Mobile muito resistente para outdoor e praticante de esportes radicais

Robusto, o novo design do G’z One é compatível com o 4G. Lançamento da au.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Pode cair na água e modelos em verde e preto (au/FNN)

O mobile apresentado pela KDDI na segunda-feira (6), é um repaginado depois de 9 anos, do original da série G’z One, lançado em 2000.

Publicidade

A aparência é de um telefone celular, mas esse funciona em 4G, e tem tudo o que um trabalhador na construção civil, praticante de esportes radicais ou quem gosta de atividades ao ar livre como montanhismo ou pesca, necessita: robustez, resistente à água e neve,  areia e queda, Wi-Fi, bússola, espanta ursos, entre outros como os apps.

O G’z One Type XX evoluiu para atender os fiéis usuários de longa data, de até 15 anos, que ainda usam o 3G, pois essa tecnologia será extinta em março de 2022. 

Cor liquid green já caiu no gosto dos usuários, resistente à areia e queda (au)

O design foi elaborado por uma equipe da Casio, com um subdisplay em forma circular, e o dispositivo foi fabricado pela Kyocera, a qual desenvolveu o smartphone da Balmuda.

A au já está aceitando reservas na sua página e o início das vendas é na sexta-feira (10). O novo modelo está disponível em duas cores: liquid green e solid black. O preço é de ¥52.800, já com imposto. 

Se trabalha em condições que dependem do tempo, tem altos riscos, ou se pratica esportes ao ar livre, esse celular é altamente recomendado. Para a limpeza do dispositivo pode usar sabonete para as mãos ou um pano umedecido com álcool.

Caso queira assistir ao lançamento, veja o vídeo.

Fontes: divulgação e FNN

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Aumenta o risco de forte terremoto em todo Japão

Publicado em 7 de dezembro de 2021, em Sociedade

Com os mais de 180 sismos ocorridos desde sábado nas Ilhas Tokara, aumentou o risco de forte terremoto, não só em Kyushu como no país.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Uma das 12 ilhas Tokara, em Kagoshima, e imagem de intervalo de sismo (ANN)

Até as 8h de terça-feira (7) ocorreram 185 abalos de intensidade sísmica 1 a 4 nas Ilhas Tokara (Kagoshima). Os sismólogos dizem que todo o arquipélago precisa estar vigilante, não só a região de Kyushu.

Publicidade

A leste das ilhas Tokara, tem a placa do mar das Filipinas se esgueira sob a placa da Eurásia. E a oeste, tem Okinawa Trough (calha submarina).

Toshiyasu Nagao, professor da Divisão de Pesquisa de Terremotos, Tsunamis e Vulcões, da Universidade de Tokai, explica: “O que está acontecendo nas Ilhas Tokara não é apenas um problema em Kyushu, mas de todo o Japão central. Ocorreu um terremoto forte na província de Yamanashi na sexta-feira (3).  E as atividades continuam em torno da Península de Noto, na província de Ishikawa”. E em Wakayama também teve um de intensidade 5 fraca, na sexta-feira.

Terremotos desde sábado a terça-feira (WeatherNews)

Ocorrência de terremotos e erupções

“O vulcão submarino Fukutoku-Okanoba entrou em erupção em agosto deste ano, tanto que as pedras pomes se tornaram um problema em Okinawa e costas de outras províncias. Foi uma erupção muito grande e só acontece 1 vez a cada cem anos”, explicou Nagao. Dois meses depois, o Monte Aso na província de Kumamoto também entrou em erupção.

No futuro, Kagoshima, onde as ilhas Tokara estão localizadas, e todo o arquipélago japonês também precisam estar vigilantes, pontuou. “Acho que todo o arquipélago japonês está se aproximando de um estado em que terremotos e erupções vulcânicas podem ocorrer”, analisou o professor.

Outro professor nega que os tremores das ilhas causem um grande terremoto

Segundo o professor emérito Yoshiyuki Tatsumi, da Universidade de Kobe, especialista em magmas, a lei natural dos abalos sequenciais das Ilhas Tokara que supostamente causaria um grande terremoto no Japão, “na tecnologia de ponta não encontramos uma relação causal. É altamente possível que seja apenas uma coincidência”, apontou.

A AMJ-Agência de Meteorologia do Japão reconhece que os terremotos que ocorreram no leste e oeste do arquipélago não estão diretamente relacionados à ocorrência de um grande. 

Terremoto de Nankai Trough tem data?

No entanto, os especialistas alertam que o gigantesco terremoto de Nankai Trough, a erupção do Monte Fuji e o terremoto da capital, Tóquio e região, podem causar enormes danos no futuro.

“Os dois terremotos – Yamanashi e Wakayama – não estão diretamente relacionados, mas é preciso cautela”, disse o professor emérito Hiroki Kamata, da área de vulcanologia e ciências da terra, da Universidade de Quioto. 

O terremoto dos Cinco Lagos Fuji foi causado pelos efeitos colaterais do Grande Terremoto do Leste do Japão de 2011. Acredita-se que o terremoto de Wakayama foi um terremoto direto no qual o solo do interior foi rachado devido ao estresse energético em direção ao terremoto gigante de Nankai Trough e vem acontecendo desde o Grande Terremoto Awaji. O principal terremoto de Nankai Trough provavelmente ocorrerá por volta de 2035, com diferença a mais ou menos de 5 anos, e então deverá desencadear a erupção do Monte Fuji”, avalia.

Não se pode acostumar aos abalos de intensidade até 5

Por outro lado, o professor Manabu Takahashi do Centro de Pesquisa de Civilizações do Pacífico da Universidade Ritsumeikan, que está familiarizado com a história de desastres, disse: “Desde este verão, o número de terremotos na área metropolitana de Tóquio aumentou e ocorreram erupções em Izu e nas Ilhas Ogasawara. Diastrofismos – processos de deformação da crosta terrestre – ainda não experimentados, já estão ocorrendo, os quais podem levar às erupções do Monte Fuji e das Ilhas Izu”.

Além do temido terremoto Nankai Trough e a possível erupção do Monte Fuji é preciso ficar atento ao terremoto da região metropolitana, o chamado shuto chokka jishin (首都直下地震).

“No futuro, acredita-se que terremotos com intensidade sísmica inferior a 5 ocorrerão com frequência, inclusive na área metropolitana, e há o risco da população acabar se acostumando com os abalos. É preciso que a população esteja preparada regularmente, sem se descuidar”, adverte o professor Kamata.

Releia as matérias sobre o kit de preservação da vida tocando aqui e também para conferir se sua casa está segura.

Fontes: Weather News, ANN, Fuji e Minami Nippon Shimbun

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
UniFCV Japão - Educação a distância