Estudos confirmam declínio de imunidade de vacina da Pfizer

Publicado em 8 de outubro de 2021, em Notícias do Mundo

Os estudos sustentam argumentos que mesmo pessoas completamente vacinadas precisam manter precauções contra infecção.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Mulher sendo vacinada (ilustrativa/banco de imagens)

Dois estudos de mundo real publicados na quarta-feira (6) confirmam que a proteção imune oferecida por duas doses da vacina contra Covid-19 da Pfizer cai após mais ou menos dois meses, embora proteção contra doença severa, hospitalização e morte continue forte.

Publicidade

Os estudos, de Israel e do Qatar e publicados no New England Journal of Medicine, sustentam argumentos que mesmo pessoas completamente vacinadas precisam manter precauções contra infecção.

Um estudo de Israel cobriu 4,8 mil profissionais da saúde e mostrou que níveis de anticorpos diminuíram rapidamente após duas doses de vacina “principalmente entre homens, entre pessoas com idade igual ou superior a 65 e entre pessoas com imunossupressão”.

Um segundo estudo do Qatar observou infecções reais entre a população altamente vacinada da pequena nação no Golfo. Essas pessoas foram vacinadas principalmente com o imunizante da Pfizer-BioNTech, também conhecido como BNT162b2.

“A proteção induzida pela BNT162b2 contra infecção se desenvolve rapidamente após a primeira dose, entra no pico no primeiro mês após a segunda dose, e então diminui gradualmente nos meses subsequentes”, escreveram Laith Abu-Raddad da Weil Cornell Medicine-Qatar e colegas.

“O processo de declínio parece acelerar após o 4º mês, para atingir um nível baixo de aproximadamente 20% nos meses subsequentes”, acrescentaram.

Entretanto, a proteção contra hospitalização e morte se manteve acima de 90%, disseram.

Comportamento

A proteção em declínio pode envolver comportamento, citaram eles. “Pessoas vacinadas presumivelmente têm uma taxa mais alta de contato social do que as não vacinadas e podem ter menos aderência a medidas de segurança”, escreveram.

“Esse comportamento poderia reduzir a eficácia do mundo real da vacina comparado com sua eficácia biológica, possivelmente explicando o declínio da proteção”.

Mas esse é um sinal de que os países devem se preparar para novos aumentos na Covid-19.

“Essas descobertas sugerem que uma grande proporção da população vacinada poderia perder sua proteção contra infecção nos próximos meses, talvez aumentando o potencial para novas ondas de epidemia”, escreveram.

A Pfizer vem argumentando que a imunidade das duas primeiras doses de sua vacina começa a diminuir após poucos meses.

Em setembro, a Pfizer obteve autorização da Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA para doses de reforço de seu imunizante para cerca de 6 meses após as pessoas finalizarem suas segundas doses.

Fonte: CNN

Poderia avaliar este conteúdo?

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!
Empregos no Japão 2021 - Jobs Online As melhores empreiteiras do Japão, vagas de empregos atualizadas, busque por província. clique para acessar >>
Palavras-chave neste artigo

Vamos Comentar?

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Banco do Brasil - Japão
Info para brasileiros de Mie-ken