Cardumes de água salgada até nos rios de província que não tem mar

Os rios de duas províncias de Kanto estão cheios de peixes do mar, aos milhões, nos rios.

Cardume gigante forra o rio na cidade de Kasumigaura, província de Ibaraki, no dia 17 (cedida por telespectador da NTV)

Milhões de peixes têm sido vistos nos rios da província de Ibaraki, a qual é banhada pelo Oceano Pacífico. 

Publicidade

“É impossível contar. São milhares, podem ser milhões”, disse uma mulher que testemunhou esses cardumes no rio.

Dois rapazes disseram para a reportagem que “desde a semana anterior, eram tantos que a superfície do rio parecia estar irregular”. Outro apontou o trecho mostrando de uma ponte a outra.

Parece ser compreensível que tantos peixes marinhos invadam os rios, pois se tratam das tainhas ou bora em japonês.

No entanto, foram vistos os mesmos peixes aos montes também na província de Saitama que não tem mar. Segundo as testemunhas, foram vistos em um rio da cidade de Kawagoe em 14 deste mês e, 3 dias depois, o volume aumentou ainda mais.

Imagem de um rio na cidade de Kawagoe (Saitama), enviada por um telespectador (NTV)

Makoto Kobayashi, o diretor do Aquário da Cidade de Kasumigaura (Ibaraki), foi questionado sobre o motivo desses peixes de água salgada estarem em rios.

“A tainha é um peixe que viaja entre o oceano e os rios, sendo frequentemente encontrada em águas salobras (que tem sabor parecido com a água do mar), onde os rios desembocam no mar. Quando o cardume chega ao rio procura um local quente, por isso é frequentemente encontrado nesses locais”, explicou.

Isso significa que os cardumes de tainhas subiram bastante para conseguirem chegar à província que não tem costa marítima. 

Em geral, os cardumes sobem os rios, não só em busca de um lugar quente, mas também que ofereça comida.

Se gosta de ver esse peixe, assista ao vídeo do noticiário no ponto:

Fonte: NTV

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Governo não vão mais fornecer subsídios para tratamento da Covid

Publicado em 21 de fevereiro de 2024, em Sociedade

Com o fim dos subsídios, pacientes de Covid terão que pagar o tratamento por conta.

O governo também eliminará pagamentos fornecidos a grandes hospitais que garantem leitos para pacientes de Covid (ilustrativa/banco de imagens)

O Japão planeja encerrar seus subsídios para medicamentos e internações relacionados à Covid-19 no mês que vem e com isso pacientes terão que pagar o tratamento por conta, disseram na terça-feira (20) representantes do governo.

Publicidade

O governo começou a cobrir integralmente despesas para medicamentos usados no tratamento da Covid-19 com fundos públicos em 2021.

O esquema foi reduzido em outubro passado, quando pacientes começaram a pagar entre ¥3 mil e ¥9 mil dependendo da idade e renda.

Após o auxílio ser eliminado no fim de março, o molnupiravir, um tratamento oral para prevenir sintomas graves, deverá custar mais de ¥90 mil por receita médica, ou cerca de ¥28 mil para pessoas cujo valor do próprio bolso sob o seguro público é de 30%.

Subsídios para custos de internação, atualmente estabelecidos a ¥10 mil por mês, também se encerrarão no próximo mês.

O governo também eliminará pagamentos fornecidos a grandes hospitais que garantem leitos para pacientes de coronavírus, que variam de ¥29 mil a ¥174 mil dependendo do estado das infecções.

Fonte: Nippon

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Banco do Brasil - faça remessas com segurança!
UNINTER - Faculdade ONLINE no Japão!