Pai ateia fogo no filho de 12 anos por não fazer lição de casa

Shaheer Khan de 12 anos sofreu queimaduras graves em 14 de setembro e morreu dois dias depois.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Ilustrativa (banco de imagens)

Um paquistanês ateou fogo em seu filho de 12 anos no apartamento onde moravam em Karachi após o menino não ter conseguido responder a questões em sua lição de casa, de acordo com reportagem do site Daily Mail na terça-feira (20).

Publicidade

Shaheer Khan sofreu queimaduras graves no incidente horrível no vilarejo de Orangi na cidade paquistanesa em 14 de setembro e foi levado às pressas para o hospital, mas ele não pôde ser salvo e morreu em decorrência de seus ferimentos dois dias depois.

O pai teria derramado querosene sobre o filho e acendido um fósforo em uma tentativa de colocar medo no menino para ele concluir sua lição de casa, mas a chama inflamou o óleo e incendiou a criança.

Ao ouvir os gritos do filho, sua mãe, Shazia, entrou no quarto onde ambos os pais jogaram cobertores e roupas sobre o menino em chamas em uma tentativa desesperada de extinguir o fogo, mas seus esforços não foram suficientes para salvá-lo.

Após receber a notícia da morte intoleravelmente dolorosa de seu filho em 16 de setembro, Shazia ficou de luto por dois dias e depois moveu uma ação contra o seu marido.

A polícia prendeu Nazir no dia seguinte e ele continuará sob custódia até uma audiência programada para 24 de setembro.

O policial Salim Khan disse a canais de notícias paquistaneses que Nazir ficou furioso quando Shaheer insistiu em empinar pipa ao invés de terminar sua lição de casa.

Fonte: Daily Mail

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Ventos do tufão derrubam muro e removem placas do asfalto em Shimane

Publicado em 21 de setembro de 2022, em Tempo

O tufão de número 14, sem precedentes, foi a causa de danos incalculáveis em boa parte do arquipélago, como também em Shimane.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Ondas elevadas ultrapassavam o quebra-mar (BSS)

O devastador tufão de número 14 atravessou o arquipélago japonês, por um trajeto de 6 dias, e deixou suas marcas. Depois de sua passagem as populações das províncias assoladas por ele começaram a contabilizar os danos ainda não calculados.

Publicidade

No final da tarde de segunda-feira (19) o tufão esteve sobre a província de Shimane, assolando a região San’in. O muro de uma residência da cidade de Hamada, de cerca de 10 metros de comprimento e 1,2 de altura, foi derrubado pelas rajadas muito fortes.

Ele é do tipo tradicional chamado de dobei (土塀), resistente, feito de materiais naturais como óleo de colza, água, palha, argila, barro, cal e funori

Muro de décadas destruído pelo tufão (BSS)

Segundo os vizinhos, esse muro existia há décadas, mas não resistiu à força do tufão e caiu na terça-feira (20).

Por outro lado, ainda na cidade de Hamada, em Setogashima, na manhã de terça-feira, as ondas elevadas ultrapassaram o quebra-mar e danificaram seriamente uma fábrica de sal e uma de processamento de wakame.  

Acredita-se que o asfalto da calçada ao lado do quebra-mar foi removido pelas ondas e como se fossem folhas, foi levado pelo vento e atingiu diretamente as paredes e janelas da fábrica. Os cacos de vidro e paredes estavam espalhados por toda a fábrica, deixando os donos e funcionários assustados com o que aconteceu.

Danos causados pelas placas de asfalto que voaram (BSS)

Além disso, o guard rail de uma rodovia próxima foi arrancado pelas rajadas de vento, o qual ficou sobre o asfalto, impedindo o tráfego.

Segundo o dono da fábrica, as 6 caldeiras de sal estão seguras, mas a passagem que traz a água do mar foi destruída, então o trabalho está suspenso por enquanto.

Takuro Tabata, do Hamada Life Saving Club, disse que “já vi uma tampa de bueiro que foi removida, mas desta vez, até o asfalto… Foi horrível”.  

Guard rail arrancado pelos ventos, fica dobrado sobre a rodovia (BSS)

Fonte: BSS

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
UniFCV Japão - Educação a distância
Kumon - aprenda nihongo por correspondência