Geada em diversos locais como Gifu e Gunma: manhã mais fria deste outono

As pessoas tiveram que usar um agasalho e cachecol de outono de manhã, tanto para irem ao trabalho quanto para a escola.

Geada em Takayama, Gifu, às 7h de quarta-feira (Tokai TV)

O amanhecer de quarta-feira (4) foi frio nas 3 províncias da região Tokai, com a menor temperatura neste outono. O mesmo aconteceu em diversas outras regiões, como em Nagano, Okayama e Gunma.

Publicidade

Até as 7h foram registradas temperaturas mínimas de -6,4ºC em Ueda (Nagano), -2,6ºC em Niimi (Okayama) e em Tatebayashi (Gunma) teve geada.

Na cidade de Takayama (Gifu), também foi observada a geada, pois as plantas em geral e as flores receberam uma camadas superficial de gelo, por volta das 6h30.

Em Rokumaya, na cidade de Takayama, a temperatura mais baixa foi de 2,1 graus Celsius pouco antes das 6h, tornando-o o dia mais frio deste outono.

Já em Nagoia (Aichi), a temperatura mínima foi de 16,1 graus Celsius, fazendo as pessoas saírem com roupa de mangas compridas para o trabalho e escola.

Por causa dessa diferença de temperatura entre o início da manhã e à tarde, pois dependendo do local pode chegar a 20ºC, é preciso escolher roupas adequadas para usar de manhã e manter-se em boa forma física.

Geada em Tatebayashi, Gunma, às 6h de quarta-feira (WeatherNews)

Fontes: Tokai TV e WeatherNews

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Japão vai ajudar empresas de chips a transformar terras agrícolas em fábricas

Publicado em 4 de outubro de 2023, em Sociedade

A falta de terrenos representa um obstáculo para companhias que estão buscando mover fabricação de semicondutores para o Japão.

As mudanças cobrirão áreas relevantes à segurança econômica, como semicondutores, baterias e biotecnologia (ilustrativa/banco de imagens)

O Japão planeja relaxar regras em relação a construção em áreas como terras agrícolas e florestas já neste mês de dezembro, para aliviar uma escassez de terras que ameaça travar investimento em fábricas para produtos estrategicamente importantes, soube o site Nikkei.

Publicidade

As mudanças cobrirão áreas relevantes à segurança econômica, como semicondutores, baterias e biotecnologia.

O primeiro-ministro Fumio Kishida deve anunciar planos para mudanças regulatórias em um fórum nesta quarta-feira (4), reunindo ministros do Gabinete e representantes de negócios.

O Japão tinha cerca de 10 mil hectares de terreno industrial para venda a nível nacional desde o ano passado, dois terços do número de 2011, de acordo com o Ministério da Economia, Comércio e Indústria. Garantir mais terreno exige mudanças na designação de zoneamento, um processo demorado.

Uma lei japonesa para promover investimento regional permite exceções limitadas na proibição geral no desenvolvimento em “áreas de controle de urbanização” como florestas e terras agrícolas.

Governos locais têm permissão para aprovar construção de alguns tipos de instalações, incluindo depósitos para alimentos e centros de dados.

O governo planeja revisar os regulamentos para adicionar à lista fábricas destinadas a produtos estrategicamente importantes. Isso oferecerá mais flexibilidade para que autoridades locais atraiam tais instalações se elas não verem problemas de uma revitalização regional ou do ponto de vista ambiental.

O tempo necessário para aprovar desenvolvimento em terra agrícola, por exemplo, deve ser reduzido de 1 ano para 4 meses.

Instalações para fabricação de semicondutores exigem grandes trechos de terra, assim como um fornecimento de água limpa. Embora o iene fraco e a busca por redes estáveis de fornecimento estejam atraindo fabricação de volta para o Japão, o fornecimento de locais em potencial que podem atender a exigências é limitado.

Fonte: Asia Nikkei

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Aprenda NIHONGO com o Kumon!