Ventos como de tufão e neve causam acidentes e danos

Por causa do forte vento aeronaves tiveram que mudar rotas e a neve causou acidentes e blackouts.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Fortes ventos, como os de um tufão, derrubam caminhões (Asahi)

Na manhã de sexta-feira (8), em 7 cidades da província de Akita, um total de 47,7 mil residências e outros locais estão sem energia elétrica, por causa dos rompimentos dos cabos elétricos com o peso do acúmulo da neve.

Publicidade

Além dos danos pelos flocos brancos, na província foram constatadas rajadas de vento com velocidade máxima de 42 metros por segundo, o equivalente a 151km/h, após as 20h de quinta-feira (7).

Em Yokote (Akita), parte de um estabelecimento comercial desabou com o peso do acúmulo de neve, na manhã do mesmo dia. 

Na província de Niigata cerca de 50 mil pontos ficaram sem energia elétrica na noite de quinta-feira, sendo que até as 7h do dia seguinte foram praticamente recuperados, segundo a Tohoku Electric Power. 

Em Ishikawa também cerca de 530 pontos tiveram apagão no final da tarde de quinta-feira.

Ventania afeta voos e derruba caminhões

Na tarde de quinta-feira foi constatada rajada de vento de até 30 metros por segundo – equivalente a 108km/h – em Chiba. 

Aeronave da Peach prestes a pousar, balançada pelo vento, em Narita (FNN)

Por causa disso 8 aeronaves que pousariam no Aeroporto Internacional de Narita tiveram que ser redirecionadas para Haneda ou Sendai. 

Ainda por causa dos ventos fortes, na rodovia nacional 116 em Nishikan-ku, cidade de Niigata (província homônima), caminhões de grande porte capotaram e um motorista se feriu. Um trecho teve que ser temporariamente fechado. Na mesma área 10 postes elétricos desabaram.

Fontes: NHK, FNN e Asahi

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Os passaportes mais poderosos do mundo para 2021

Publicado em 8 de janeiro de 2021, em Sociedade

A classificação é do Henley Passport Index. Passaporte japonês continua sendo o mais forte do mundo.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Na imagem, um passaporte japonês, no topo da lista dos mais fortes do mundo (banco de imagens)

Os dias de percorrer um aeroporto, ter o passaporte verificado e então embarcar a bordo de um voo para qualquer lugar que seja, por enquanto, é uma memória distante.

Publicidade

A pandemia de Covid-19 transformou a paisagem de viagens potencialmente por décadas a vir.

Países em todo o mundo estão entrando em novos lockdowns, mas mesmo quando as restrições forem suspensas, é provável que vacinação obrigatória antes da viagem aérea possa ser em breve uma necessidade.

O Henley Passport Index, que periodicamente avalia os passaportes mais fortes do mundo, acaba de divulgar seu mais recente relatório – e uma análise do que pode vir pela frente.

Japão está no topo da lista

Cidadãos asiáticos continuam a ter os documentos de viagem mais poderosos do mundo.

O índice não leva restrições temporárias em conta, então o Japão está, mais uma vez, no topo da lista, com seus portadores não precisando de visto, ou recebendo um na chegada ao destino, para visitar 191 países em todo o mundo.

Singapura fica em 2º lugar, com seus cidadãos podendo visitar 190 países sem necessidade de visto, e a Coreia do Sul e a Alemanha em 3º, com acesso livre a 189 nações.

Um pouco mais abaixo na lista estão a Nova Zelândia em 7º, com acesso livre a 185 destinos, enquanto a Austrália está em 8º, com acesso a 184 países.

Os EUA, o Reino Unido e países da União Europeia tradicionalmente dominavam a lista, mas reporta o Henley & Partners em seu comunicado, “especialistas sugerem que a posição de força da região Ásia-Pacífico continuará, visto que ela inclui alguns dos primeiros países a iniciarem o processo de recuperação da pandemia”.

As restrições temporárias de viagens relacionadas a isso significam que – enquanto o Reino Unido e os EUA estão em 7º na lista do Henley – a realidade é que os portadores de passaporte americano atualmente podem viajar para menos de 75 destinos, enquanto os britânicos têm acesso a menos de 70.

O passaporte brasileiro está na 17ª posição, com acesso livre para visitar 170 destinos.

“Há apenas 1 ano, todas as indicações eram que as taxas de mobilidade global continuariam a aumentar, que a liberdade de viagem cresceria, e que os portadores de passaportes poderosos desfrutariam de mais acesso do que nunca”, disse Christian H. Kaelin, presidente do Henley & Partners e inventor do conceito de índice de passaporte.

“O lockdown global negou essas projeções brilhantes, e como as restrições começaram a ser suspensas, os resultados do mais recente índice são um lembrete do que o poder de um passaporte significa em um mundo rompido pela pandemia”.

Em termos de mobilidade global futura, não deveríamos esperar um retorno aos padrões pré-pandemia, diz Parag Khanna, autor do “O Futuro é Asiático” e fundador e parceiro administrador da empresa de consultoria de Singapura FutureMap. Pode não mais ser o caso de que a só a nacionalidade abrirá portas.

“Mesmo para passaportes ainda poderosos como os do Japão, Singapura, Coreia do Sul e membros da UE, protocolos adicionais serão exigidos para realcançar mobilidade relativamente sem atritos”, diz Khanna.

Os passaportes mais poderosos do mundo em 2021:

Posição País Número de destinos sem necessidade de visto
1 Japão 191
2 Singapura 190
3 Coreia do Sul, Alemanha 189
4 Itália, Finlândia, Espanha, Luxemburgo 188
5 Dinamarca, Áustria 187
6 Suécia, França, Portugal, Holanda, Irlanda 186
7 Suíça, EUA, Reino Unido, Noruega, Bélgica, Nova Zelândia 185
8 Grécia, Malta, República Tcheca, Austrália 184
9 Canadá 183
10 Hungria 181

Os piores passaportes

Vários países no mundo têm acesso sem visto ou o recebem na chegada a menos de 40 nações. Esses incluem:

Posição País/Nação Número de destinos sem necessidade de visto
103 Coreia do Norte 39
104 Líbia, Nepal 38
105 Territórios Palestinos 37
106 Somália, Iémen 33
107 Paquistão 32
108 Síria 29
109 Iraque 28
110 Afeganistão 26

Outros índices

A lista do Henley & Partners é uma dos vários índices criados por firmas financeiras para classificar passaportes globais de acordo com o acesso que eles oferecem a seus cidadãos.

O Henley Passport Index é baseado em dados fornecidos pela Autoridade de Transportes Aéreos (IATA) e cobre 199 passaportes e 227 destinos de viagem. Ele é atualizado em tempo real ao longo do ano, como e quando mudanças de políticas de visto entram em vigor.

O Arton Capital’s Passport Index leva em consideração os passaportes de 193 países membros das Nações Unidas e seis territórios – ROC Taiwan, Macau, Hong Kong, Kosovo, Território Palestino e Vaticano. Territórios anexados a outros países estão excluídos.

O índice 2021 coloca a Alemanha no topo, com acesso livre a 134 países.

Fonte: Henley & Partners

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância