Buraco negro adormecido é descoberto fora da Via Láctea

O VFTS243 tem massa nove vezes a do Sol e é um sistema binário com uma estrela companheira.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

A ilustração de um artista mostrando como pode ser o sistema estelar binário VFTS243 (Universidade de Sheffield)

Um buraco negro adormecido que tem nove vezes a massa do Sol foi identificado fora da Via Láctea pela primeira vez, no que pesquisadores chamam de “descoberta muito emocionante”.

Publicidade

Embora não seja o primeiro candidato ao título, uma pesquisa da Universidade de Sheffield diz que esse buraco negro é “o primeiro a ser claramente detectado fora de nossa galáxia”.

Os pesquisadores vinham procurando sistemas binários de buracos negros há mais de dois anos antes de encontrar o que se tornou conhecido como VFTS243.

Paul Crowther, professor de astrofísica na universidade, descreveu o buraco negro como “descoberta muito empolgante” que chega após “vários candidatos a título de buracos negros adormecidos terem sido propostos”.

Buracos negros de massas estelares são formados quando estrelas massivas chegam ao fim de suas vidas e colapsam em suas próprias gravidades. Em um sistema de duas estrelas girando em volta uma da outra, esse processo deixa para trás um buraco negro em órbita com uma estrela companheira luminosa.

O buraco negro adormecido recém-descoberto é pelo menos 9 vezes a massa do Sol da Terra e orbita uma estrela azul quente com 25 vezes o peso do Sol.

Um buraco negro é considerado adormecido se ele não emite altos níveis de radiação, que é como tais buracos negros são detectados titpicamente. Buracos negros adormecidos são difíceis de identificar, visto que eles não interagem muito com os seus arredores.

Fonte: Mail Online

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Surfista viu um tubarão na praia em Tottori

Publicado em 19 de julho de 2022, em Sociedade

Pela descrição parece se tratar de um tubarão-martelo.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Praia onde o surfista viu o tubarão (FNN)

Na segunda-feira (18) a prefeitura da cidade de Tottori (província homônima), informou que no dia anterior um surfista avisou que viu um tubarão, a 200 metros da costa da praia de Hokuto, por volta das 14h30.

Publicidade

Essa foi a primeira aparição de um tubarão na costa e, segundo o surfista, tinha cerca de 2 metros de comprimento.

Nesse dia havia pelo menos umas 20 pessoas na água, mas ninguém se feriu.

Um outro surfista, com 25 anos de prática, disse que já viu golfinhos e também tubarões, umas 2 a 3 vezes nesse período.

Surfistas na praia de Hokuto (FNN)

Segundo o curador do Museu da Província de Tottori, que conhece a vida marinha, os tubarões-martelo costumam viver ao longo da costa do Mar do Japão, mas raramente atacam as pessoas, a menos que causem danos.

Nas praias da província, se houver tubarões, as prefeituras tomam medidas para evitar o risco, como instalar redes de proteção e proibir a natação.

Com esse relato de domingo, a prefeitura pediu às pessoas para não entrarem na água da praia de Hokuto, temendo o risco do tubarão-martelo, e também nas demais quando tiverem placa informativa. 

Tubarão-martelo visto em 2001 (arquivo da FNN)

Fonte: FNN

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
UniFCV Japão - Educação a distância
Kumon - aprenda nihongo por correspondência