Líderes mundiais concordam em impor sanções mais pesadas contra a Rússia

Joe Biden discutiu o problema da Ucrânia em uma conferência por telefone com os líderes do G7, UE, OTAN, Polônia e Romênia.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

O presidente dos EUA, Joe Biden (NHK)

Líderes mundiais concordaram em colocar mais pressão contra Moscou ao impor sanções ainda mais pesadas.

Publicidade

O presidente dos EUA, Joe Biden, discutiu o problema da Ucrânia durante uma conferência por telefone com os líderes do G7, União Europeia, OTAN, Polônia e Romênia na segunda-feira (28).

O primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, falou com repórteres sobre o que ele disse durante a conferência.

Kishida disse aos outros líderes, “devemos mostrar forte solidariedade em responder ao que está acontecendo na Ucrânia”.

Ele também disse a eles que como o “primeiro-ministro da única nação que sofreu bombardeios atômicos e como um nativo de Hiroshima”, ele achava “intolerável ameaçar com armas nucleares e muito menos usá-las”.

Ele disse aos repórteres que os líderes concordaram em impor sanções mais pesadas a fim de continuar a dar suporte ao governo ucraniano, e manter a ajuda aos refugiados.

Fonte: NHK

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Shell anuncia que vai sair da Rússia, incluindo do projeto Sakhalin-2

Publicado em 1 de março de 2022, em Notícias do Mundo

A Shell deixará todas as suas operações na Rússia, incluindo o projeto Sakhalin-2, um desenvolvimento de GNL.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Shell abandonará suas operações na Rússia (banco de imagens)

A gigante petrolífera anglo-holandesa Shell diz que abandonará todas as suas operações na Rússia, incluindo o projeto Sakhalin-2.

Publicidade

Ela disse em uma declaração que tem a intenção de sair de seus empreendimentos conjuntos com a maior companhia de gás estatal da Rússia, a Gazprom, e entidades relacionadas.

A Shell disse que esses incluem o Sakhalin-2, um desenvolvimento de gás natural liquefeito dentro e em torno da ilha de Sakhalin, no leste da Rússia.

A companhia tem 27,5% de participação no projeto e a Gazprom metade. O restante é detido por duas grandes empresas japonesas, a Mitsui and Company e a Mitsubishi Corporation.

A Shell também disse que planeja sair do negócio de gasoduto Nord Stream-2 para fornecer gás russo para a Alemanha.

Executivos da companhia dizem que trabalharão com governos em todo o mundo e cumprirão com sanções relevantes.

Analistas estão aguardando para ver a ação que o Japão tomará, visto que ele é um principal destino do GNL do Sakhalin-2.

Fonte: NHK

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância