Brasileiro preso por roubo no Don Quijote de Anjo (Aichi)

Roubo no Don Quijote de Aichi: a polícia prendeu um jovem brasileiro, e procura por outra pessoa que fugiu. Veja mais.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Bebês deixados nos 10 anos de Akachan Post: 1 dos 125 é estrangeiro

Publicado em 9 de maio de 2017, em Sociedade

O Akachan Post (local para deixar recém-nascidos) já salvou a vida de 125 bebês, dos quais 1 é estrangeiro. Saiba mais.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

imagem ilustrativa de bebê recém nascido (Pixabay)

Criado com o nome original de Kounotori no Yurikago (こうのとりのゆりかご), o qual significa Berço da Cegonha, é conhecido também como Akachan Post. Essa instituição que acolhe o bebê que seria abandonado em qualquer lugar, foi criada por iniciativa do Hospital Jikei, da cidade de Kumamoto (província homônima).

Publicidade

Instalada oficialmente em 10 de maio de 2.007, a mãe pode deixar o bebê de forma anônima, através de uma janela que se abre para um berço, instalado de forma a preservar a temperatura para o bebê a 36℃. O bebê lá deixado é resgatado imediatamente para receber os cuidados hospitalares. Junto com o bebê, a mãe pode também deixar uma carta.

Akachan Post salva o bebê da violência e preserva a vida

Se a mãe quiser conversar ou se consultar com alguém, pode tocar o interfone para ser atendida, caso queira se consultar. A finalidade do Berço da Cegonha não é simplesmente acolher o bebê que a mãe não pode criar ou rejeita. Também cumpre o papel de ouvir a mãe e fazer aconselhamento.

A instituição tem como principais objetivos evitar o assassinato, a violência ou o abandono da criação, preservando a vida do bebê. Através da rede de adoção existente no país, sempre há casais dispostos a criar o bebê como novo integrante da família.

O centro de atendimento recebeu, no ano de 2.016, 6.565 consultas relacionadas à gestação e parto, por parte das mulheres que não sabiam o que fazer com a vinda de um novo ser. Comparando com o primeiro ano de instalação, 10 anos atrás, esse número se multiplicou em 13, pois saltou de 501 consultas para quase 7 mil.

janela do Akachan Post para salvar a vida do bebê, também tem interfone para a mãe (Mainichi)

Bebês que nasceram dentro do carro e dificuldade das mães

Nos seus 10 anos de criação, a instituição recebeu pouco mais de uma centena de bebês. Segundo informações, as estatísticas até março do ano passado, registram 125 bebês.

A entidade informou para o Asahi que dos 125 bebês, quase 50% deles não nasceram assistidos por uma instituição hospitalar. “Sem procurarem um hospital, 57 deram à luz em casa ou dentro do carro”, informa.

Apesar do Berço da Cegonha ou Akachan Post estar instalado no hospital de Kumamoto, os bebês lá deixados vem de Hokkaido a Kyushu, inclusive 1 do exterior ou estrangeiro. Dos 125 bebês, 104 tinham menos de 1 mês, 14 com menos de 1 ano e 7 com mais de 1 ano. Dentre eles, 11 tinham algum tipo de deficiência.

Maioria de mães jovens que deixam o bebê no Akachan Post

Segundo informação colhida pelo jornal Asahi, junto a um responsável pela instituição, houve um caso de uma jovem mãe que deixou uma carta explicando que ela e o parceiro ainda eram estudantes e não tinham condições de cuidar do filho. O bebê foi deixado com absorvente higiênico ao invés da fralda. O Akachan post também detectou que houve casos de mães que não queriam o bebê por ser fruto de estupro ou de gestação precoce, como de uma delas, com 11 anos.

Observando a faixa etária das mães que deixam seus bebês, quase a metade é jovem.

  • 15: teen
  • 45: faixa dos 20 anos
  • 28: faixa dos 30 anos
  • 8: faixa dos 40 anos
  • 29: não se sabe

Seja através das cartas ou das conversas pelo interfone, os números expressam os motivos de cortar o laço entre pais e bebês lá deixados. Os principais, em respostas múltiplas, ilustram problemas emocionais, financeiros, familiares e sociais. Confira abaixo:

  • 32: passa necessidade
  • 27: mãe solteira
  • 24: problema com o koseki/sociedade
  • 22: problema com o parceiro
  • 16: adultério
  • 10: contrariedade dos pais
  • 10: rejeição ao bebê
  • 4: insegurança para criar o bebê ou sentimento de fardo

 

Fontes: Chunichi, Nishi Nippon, Asahi e Mainichi
Fotos: Pixabay e Mainichi

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
UniFCV Japão - Educação a distância