Bridgestone suspenderá produção na Rússia em meio à crise na Ucrânia

A Bridgestone também interrompeu exportações de pneus para a Rússia imediatamente.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

A grande fabricante japonesa de pneus disse que suspenderá a produção em sua fábrica de Ulyanovsk, no oeste da Rússia (banco de imagens)

A Bridgestone disse na segunda-feira (14) que suspenderá operações em uma fábrica na Rússia no fim desta semana enquanto interrompe exportações de pneus para o país imediatamente, visto que a situação continua incerta após a invasão da Ucrânia por Moscou no mês passado.

Publicidade

A grande fabricante japonesa de pneus disse que suspenderá a produção em sua fábrica de Ulyanovsk, no oeste da Rússia, a partir de sexta-feira (18) e congelará todos os novos investimentos de capital.

A Bridgestone disse que tem apenas uma fábrica na Rússia e vendas a partir do país contam por cerca de 2% do lucro total do grupo.

Em uma declaração, a companhia disse que chegou a essa decisão “após examinar as situações mais recentes cuidadosamente e amplamente”.

A ação pela segunda maior fabricante de pneus do mundo em valor de vendas segue a saída de muitas empresas globais da Rússia devido a preocupações com interrupções no fornecimento em meio à crise na Ucrânia e outras razões.

A Bridgestone também disse que doará um total de cerca de ¥500 milhões de ienes (US$4,2 milhões) ao Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, à Cruz Vermelha Internacional e a outras entidades como ajuda humanitária para a Ucrânia.

Veja também:

Hitachi suspenderá operações na Rússia
Quase 100 empresas americanas se retiram da Rússia, além de outras como Nestlé, Philip Morris e Sony
Rússia: além dos pagamentos digitais, TikTok e Netflix suspendem serviços
Marcas famosas como Zara e H&M estão com expediente suspenso na Rússia
Fonte: News and Culture

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Países asiáticos acumulam armas atentos à crescente ambição regional da China

Publicado em 15 de março de 2022, em Notícias do Mundo

A Ásia e Oceania, a região que mais importou armas no mundo nos últimos 30 anos, recebeu 43% das transferências globais de 2017 a 2021.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Ilustrativa (banco de imagens)

Alguns países asiáticos e nações da Oceania estão aumentando suas aquisições de armas, visto que eles estão cada vez mais atentos à crescente ambição regional da China, mostrou na segunda-feira (14) um relatório do Instituto Internacional de Pesquisa para a Paz de Estocolmo.

Publicidade

O relatório comparou transações de armas no mundo pelos 5 anos até 2021 aos 5 anos anteriores até 2016 e mostrou que dos 10 principais importadores dos artefatos, seis eram da Ásia e da Oceania.

A Índia foi a maior importadora, contando por 11% do total, mas as importações para a região como um todo na verdade diminuíram em 4,7%, indicando uma ampla variação em compras entre sub-regiões, citou o relatório.

As importações do Japão aumentaram em 2,5 vezes, tornando o arquipélago o 10º maior importador no mundo. Austrália, China, Coreia do Sul e Paquistão também ficaram entre os 10 mais.

A Ásia e Oceania, a região que mais importou armas no mundo nos últimos 30 anos, recebeu 43% das transferências globais de 2017 a 2021.

As tensões entre a China e muitos estados na Ásia e Oceania são as principais condutoras de importações de armas na região”, disse o relatório citando as palavras de Siemon Wezman, pesquisador sênior junto ao Programa de Transferência de Armas do instituto.

Os EUA continuaram sendo o maior fornecedor de armas do mundo, contando por cerca de 39% do total.

O aumento das exportações dos EUA se deve em sua maioria às transações com a Arábia Saudita, Austrália, Coreia do Sul e Japão, de acordo com o instituto. As exportações dos EUA para o Japão expandiram 2,7%.

Fonte: News and Culture

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância