Múmias com línguas de ouro são descobertas por arqueólogos no Egito

Línguas foram substituídas por microplaquetas de ouro para que as múmias pudessem falar com o deus egípcio dos mortos.

Inscrições egípcias e hieróglifos em tumba (ilustrativa/banco de imagens)

Arqueólogos no Egito descobriram várias tumbas antigas contendo múmias com línguas de ouro.

Publicidade

As múmias foram encontradas no antigo cemitério Qewaisna a cerca de 65Km ao norte do Cairo, remontando a 300 a.C e 640 d.C.

A missão arqueológica egípcia no Conselho Supremo de Arqueologia que estava trabalhando na região de Qewaisna em Monufia, revelou uma extensão do cemitério que incluía tumbas arqueológicas que remontam a diferentes períodos de tempo.

Em 2021, investigadores no local revelaram um crânio com um ornamento em formato de língua em sua boca. Até o fim daquele, múmias de um homem, uma mulher e uma criança foram encontradas com línguas de ouro.

O Dr. Mustafa Waziri, secretário-geral do Conselho Supremo para Arqueologia, disse que a missão havia encontrado várias microplaquetas de ouro na forma de línguas humanas nas bocas de algumas múmias, as quais estava em pobre estado de preservação.

Especialistas acreditam que as línguas reais das múmias foram removidas durante o processo de embalsamento e substituídas por microplaquetas de ouro para que os mortos pudessem falar com o antigo deus egípcio Osiris, que era o “Senhor do Submundo”.

Fonte: The Independent

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Fundador do Alibaba, Jack Ma, está vivendo no Japão após repressão na China

Publicado em 30 de novembro de 2022, em Ásia

Segundo reportagem, o fundador do Alibaba, Jack Ma, tem passado os últimos 6 meses com sua família em Tóquio e em outras partes do Japão, com visitas aos EUA e Israel.

Jack Ma, bilionário fundador do Alibaba, está vivendo no Japão (Wikimedia Commons/Foundations World Economic Forum)

O fundador do Alibaba, Jack Ma, está vivendo em Tóquio há quase 6 meses após desaparecer do olhar público depois da repressão da China sobre o setor de tecnologia, divulgou o Financial Times (FT) nesta quarta-feira (30), citando várias fontes não identificadas.

Publicidade

O bilionário mantém um comportamento pouco chamativo desde a repressão, que incluiu reguladoras chinesas rejeitando a oferta pública inicial do Ant Group de Ma e fixando multas recordes ao Alibaba.

Contudo, o FT disse que ele tem passado grande parte dos últimos 6 meses com sua família em Tóquio e em outras partes do Japão, com visitas aos EUA e Israel.

O jornal britânico disse que Ma tem frequentado vários clubes de membros privados em Tóquio e se tornou um “colecionador entusiasta” de arte moderna japonesa, assim como tem buscado expandir seus interesses de negócios em sustentabilidade.

Ma foi visto em outros lugares desde que desapareceu efetivamente do olhar público na China, incluindo na ilha espanhola de Maiorca no ano passado.

Nos últimos anos, autoridades chinesas tomaram ação contra alegadas práticas anticompetitivas por alguns dos maiores nomes da China, conduzidas por temores de que grandes empresas de internet controlem muitos dados e expandam muito rápido.

Em julho deste ano, uma reportagem disse que Ma planejava entregar o controle do Ant Group para acalmar reguladoras chinesas e reviver a unidade de pagamento digital IPO.

Sua gigante do e-commerce Alibaba reportou crescimento de receitas estável em agosto pela primeira vez, enquanto a China batalhava contra uma desaceleração econômica e ressurgimento de casos de covid-19.

Fonte: Japan Times

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
Life Card - cartão exclusivo para brasileiros