Airbnb diz que reservas recordes sinalizam recuperação na demanda por viagens

Reservas na Airbnb para ‘experiências’ de viagem passaram de 102 milhões nos 3 primeiros meses deste ano, apesar da ômicron.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

“Hóspedes estão reservando mais do que nunca”, disse a Airbnb (banco de imagens)

Reservas na Airbnb atingiram um novo recorde no primeiro trimestre deste ano, reportou a plataforma de aluguel de acomodações na terça-feira (3), em um novo sinal de que a demanda por viagens reprimida pela pandemia da covid-19 está sendo liberada.

Publicidade

Apesar do aumento da variante ômicron e um nível persistente de infecções, reservas na Airbnb para acomodações e “experiências” de viagem passaram de 102 milhões nos três primeiros meses deste ano, estabelecendo um novo recorde trimestral, disse a companhia em seu comunicado de ganhos.

Hóspedes estão reservando mais do que nunca”, disse a Airbnb aos acionistas em uma carta. “Olhando à frente, vemos forte demanda”.

A companhia disse que tendências das pessoas fazendo reservas de estadas longe de áreas urbanas e ficando relativamente perto de casa continuam, mas os hóspedes estão retornando a cidades e realizando viagens além das fronteiras.

Fonte: Channel News Asia

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

População infantil do Japão tem queda pelo 41º ano consecutivo

Publicado em 4 de maio de 2022, em Sociedade

Acredita-se que as mulheres evitaram ter filhos devido à expansão da pandemia de covid-19.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

O número de meninos contou por 7.51 milhões, enquanto o de meninas foi de 7.15 milhões (ilustrativa/banco de imagens)

A estimativa da população infantil do Japão caiu pelo 41º ano consecutivo para uma baixa recorde, mostraram dados do governo nesta quarta-feira (4), pois acredita-se que as mulheres evitaram ter filhos devido à expansão da pandemia.

Publicidade

O número de crianças com idade igual ou inferior a 14 anos, incluindo estrangeiras, situou-se a 14.65 milhões desde 1º de abril, queda de cerca de 250 mil ante o ano anterior e o menor número desde 1950, quando dados comparáveis foram disponibilizados, de acordo com informações divulgadas pelo Ministério de Assuntos Internos.

Por gênero, meninos contaram por 7.51 milhões do total, enquanto meninas formaram 7.15 milhões de acordo com dados do ministério.

Havia 3.23 milhões de crianças entre 12 e 14 anos, comparadas com 2.51 milhões até 2 anos, refletindo a tendência de que o número cai quando elas são mais jovens.

Desde 1º de outubro de 2021, todas as 47 províncias do Japão tiveram queda no número de crianças em comparação ao ano anterior pela primeira vez desde 1999.

A província de Okinawa, no sul, teve a proporção mais alta de crianças em sua população geral, a 16.5%, enquanto Akita, no norte, registrou a mais baixa, a 9.5%.

A população infantil no Japão atingiu o pico em 1954 a 29.89 milhões. O número teve um aumento breve no início dos anos 1970, mas continuou a cair desde 1982.

Fonte: News and Culture

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância