Ikea anuncia novos produtos para 2023 e destacou baleias de pelúcia

A grande fabricante de móveis sueca realizou um evento para apresentar os novos produtos, em Harajuku, Tóquio.

Baleias e orcas de pelúcia da Ikea começarão a ser vendidas em outubro (Ryutsu Biz)

A fabricante sueca Ikea, de móveis, artigos para decoração e utensílios domésticos, realizou um grande evento em Tóquio para mostrar as novidades de 2023 para a imprensa.

Publicidade

A Ikea apresentou, entre os inúmeros produtos, uma charmosa mesa com purificador de ar acoplado, cadeira com 6 funções para os gamers, linha em parceria com a Marimekko (empresa finlandesa de têxteis), luminárias novas e muito mais.

Um display de madeira foi colocado estrategicamente ao lado do palco de apresentações. Havia baleias e orcas de pelúcia chamando a atenção, o que poderiam indicar que serão as novas estrelas, para substituir a fama do tubarão, altamente popular no Japão. 

Pode até ser que as baleias de 1 metro ou as orcas de 60 centímetros (¥2.499 e ¥1.499, respectivamente) passem a ser icônicas entre os fãs da Ikea, mas a finalidade foi chamar a atenção do público para a sustentabilidade.

Segundo a fabricante sueca o enchimento das baleias e orcas de pelúcia é feito de poliéster 100% reciclado a partir de resíduos plásticos marinhos recolhidos a 50 quilômetros da costa. Ela não informou de que país ou países esses resíduos de plástico estão sendo recolhidos.

Filosofia dos 5 aspectos (Business Insider)

Durante evento de lançamento a Ikea explicou que o desenvolvimento dos novos produtos está baseado em 5 aspectos: forma, baixo preço, funcionalidade, qualidade e sustentabilidade.   

O objetivo da gigante sueca é fabricar todos os novos produtos a partir de materiais renováveis ​​ou reciclados até 2030. Atualmente, 55,8% dos móveis e produtos diversos da Ikea usam materiais renováveis ​​e 17,3% usam materiais reciclados.

Fontes: divulgação, Ryutsu Biz e Business Insider

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

JR East cortará 4 mil empregos

Publicado em 1 de setembro de 2022, em Sociedade

A East Japan Railway encolherá sua força de trabalho em cerca de 10% nos próximos anos para se alinhar com o fraco tráfego de passageiros.

Um trem da linha Yamanote (banco de imagens)

A East Japan Railway (JR East) encolherá sua força de trabalho em cerca de 10% nos próximos anos para se alinhar com o fraco tráfego de passageiros, no primeiro grande plano de redução de gastos da indústria.

Publicidade

O negócio ferroviário da JR East, o maior do país, agora emprega cerca de 34 mil dos 74 mil funcionários do grupo. A operadora da linha Yamanote de Tóquio visa cortar sua participação para menos de 30 mil, disse ao site Asia Nikkei o presidente Yuji Fukasawa.

Ao invés de oferecer aposentadoria antecipada, a JR East planeja reduzir a divisão através de uma combinação de desgaste natural e realocação para outras áreas do grupo com perspectivas mais brilhantes, como a imobiliária e a varejista. A empresa também reduzirá novas contratações.

A demanda por viagem ferroviária ainda precisa se recuperar do golpe do coronavírus. Os lucros do segmento de transportes da JR East no trimestre passado foram de apenas 70% do nível do mesmo período de 2019, antes da pandemia.

A companhia reduziu o número de bilheterias nas principais estações em 20% desde 2020. Ela está acelerando uma mudança para operação apenas por condutor em grandes linhas de trem, incluindo a Yamanote, entre 2025 e 2030, e implementando mais tecnologia de manutenção inteligente.

Fonte: Asia Nikkei

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
Life Card - cartão exclusivo para brasileiros