Loja da McDonald’s ofereceu a funcionários máscaras feitas com ‘fralda para cães’

Publicado em 13 de agosto de 2021, em Notícias do Mundo

Funcionários de uma loja da McDonald’s nos EUA alegaram que o chefe forneceu a eles máscaras feitas com fralda para cães e até filtro de café.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Os funcionários de uma franquia da rede em Oakland, na Califórnia, também receberam máscaras feitas com filtro de café (banco de imagens)

Já houve muitos confrontos em locais de trabalho desde o início da pandemia e uma das mais estranhas acaba de ser resolvida: o caso das máscaras feitas com fraldas para cães.

Publicidade

Funcionários de uma loja da McDonald’s em Oakland, na Califórnia, EUA, disseram que o chefe forneceu a eles máscaras feitas com fraldas para cães no lugar das convencionais no início da pandemia no ano passado. Eles também receberam o item de proteção feito com filtro de café.

Após se queixarem eles receberam máscaras apropriadas, mas foram orientados a lavá-las e reusá-las até desgastarem.

As acusações foram incluídas em uma ação judicial posterior, a qual alegou que a desatenção do dono da franquia à segurança resultou em um surto de Covid-19 entre trabalhadores e suas famílias.

Agora, os funcionários e o dono da franquia estão anunciando uma resolução em que a loja concordou aplicar uma série de medidas de segurança, incluindo distanciamento social, rastreamento de contato e política de licença paga por doença.

Advogados de ambos os lados disseram que eles não poderiam comentar sobre se o acordo incluiu um componente financeiro.

A queixa legal original buscou dinheiro para compensar os requerentes pelo sofrimento que eles passaram e custos que tiveram enquanto estavam doentes.

Além de lapsos de segurança e riscos aos trabalhadores, o processo acusou o dono da franquia de “assistir a criação” de incômodo público porque, de acordo com a queixa, funcionários que se infectaram no trabalho espalharam o coronavírus em suas comunidades.

De acordo com a ação judicial, pelo menos 25 pessoas, incluindo o bebê de 10 meses de um funcionário, se infectou de um surto que emanou da loja.

Fonte: New York Times

Poderia avaliar este conteúdo?

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!
Palavras-chave neste artigo

Vamos Comentar?

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Banco do Brasil - Japão
Info para brasileiros de Mie-ken