Kishida é bem recebido na Ucrânia e se reúne com Zelensky

O primeiro-ministro do Japão foi bem recebido na Ucrânia e as reuniões foram produtivas, com acordos para apoiar a reconstrução do país invadido.

Kishida e Zelensky no gabinete da presidência, na terça-feira (Gab. Pres.)

No início da manhã de quarta-feira (22), horário de Tóquio, e noite de terça-feira (21) no horário local, o primeiro-ministro Fumio Kishida deixou Kiev, capital da Ucrânia, após visitas e reunião de cúpula com o presidente Volodymyr Zelensky.

Publicidade

Os líderes dos dois países assinaram uma declaração conjunta sobre a parceria global especial. A cerimônia de assinatura ocorreu antes da coletiva de imprensa dos líderes em Kiev.

“Este documento reflete nossos valores, que defendemos juntos, e nossas aspirações, que ainda não foram concretizadas. Conquistamos as relações mais significativas ao longo de mais de 30 anos, mas isso é apenas a base para o que podemos alcançar no futuro”, disse Zelensky.

Na coletiva de imprensa conjunta, foi revelado que o Japão fornecerá equipamentos não letais à Ucrânia. O presidente Zelensky também anunciou que fará participação online da Cúpula do G7 em Hiroshima, depois do convite feito por Kishida.

“Gostaria que o presidente Zelensky abordasse a ameaça da Rússia de usar armas nucleares, na sua participação na Cúpula do G7 em Hiroshima. Como país presidente, reafirmei minha determinação em demonstrar liderança na defesa da ordem internacional baseada no estado de direito”, disse Kishida.

Como medidas adicionais de apoio à Ucrânia, que continua lutando contra a invasão da Rússia, o primeiro-ministro Kishida contribuirá com 30 milhões de dólares para o apoio a equipamentos não letais por meio do fundo fiduciário da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) e 400 milhões de dólares para o setor de energia. Transmitiu uma política de fornecimento de 70 milhões de dólares em assistência bilateral.

Coletiva de imprensa com os líderes do Japão e Ucrânia (Gab. Pres.)

O Japão já prometeu contribuir com um total de 7,1 bilhões de dólares para assistência humanitária e outros tipos, com esses 500 milhões de dólares adicionais, o valor total da assistência aumentará para US$ 7,6 bilhões.

O presidente Zelensky agradeceu a Fumio Kishida pelo apoio significativo ao seu país nos aspectos da segurança, econômico, político, sanções e humanitário.

Japão ajudará na reconstrução da Ucrânia

O presidente Zelensky acredita que a parceria Ucrânia-Japão fortalece a segurança global e aproxima o momento em que finalmente o país possa restaurar a paz e garantir aos ucranianos e a todos os povos do mundo a estabilidade, escreveu o jornal Ukrinform. “A liderança do Japão na implementação do Plano de Recuperação Rápida e na reconstrução pós-guerra da Ucrânia definitivamente criará novos rumos para o desenvolvimento da nossa sociedade e da japonesa, bem como das economias ucraniana e japonesa”, destacou o presidente.

O presidente enfatizou que a Ucrânia e o Japão alcançaram as relações mais significativas em mais de 30 anos, mas isso é apenas a base para o que pode ser alcançado no futuro.

Por sua vez, o primeiro-ministro do Japão enfatizou a solidariedade com a Ucrânia. Ele apreciou muito a coragem e paciência do povo ucraniano que está em defesa de sua pátria e liberdade.

Visita a Zelensky foi planejada em sigilo

Além disso, em relação a esta visita à Ucrânia, ele disse: “Com base no pedido do presidente Zelensky, coordenei cuidadosamente com o lado ucraniano para garantir a confidencialidade, gerenciamento de crises e medidas de segurança. Do ponto de vista das contramedidas, conduzimos rigorosos gerenciamento de informações com antecedência”.

Kishida oferece flores no local em Bucha (NHK)

Antes da reunião de cúpula, Kishida visitou Bucha, uma cidade no oblast de Kiev para oferecer condolências e flores aos soldados que morreram em combate.

Assista ao vídeo produzido pelo gabinete da presidência com cenas do encontro entre Kishida e Zelensky.

Fontes: NHK, Mainichi, Ukrinform e Gab. Pres. Ucrânia

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Candida auris: casos de infecção por fungo resistente a medicamentos aumentam nos EUA

Publicado em 22 de março de 2023, em Notícias do Mundo

Uma ameaça fúngica se espalha a uma taxa alarmante em instalações de saúde dos EUA, diz estudo.

Candida auris em imagem 3D (banco de imagens)

Casos clínicos de Candida auris, um fungo emergente considerado uma ameaça urgente, quase dobraram em 2021, de acordo com novos dados do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA.

Publicidade

Houve também uma triplicação do número de casos resistentes a echinocandis, a primeira linha de tratamento para infecções por Candida auris.

A pesquisa, publicada na segunda-feira (20) nos Anais de Medicina Interna, avaliou casos de Candida auris reportados ao CDC de 2016, ano em que casos foram registrados pela 1ª vez nos EUA, a 2021.

Os autores do estudo descobriram que casos clínicos aumentaram a cada ano, subindo de 53 em 2016 para 330 em 2018 e então disparando de 476 em 2019 para 1.471 em 2021.

Casos de Candida auris também expandiram geograficamente. Embora ela tenha sido inicialmente confinada em sua maioria às áreas da cidade de Nova Iorque e Chicago, ela agora está presente em mais da metade dos estados dos EUA. Entre 2019 e 2021, dezessete estados identificaram seus primeiros casos.

O CDC chamou a Candida auris de uma “ameaça urgente” porque ela é geralmente resistente a multimedicamentos, se espalha facilmente em instalações de cuidados da saúde e pode causar doença mortal.

Ela também é resistente a alguns desinfetantes comuns e pode ser sustentada na pele das pessoas sem causar sintomas, facilitando sua propagação a outros.

Os pesquisadores escreveram que o tempo dessa propagação aumentada sugere que ela pode ter sido exacerbada pela “cepa relacionada à pandemia sobre o sistema público de cuidados da saúde”.

“O rápido aumento e propagação geográfica de casos é preocupante e enfatiza a necessidade de vigilância continuada, capacidade de laboratório expandida, testes de diagnóstico mais rápidos e aderência para provar prevenção e controle de infecção”, disse a epidemiologista do CDC Meghan Lyman, autora líder do estudo em um comunicado de imprensa.

Pessoas saudáveis geralmente não adoecem em decorrência da Candida auris, de acordo com o CDC.

Ao invés disso é mais provável que afete pessoas as quais têm problemas médicos graves e precisam de longos períodos de internação em instalações de cuidados da saúde, pessoas com o sistema imune enfraquecido e aqueles com dispositivos médicos inseridos em seus corpos, como tubos de respiração ou cateteres.

A verificação para Candida auris pode ajudar a proteger as pessoas com risco aumentado de infecção grave.

Fonte: CNN

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Banco do Brasil - faça remessas com segurança!
Kumon - aprenda japonês e tenha mais oportunidades!