Japão acolhe agora mais de 600 refugiados ucranianos

Especialistas dizem que um dos desafios principais será ajudar os refugiados a lidarem com a barreira do idioma.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

O governo japonês planeja continuar a aceitar ativamente refugiados ucranianos (NHK)

Autoridades da imigração dizem que desde 17 de abril um total de 661 pessoas da Ucrânia, que fugiram da invasão russa, vieram para o Japão.

Publicidade

Vinte deles vieram a bordo de um avião do governo que partiu da Polônia em 5 de abril. Outros 20 viajaram em voos comerciais em 9 e 16 de abril, usando lugares garantidos pelo governo japonês. Os restantes 621 vieram por outros meios.

Para essas pessoas, inicialmente, é garantido um visto de 90 dias, mas que pode ser alterado para o status de “atividades designadas” que tem validade de 1 ano se desejarem, permitindo que elas se registrem como residentes, encontrem trabalho e possam se inscrever no programa de seguro de saúde pública.

Oficiais da imigração disseram que eles aprovaram a mudança no status do visto para cerca de 145 pessoas desde 17 de abril.

O governo planeja continuar a aceitar ativamente refugiados ucranianos. Funcionários estão trabalhando com governos locais e empresas para oferecer suporte necessário.

Entretanto, o período de evacuação deve se transformar em uma situação de longo prazo.

Especialistas dizem que os desafios principais serão ajudar os refugiados a lidarem com a barreira do idioma e amenizar suas preocupações em relação a trabalho.

Fonte: NHK

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Mais de 6 mil alimentos e produtos alimentícios do Japão sofrem aumento

Publicado em 19 de abril de 2022, em Economia

Apuros na economia doméstica com os aumentos de preços neste ano fiscal. Afinal, são mais de 6 mil itens, muitos usados diariamente.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Imagem ilustrativa de um carrinho de compras no supermercado (Piqsels)

Este ano 105 grandes empresas de alimentos ou de fabricação de produtos alimentícios aumentaram ou elevarão os preços, de acordo com a Teikoku Databank, uma grande empresa de pesquisa. 

Publicidade

Os alvos são 6.167 itens, com aumento médio de 11%. Além disso, mais de 60% desses, ou 4.081 itens, já tiveram seus preços reajustados para cima em abril. Os outros terão novos preços nos meses subsequentes.

Em 2022, os preços em alta das principais matérias-primas, como óleo de cozinha, farinha, soja e açúcar, vem afetando rapidamente os fabricantes de produtos alimentícios. Além disso, alimentos congelados, molho de soja, carnes, pescados, leite de soja e outros também terão aumento, por causa das matérias-primas, embalagens e logística. 

Os temperos, principalmente os molhos e maionese, o efeito da alta dos preços do óleo de cozinha é particularmente perceptível.

Em uma pesquisa realizada pela Teikoku Databank em abril, mais de 70% dos fabricantes de produtos alimentícios e bebidas responderam que aumentariam o preço dentro de um ano após abril. 

Mais aumentos podem vir e é preciso ser criativo nas compras

Infográfico da média de aumento de preços (FNN)

Há uma forte visão de que o aumento dos preços não é transitório, independentemente da invasão militar da Ucrânia pela Rússia. É possível que os preços de vários itens continuem a subir no futuro, refletindo no aumento do custo no preço de venda.  

As famílias terão que ser criativas para fazer as compras da semana no supermercado, aproveitando as ofertas e lojas de desconto como Don Quijote, Gyomu Super, Costco e outras.

Além disso, os restaurantes também estão repassando esses aumentos nos preços do seu cardápio, portanto, para comer fora será preciso desembolsar mais.

Fontes: Teikoku Data Bank e FNN

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
UniFCV Japão - Educação a distância
Kumon - aprenda nihongo por correspondência