Forças dos Estados Unidos e da Coreia do Sul lançam 4 mísseis

Os lançamentos foram na manhã de quarta-feira com a finalidade de intimidar a Coreia do Norte.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Imagem ilustrativa dos lançamentos feitos em 6 de junho pelas forças dos Estados Unidos e Coreia do Sul (Chuo Nippo)

Os exércitos dos Estados Unidos e da Coreia do Sul informaram na quarta-feira (5) que lançaram 4 mísseis Army Tactical Missile Systems (ATACMS) em direção ao Mar do Leste, chamado de Mar do Japão nas terras nipônicas.

Publicidade

O motivo foi para intimidar a Coreia do Norte pelo lançamento do Míssil Balístico de Alcance Intermediário (IRBM) no dia anterior. 

De acordo com o Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul, os militares sul-coreanos e as forças americanas dispararam dois ATACMS cada um, com alvos virtuais para demonstrar a capacidade de resposta da força conjunta. 

O Estado-Maior Conjunto disse: “Demonstramos que temos a capacidade e o sistema para neutralizar a fonte da provocação, mantendo vigilância constante, independentemente de onde a Coreia do Norte esteja provocando”. 

Por outro lado, os militares sul-coreanos também lançaram um míssil balístico Hyunmoo-2 durante o fogo de resposta conjunta naquele dia, mas ocorreu um acidente em que o míssil caiu na base após realizar um voo anormal imediatamente após o lançamento.

O Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul disse que até agora não houve vítimas relacionadas a isso e que a causa exata foi identificada.

O míssil ATACMS tem um alcance de até 305,7km.

Fontes: NHK e Chuo Nippo

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Canon construirá planta de ¥50 bilhões para equipamento de fabricação de chips no Japão

Publicado em 5 de outubro de 2022, em Sociedade

A Canon planeja gastar ¥50 bilhões para construir uma nova planta destinada a produzir equipamento de litografia até a primavera de 2025.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

A Canon desenvolverá dispositivos de litografia para competir com a ASML (banco de imagens)

A Canon construirá uma nova planta de equipamentos de semicondutores no leste do Japão, soube o site Asia Nikkei, enquanto a companhia reflete grandes investimentos por rivais nos EUA, Coreia do Sul e Taiwan.

Publicidade

A nova planta será construída na província de Tochigi e começará a operar na primavera de 2025.

O investimento totalizará mais de ¥50 bilhões (US$345 milhões) incluindo custos de construção e instalação de equipamentos de produção. A companhia visa dobrar sua atual capacidade.

A Canon planeja aumentar a produção de equipamento de litografia, que é parte do processo fundamental de gravação de circuitos em semicondutores. A companhia também vai considerar a produção de sistemas de última geração capazes de criar circuitos finos de ponta a baixo custo.

Atualmente, a Canon produz equipamento similar em duas fábricas no Japão. O equipamento é usado para produzir chips destinados a aplicações como sistemas de controle automotivo.

A Canon controla 30% do mercado global para equipamento de litografia em uma base de volume, atrás da ASML, que conta por 60%.

A Intel e a Taiwan Semiconductor Manufacturing (TSMC) também anunciaram planos para construir novas plantas nos EUA e em outros países.

Fonte: Asia Nikkei

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância