Airbnb encerrará operações na China em meio a repetidos lockdowns

O Airbnb foi lançado na China em 2016 e agora está encerrando seus negócios no país em meio a lockdowns do coronavírus.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

A provedora de acomodações opera dentro da China desde 2016 (banco de imagens)

O Airbnb está fechando seus negócios dentro da China indefinidamente, enquanto a política zero covid do país, lockdowns e restrições de viagem continuam.

Publicidade

Na manhã desta terça-feira (24), o Airbnb disse aos seus usuários na China que encerraria todas as reservas para acomodações e experiências na China a partir de 30 de julho.

Segundo uma fonte com conhecimento sobre a decisão, a qual confirmou o fechamento, o negócio doméstico do Airbnb na China está sendo prejudicado com as restrições da pandemia, sem indicação de que as autoridades têm a intenção de se mover em direção a conviver com o vírus ou abrir suas fronteiras.

Como uma onda de casos da variante ômicron se espalha pela China, o governo dobrou sua política de eliminar a covid-19.

A provedora de acomodações opera dentro da China desde 2016 com anúncios domésticos em todo o país.

Naquela época cerca de 25 milhões de hóspedes fizeram reservas, de acordo com a companhia, mais é dispendioso e complexo operar e ela enfrenta forte competição local.

Fonte: The Guardian

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Não há necessidade urgente de vacinações em massa contra a varíola dos macacos, diz OMS

Publicado em 24 de maio de 2022, em Notícias do Mundo

Segundo a OMS, medidas como boa higiene e comportamento sexual seguro ajudarão a controlar a propagação.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Ilustrativa (banco de imagens)

A Organização Mundial da Saúde (OMS) não acredita que o surto de varíola dos macacos fora da África exija vacinações em massa, visto que medidas como boa higiene e comportamento sexual seguro ajudarão a controlar sua propagação, disse um alto funcionário na segunda-feira (23).

Publicidade

Richard Pebody, que lidera a equipe de patógenos de alta ameaça na OMS Europa, também disse à agencia Reuters em uma entrevista que fornecimentos imediatos de vacinas e antivirais são relativamente limitados.

Seus comentários ocorrem quando o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA disse que estava no processo de liberar algumas doses de vacina Jynneos para uso em casos de varíola dos macacos.

O governo da Alemanha disse na segunda-feira que estava avaliando opções para vacinação, enquanto o Reino Unido as ofereceu a alguns profissionais da saúde.

Autoridades de saúde pública na Europa e na América do Norte estão investigando mais de 100 casos suspeitos e confirmados da infecção viral no pior surto do vírus fora da África, onde ele é endêmico.

As medidas primárias para controlar o surto são rastreamento de contato e isolamento, disse Pebody, citando que esse não é um vírus que se espalha muito facilmente, ou até agora causou doença grave.

As vacinas usadas para combater a varíola dos macacos podem ter efeitos colaterais significantes, acrescentou ele.

Fonte: Channel News Asia

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
UniFCV Japão - Educação a distância