 6 dentro do país.

Alta hospitalar

Até a manhã de sexta-feira o total de pacientes que apresentaram melhoras e tiveram alta hospitalar são 248, incluindo os do navio e também do país.

Quadro do Covid-19 por província

Região Província N.º Infectados Mortes
Norte/Nordeste
Hokkaido 83 3
Miyagi 1
Kanto
Tochigi 2
Saitama 3
Chiba 15
Tóquio 52 1
Kanagawa 34 1
Hokuriku
Niigata 6
Ishikawa 6
Koshin Nagano 2
Tokai
Shizuoka 1
Aichi 57
Gifu 2
Mie 1
Kinki
Shiga 1
Quioto 6
Osaka 18
Hyogo 4
Nara 1
Wakayama 14 1
Chugoku Yamaguchi 3
Shikoku
Tokushima 1
Ehime 2
Kochi 7
Kyushu/Sul
Fukuoka 3
Kumamoto 6
Oita 1
Miyazaki 1
Okinawa 3
Voos fretados da China 14
Funcionários do governo 10
TOTAL DENTRO JAPÃO 360 6
Cruzeiro Diamond Princess 696 6
TOTAL NO JAPÃO 1.056 12
Fontes: NNN, NHK e News Digest

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Amazon está removendo de seu site máscaras e lenços de papel com preços exorbitantes

Publicado em 6 de março de 2020, em Sociedade

A Amazon alerta vendedores para não usarem a propagação do coronavírus para manipular preços.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Máscaras e app da Amazon no smartphone (ilustrativa/PM)

A Amazon e a Mercari, essa segunda uma varejista online japonesa, estão removendo produtos com preços exorbitantes, como lenços de papel e máscaras cirúrgicas, de suas plataformas para evitar que vendedores se aproveitem dos temores dos consumidores causados pelo coronavírus.

Publicidade

“Estamos desapontados que pessoas de má índole estão tentando aumentar os preços artificialmente de produtos de necessidade básica durante uma crise de saúde global e, em linha com nossa política de longa data, bloqueamos ou removemos recentemente dezenas de milhares de ofertas”, disse a Amazon Japan na quarta-feira (4).

A Amazon Japan disse que estava monitorando a situação, removendo tais produtos – em linha com medidas similares feitas pelas sedes dos EUA – e suspendendo vendedores.

Ela disse que tais vendedores estavam violando as regras de preços e alertou que suspenderia aqueles que manipulam preços ao comprar em grandes quantidades e então revender a altos preços.

Com a propagação do coronavírus, máscaras, antissépticos para as mãos e lenços antibactericidas estão ficando escassos nos EUA, Japão e em outros lugares. A mídia dos EUA havia reportado casos de máscaras sendo vendidas a preços cinco vezes acima do normal.

Um porta-voz da Amazon Japan disse, “continuamos a monitorar ativamente nossa loja e a remover ofertas que violam nossas políticas”.

A Amazon proíbe vendedores de aumentar os preços em um curto período de tempo e a cobrar taxas de envio excessivas. A empresa disse que tem um sistema de monitoramento que faz cumprir essas regras, e quando uma violação é descoberta, o produto é removido e os direitos de venda suspensos.

A Mercari, um dos principais mercados online do Japão para produtos de segunda mão, começou a remover produtos com preços excessivos na terça-feira (3).

Um porta-voz disse que a Mercari estava usando inteligência artificial e pessoas para monitorar o site em relação à manipulação de preços.

A companhia disse que também suspenderia contas que vendem em grandes quantidades e alertou vendedores que violações repetidas poderiam resultar em restrições de vendas.

Fonte: Asia Nikkei

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância