Suzuki aposta nos carros voadores em parceria com SkyDrive

A aliança entre a Suzuki e a SkyDrive abre uma nova perspectiva para o desenvolvimento de carros voadores menores para atender o mercado externo.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Modelo desenvolvido pela SkyDrive (HP)

A montadora Suzuki anunciou, na terça-feira (22), sobre sua aliança comercial com a empresa SkyDrive, com sede em Toyota (Aichi), para a comercialização de carros voadores. 

Publicidade

Com a empresa fundada pelos graduados da Toyota, pretende prosseguir com o desenvolvimento das aeronaves e pesquisas em tecnologia, para a produção em massa de carros que voam, de olho no mercado externo.  

É a primeira parceria da SkyDrive com uma montadora de automóveis. Ambas as empresas querem utilizar a tecnologia e o know-how no desenvolvimento e produção dos veículos kei, para aplicar aos carros voadores.

A SkyDrive está desenvolvendo uma aeronave menor que seus concorrentes, e a Suzuki planeja utilizar seu forte conhecimento de veículos kei. Em países emergentes como a Índia, o congestionamento do tráfego tornou-se um problema social, por isso as duas empresas acreditam que a demanda por carros voadores é alta.

A Suzuki pretende transformar esse novo segmento em um novo pilar, junto com os de carros e motos.

Além disso, há a expectativa da Expo 2025, em Osaka, para exibir os novos modelos.

Fontes: Yomiuri e Nikkan Jidosha

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Jornal da Rússia apaga matéria que informava perda de 10 mil soldados na Ucrânia

Publicado em 23 de março de 2022, em Notícias do Mundo

A Rússia omite informação de suas perdas no ataque contra a Ucrânia. O jornal pró-Kremlin publicou a matéria e logo a apagou.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Soldado russo morto pela defesa da Ucrânia (Ukrinform)

O jornal pró-Kremlin chamado Komsomolskaya Pravda publicou uma matéria sobre as perdas do exército russo no ataque contra a Ucrânia, informando que 9.861 morreram e 16.151 estão feridos.

Publicidade

A matéria foi publicada no domingo (20) e depois de 24 horas foi apagada do site, na segunda-feira (21).

A empresa jornalística alegou que “o site foi invadido e foram divulgadas informações falsas”.

O Ministério da Defesa da Rússia não atualizou o número de mortes de seus soldados, mantendo que foram 498, dados do dia 2, enquanto o lado ucraniano já perdeu cerca de 15 mil e são milhares de americanos mortos. 

Um porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov, se recusou a dizer os números reais: “Não há informações sobre os números. É um privilégio do Departamento de Defesa”.

Ucrânia afirma que o número de mortes de soldados russos é superior a 15 mil

Veículo de guerra da Rússia, com símbolo Z, abatido pelos ucranianos (Ukraine Joint Forces Operation)

Por outro lado, o governo da Ucrânia informou que no período entre 24 de fevereiro, quando começou o ataque da Rússia, e 22 de março, “os invasores russos perderam cerca de 15.300 soldados, 509 tanques, 1.556 veículos de combate blindados, 252 sistemas de artilharia, 80 MLRS, 45 unidades de defesa aérea, 99 aeronaves, 123 helicópteros, 1.000 veículos, 3 navios/barcos, 70 tanques de combustível, 35 UAVs de nível operacional e tático, e 15 unidades de equipamentos especiais”.

Fontes: FNN e Ukrinform

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância