Covid-19 leva à falência mais de 200 companhias no Japão

Os que mais sofreram com a crise do coronavírus foram redes de hotéis, restaurantes e de vestuário. Esses três tipos de negócios formam 40% das falências.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

(Imagem ilustrativa/PM)

Mais de 200 companhias declararam falência em relação à crise do coronavírus no Japão, levando a milhares de perdas de empregos, de acordo com a contagem mais recente de uma agência de informação de crédito.

Publicidade

No início do desastre econômico causado pela pandemia de Covid-19, falência de hotéis se destacaram como uma tendência antecipada por causa da queda acentuada no número de turistas estrangeiros.

Mas com o prolongamento do estado de emergência, mais e mais companhias no setor de serviços que lidam com consumidores domésticos foram afetadas e suas dívidas se acumularam com as pessoas ficando em casa.

De acordo com um cálculo de 3 de junho da companhia de informação de crédito Tokyo Shoko Research, houve 210 casos de falência ligados ao coronavírus. Isso incluiu companhias ainda se preparando para declarar falência. As empresas falidas tinham mais de 10 milhões de ienes cada em débitos.

Pequenas empresas com menos de 10 funcionários formaram cerca da metade dos casos de falência.

Pelo menos 7,7 mil funcionários dessas empresas perderam seus empregos, mas conta-se somente os que trabalham a tempo integral. Se somados os part-times e outros tipos de trabalhadores, o número de funcionários que perderam seus empregos poderia ser maior.

Dividindo os casos por tipo, 34 eram redes de hotéis, 34 restaurantes e 24 empresas de vestuário faliram. Esses três tipos de negócios formaram cerca de 40% das falências.

Desde maio, quando o estado de emergência foi prolongado, muitos outros tipos de negócios faliram. Isso inclui uma empresa de ônibus com rotas regulares, uma fazenda e uma companhia que despacha acompanhantes.

“Até maio, companhias não podiam prever quantas pessoas teriam de volta suas vidas normais após a o estado de emergência ser retirado, então algumas delas possivelmente adiaram suas decisões de declarar falência até uma data posterior”, disse Nobuo Tomoda, diretor da Tokyo Shoko Research.

Fonte: Asahi

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Grupo de vacinação levanta US$ 8,8 bilhões para imunização em países pobres

Publicado em 5 de junho de 2020, em Notícias do Mundo

As vacinas ajudariam a imunizar mais 300 milhões de crianças nos países mais pobres contra doenças como sarampo, poliomielite e difteria.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

(Imagem ilustrativa/PM)

A aliança de vacinas GAVI disse na quinta-feira (4) que havia levantado US$8,8 bilhões de doadores internacionais envolvendo governos, companhias e fundações filantrópicas para financiar seus programas de imunização até o ano 2025.

Publicidade

Em uma cúpula para fundos em Londres, a GAVI disse que os valores haviam excedido sua meta de US$7,4 bilhões, e “ajudariam a imunizar mais 300 milhões de crianças nos países mais pobres contra doenças como sarampo, poliomielite e difteria”.

A aliança de vacinas também disse que havia levantado US$567 milhões, rumo a uma meta de US$2 bilhões, de doadores internacionais para um Comprometimento de Mercado Avançado a fim de comprar futuras vacinas contra Covid-19 para países pobres.

O negócio ajudaria a garantir doses de vacinas contra Covid-19 – quando elas forem desenvolvidas – para países pobres a fim de imunizar profissionais da saúde e aqueles sob alto risco, disse, assim como criar “doses de segurança” para uso quando necessário.

A GAVI, a Organização Mundial da Saúde e a UNICEF alertaram que 80 milhões de crianças abaixo de 1 ano estão sob risco de doença devido a interrupções de programas vitais de imunização por causa da pandemia de Covid-19.

O Reino Unido, que sediou a cúpula, estava entre os maiores doadores para o núcleo de fundos de US$8 bilhões da GAVI, prometendo o equivalente a US$416 milhões por ano ao longo dos próximos 5 anos.

Outros grandes doadores incluíram a Fundação Bill & Melinda Gates, que doou US$1,6 bilhão para o período até 2025 e os governos da Noruega, Alemanha e Estados Unidos.

A doação do Japão será de cerca de US$300 milhões.

A GAVI é uma parceria público-privada apoiada pela Fundação Bill & Melinda Gates, a OMS, Banco Mundial, UNICEF e outros, a qual organiza compras em volume para reduzir os custos de vacinas para países pobres.

Fonte: Agência Reuters

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância