Setor de turismo do Japão prevê 1 a 2 anos para recuperação

Hotéis, serviços de transporte e varejistas registram queda acentuada de clientes devido ao coronavírus.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Hóspedes em saguão de hotel (ilustrativa/PM)

O setor de turismo do Japão afetado pela pandemia de coronavírus prevê que uma recuperação leve entre 1 a 2 anos após registrar uma série de perdas de clientes, mostra uma pesquisa da Nikkei.

Publicidade

Cerca de 60% de negócios relacionados ao turismo no Japão estão vivenciando uma queda de mais de 80% nos números de clientes em meio ao coronavírus, de acordo com os resultados da pesquisa conduzida no fim de maio.

A Nikkei obteve respostas de 103 companhias relacionadas ao turismo incluindo hotéis, serviços de transporte e outras instalações.

Ela descobriu que mais da metade desses negócios estão vivenciando uma queda acentuada no número de turistas, com uma expectativa de que levará de 1 a 2 anos até a demanda se recuperar.

A pandemia em curso afetou o movimento das pessoas nacionalmente, mas restrições sobre a entrada de cidadãos estrangeiros também têm levado a uma queda acentuada no número de turistas do exterior, prejudicando negócios relacionados.

Quando perguntadas sobre o número de clientes, 33% dos negócios disseram que tiveram uma diminuição de 90% comparada ao mesmo período de um ano atrás, enquanto 16% disseram que vivenciaram uma queda de 80%. Onze por cento dos negócios responderam que o número de visitantes foi zero.

A pesquisa também mostrou que alguns negócios foram forçados a fechar por um período mais longo, enquanto o coronavírus impede viagens e consumo. Mesmo hotéis que operam em locais turísticos estão vendo uma queda de 80 a 90 por cento no número de clientes.

Muitos negócios manifestaram uma perspectiva cautelosa de futuro para quando a demanda começará a entrar a no ritmo.

Quando perguntados sobre quando eles acreditam que a demanda turística vai se recuperar aos níveis pré-coronavírus, somente 3% dos negócios responderam “seis meses depois”. O número foi 18% tanto para “1 ano depois” e “1 ano e meio depois”, enquanto 15% dos negócios responderam “2 anos depois”. Um total de 34% disse que estavam inconclusivos.

Fonte: Asia Nikkei

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

‘Incertezas’ rodeiam a realização das Olimpíadas em 2021, diz governadora de Tóquio

Publicado em 8 de junho de 2020, em Notícias do Mundo

As Olimpíadas aconteceriam neste ano, mas foram transferidas para 24 de julho de 2021 em meio ao surto de coronavírus.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Estrutura dos Anéis Olimpícos em Tóquio (PM)

O destino das Olimpíadas no próximo ano depende da administração do Japão mediante o coronavírus, de acordo com a governadora de Tóquio.

Publicidade

Yuriko Koike disse que os Jogos poderiam significar uma “vitória” sobre a epidemia, acrescentando que mais trabalho ainda deve ser feito para melhorar o tratamento e testagem, mas admitiu que organizadores estavam confrontando várias incertezas.

As Olimpíadas estavam originalmente programadas para começar em julho, mas a data foi transferida para 24 de julho do ano que vem em meio ao surto de coronavírus.

“As Olimpíadas de Tóquio 2020 são um evento importante que todos vêm aguardando”, disse Koike ao Will Ripley da CNN.

“O adiamento custa muito e, mais do que tudo, não sabemos como estará a situação do coronavírus em julho do próximo ano. Temos algumas incertezas aqui”.

“Custa muito para começar, precisamos da compreensão da população de Tóquio para isso. Não devemos gastar muito. Temos que tornar os Jogos seguros para atletas e espectadores”.

Organizadores disseram em dezembro que o custo de sediar as Olimpíadas foi de cerca de 1,35 trilhão de ienes, enquanto patrocinadores, seguradoras e emissoras também dedicaram bilhões para os Jogos.

“Meta clara para vencer”

Houve 17.039 casos confirmados de coronavírus no Japão e 917 mortes, de acordo com o cálculo mais recente da Universidade Johns Hopkins.

Desde o anúncio do adiamento das Olimpíadas, oficiais têm dito que não há planos para adiá-los novamente.

“Temos que identificar as especificidades do vírus, desenvolver medicamentos e melhorar as instalações de testes”, disse Koike.

“Mas não podemos permitir que a batalha contra o coronavírus dure por 10 ou 20 anos. A comunidade global deve ter uma meta clara para vencer o vírus e competir por soluções ao realizar uma sociedade segura e compartilhar exemplos de sucesso (da batalha do vírus).

“Desejo o sucesso das Olimpíadas de Tóquio como (um sinal da) vitória da humanidade sobre o coronavírus”.

Apesar de sua densidade populacional, Tóquio conseguiu resistir bem ao vírus, registrando 5.347 casos confirmados e 307 mortes, de acordo com a Johns Hopkins.

“Isso tudo é graças à cooperação das pessoas de “Tóquio”, disse Koike.

“O uso de máscaras se tornou um costume comum para os japoneses desde a pandemia da gripe espanhola em 1918. O senso de higiene dos japoneses foi excelente e isso ajudou a suprimir o número de mortes se comparado a países ocidentais”.

Fonte: CNN

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância