Fabricantes de eletrônicos abandonam embalagens de plástico

As companhias estão incorporando materiais ecologicamente corretos em meio à crescente demanda por produtos que produzem menos lixo.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Os mais novos fones sem fio do Grupo Sony vêm em estojos que usam material feito de bambu (NHK)

Um crescente número de fabricantes de eletrônicos no Japão está deixando de usar plástico em suas embalagens. As companhias estão incorporando materiais ecologicamente corretos em meio à crescente demanda por produtos que produzem menos lixo.

Publicidade

Os mais novos fones sem fio do Grupo Sony vêm em estojos que usam material feito de bambu, fibra de cana-de-açúcar e papel reciclado. A companhia pode empregá-los em embalagens para outros itens.

Segundo a Sony, os consumidores estão mostrando crescente preocupação com o impacto no meio ambiente dos produtos que eles compram. Eles esperam aumentar ainda mais a conscientização sobre a questão.

O designer Kenichi Hirose do Grupo Sony disse que “as pessoas sentem que a embalagem é algo que somente significa ser jogado fora. Mas queremos mudar esse pensamento ao usar materiais recicláveis”.

A Casio Computer mudou para embalagem que tem menos plástico e mais papel reciclado para cerca de 120 modelos de relógios de pulso.

A empresa de equipamento de precisão, a Ricoh, também está seguindo a tendência. A companhia usa plástico biodegradável de cana-de-açúcar e de outras plantas como forro para o vidro em suas fotocopiadoras.

Fonte: NHK

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Amami e Okinawa: designadas Patrimônio Natural da Humanidade

Publicado em 27 de julho de 2021, em Artigos de Turismo

A UNESCO reconheceu as 4 ilhas do sudoeste pelas espécies raras e florestas de mangue.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Amami, uma da ilhas da província de Kagoshima, confirmada pela UNESCO (MBC)

A UNESCO reconhecerá Amami Oshima (Kagoshima) e outras ilhas no sudoeste do Japão como Patrimônio Mundial por sua variedade de espécies animais e vegetais únicas, decidiu a agência das Nações Unidas na noite de segunda-feira (26), horário Japão.

Publicidade

A designação também abrange Tokunoshima (Kagoshima) e Iriomote (Okinawa), junto com a parte norte da ilha principal de Okinawa. Ao todo, eles representam o 24.º local do Patrimônio Mundial do Japão e o quinto local do patrimônio natural.

O mais novo local do Patrimônio Mundial do Japão se estende por quase 43 mil hectares nas quatro ilhas. A área é o lar de espécies raras, como o gato leopardo Iriomote, o sapo de Ishikawa, a ave Yanbaru kuina e o coelho Amami. Iriomote e Amami Oshima são especialmente conhecidos por suas grandes extensões de floresta de mangue.

Mangue verde e Baía de Funaura com vista do topo das Cataratas do Pinaisarano, da Ilha Iriomote (arquivo Ryukyu Shinpo)

Com essa conquista, provavelmente aumentará o número de turistas. A caça ilegal também continua sendo um problema. Agências relevantes e governos locais, incluindo os das províncias de Kagoshima e Okinawa, onde as ilhas estão localizadas, apoiarão os esforços de preservação da natureza.

Espera-se que as quatro ilhas sejam os últimos lugares no Japão consagrados como patrimônios naturais. Outros candidatos carecem de terreno ou recursos naturais suficientemente exclusivos em uma escala global. As remotas Ilhas Ogasawara, no Japão, foram o local mais recente a receber essa homenagem, em 2011.

O Ministério do Meio Ambiente do Japão investirá recursos na preservação de Amami Oshima e de outros locais de patrimônio natural do país.

A UNESCO deve adicionar 17 sítios arqueológicos do período Jomon no norte do Japão à lista do Patrimônio Cultural Mundial na terça-feira (27). Eles estão localizados em Hokkaido, bem como nas províncias de Aomori, Iwate e Akita. Entre os mais famosos estão os restos do assentamento Sannai-Maruyama de Aomori, construído há cerca de 5,9 mil anos.

Fontes: MBC, Okinawa Times e Asia Nikkei

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
UniFCV Japão - Educação a distância
Kumon - aprenda nihongo por correspondência