Pacientes infectados pela variante Delta carregam pelo menos 4 vezes mais vírus

Publicado em 14 de setembro de 2021, em Sociedade

Estima-se que pessoas infectadas pela Delta carregam um mínimo de 4 vezes mais patógenos do que aquelas com outras variantes.

&nbspPacientes infectados pela variante Delta carregam pelo menos 4 vezes mais vírus
Ilustrativa (banco de imagens)

De acordo com reportagem da NHK na segunda-feira (13), estima-se que pessoas infectadas pela variante Delta do coronavírus carregam um mínimo de quatro vezes mais patógenos do que aquelas com outras variantes.

Publicidade

A empresa japonesa de serviço de teste de laboratório, a BML, compilou os dados. A companhia conduz até 20 mil testes PCR por dia.

Como parte do processo de realizar tais testes, os genes do vírus em uma amostra são multiplicados. Quando o patógeno pode ser detectado com menos ciclos de amplificação, isso significa que a amostra contém uma maior quantidade do vírus.

A BML diz que o vírus foi detectado após menos de 20 ciclos em 38% das amostras testadas em janeiro deste ano.

A porcentagem subiu para 41.4% em abril quando a variante Alpha estava se espalhando.

Assim que a variante Delta se tornou dominante em julho, o número saltou para quase 66% e permaneceu a cerca de 64% em agosto.

O número de ciclos é chamado de valor Ct. Quando e igual ou inferior a 40, o teste é positivo.

Baseada no valor Ct em cada mês, a BML estima que a quantidade do vírus em amostras coletadas de portadores da variante Delta é de 4 a 64 vezes daquela vista na cepa original e na variante Alpha.

Toshikazu Yamaguchi, responsável na BML, diz que a companhia começou a ver mais amostras com valores Ct menores contendo maiores cargas virais a partir de julho.

Ele diz que há uma diferença acentuada na quantidade de vírus nas amostras Delta e naquelas contendo outras variantes.

O professor da Universidade Toho e membro do painel de coronavírus do governo japonês, Kazuhiro Tateda, diz que a infecção pela variante Delta resulta em uma grande carga viral.

Segundo ele, não há evidência de transmissão aérea, mas acredita-se que uma quantidade significante do vírus esteja contida em microgotas, as quais são liberadas quando as pessoas falam mesmo em um volume de conversa normal.

Ele pede às pessoas que usem máscara e se certifiquem que espaços internos sejam completamente ventilados.

Fonte: NHK

Neste Artigo:

Vamos comentar?


.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Banco do Brasil - Japão