Sem fazer desejado teste PCR, após morte soube-se que estava infectado

Após a morte de um paciente constatou-se infecção pelo novo coronavírus. Embora tenha pedido teste PCR, não foi atendido.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Imagem ilustrativa de teste PCR (kropekk_pl por Pixabay)

Segundo publicação do jornal Hokuriku Chunichi constatou-se que um paciente estava infectado pelo novo coronavírus, após sua morte em novembro, na província de Ishikawa.

Publicidade

Ele tinha pedido ao Centro de Saúde que gostaria de fazer o teste PCR, o que foi negado sob a alegação “sem passar pelo seu médico não é possível”.

Era professor da Universidade de Kanazawa e teve febre. Após passar pela consulta com um médico teria pedido o teste no centro de saúde, o qual foi recusado, segundo depoimento da esposa.

“Se tivesse feito o teste meu marido poderia ter sido internado e salvo. Não é bom que a decisão sobre a realização do teste seja limitada à recomendação médica”, lamenta a viúva.

A orientação das províncias é que se deve consultar o médico da família primeiro. Caso ele recomende, o teste será feito pelo centro de saúde.

Fonte: Ishikawa TV

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

UNICEF pede a governos mundiais que reabram escolas

Publicado em 9 de dezembro de 2020, em Notícias do Mundo

Recente estudo global usando dados de 191 países não mostrou associação entre condição escolar e taxas de infecção por Covid-19.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Sala de aula vazia (ilustrativa/banco de imagens PM)

O Fundo das Nações Unidas para a Infância – UNICEF – pediu a governos que priorizem a reabertura de escolas.

Publicidade

O UNICEF afirma que o número de crianças enfrentando fechamentos de estabelecimentos de ensino está aumentando, apesar de evidência de que as escolas não são os principais condutores de infecções por coronavírus.

O fundo disse que desde 1º de dezembro aulas estão suspensas para cerca de 1 em 5 crianças globalmente, ou 320 milhões. Isso é um aumento de aproximadamente 90 milhões de estudantes em um mês.

O UNICEF disse que um recente estudo global usando dados de 191 países não mostrou associação entre condição escolar e taxas de infecção por Covid-19 na comunidade. Ele acrescentou que há pouca evidência de que as escolas contribuam para taxas de transmissão mais altas.

O fundo também disse que muitas escolas parecem estar fechadas sem necessidade e pede aos governos que priorizem a reabertura e tomem todas as medidas possíveis para torná-las seguras.

O UNICEF disse que planos de reabertura de escolas devem contemplar a expansão do acesso à educação, incluindo aprendizado remoto.

“Estamos vendo uma tendência alarmante em que governos estão mais uma vez fechando escolas como primeiro recurso ao invés do último”, disse o chefe global de educação do UNICEF, Robert Jenkins.

“Crianças continuam a sofrer os impactos devastadores sobre seus aprendizados, bem-estar mental e físico e segurança”, acrescentou ele.

Fonte: NHK

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância