Símbolo de Okinawa é destruído pelo fogo

O Castelo de Shuri, patrimônio mundial, foi quase todo destruído pelo incêndio que começou de madrugada.

Monumento principal do Castelo de Shuri consumido pelo fogo (Asahi)

Por volta das 2h40 de quinta-feira (31) o Corpo de Bombeiros de Naha (Okinawa) recebeu chamada da empresa de segurança, avisando sobre o incêndio no Castelo de Shuri, monumento e área tombados pelo patrimônio nacional.

Publicidade

De acordo com informações da polícia os salões principal (正殿), norte (北殿) e sul (南殿) foram destruídos pelo fogo.

Mais de 10 unidades dos caminhões de combate às chamas foram enviados para o patrimônio, cujas estruturas são de madeira. 

Às 7h o fogo ainda não tinha sido extinto, conforme imagem aérea (ANN)

Como o incêndio se alastrou, bombeiros e policiais instruíram os residentes vizinhos do Castelo de Shuri para evacuar para um salão público próximo.

A companhia de segurança é que percebeu o fogo pelo sensor e quando um dos vigias foi conferir já estava instalado o incêndio no salão principal. Não há relatos de vítimas, mas um dos bombeiros teve desidratação e foi internado. 

Pessoas relacionadas ao Festival do Castelo de Shuri estiveram trabalhando até tarde da noite, no salão principal. Elas já tinham deixado o local quando o incêndio começou mas estão sendo ouvidas para apurar a causa.

A imprensa entrevistou várias pessoas que moram nas imediações, as quais lamentaram e respondiam chorando às entrevistas.

Patrimônio de Okinawa e da cultura Ryukyu

Salão principal do Castelo de Shuri, em dezembro de 2018 (Asahi)

O Castelo de Shuri foi por 450 anos o centro da política e da cultura no Reino Ryukyu (1429 a 1879), mas foi destruído em 1945 pela Batalha de Okinawa na Segunda Guerra Mundial. 

O portão do guardião foi restaurado em 1958 e a restauração do salão principal foi concluída em 1992. Em 2000 as ruínas do Castelo Shuri foram registradas como Patrimônio Mundial como “Gusuku e grupos relacionados ao patrimônio do Reino Ryukyu”.

O salão principal do Castelo Shuri se deteriorou devido à forte luz do sol, vento e chuva, por isso, em dezembro do ano passado, o trabalho de repintura de laca foi concluído depois de 2 anos e 3 meses. Foi a primeira vez que essa obra foi realizada desde a abertura do parque em 1992. A repintura com laca natural demanda tempo pois é um trabalho artesanal refinado.

Fontes: ANN, Asahi, NHK e Okinawa Times

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Empresa inclui ‘imposto’ a pratos de fritura servidos em seu refeitório

Publicado em 31 de outubro de 2019, em Sociedade

A empresa decidiu “cortar a gordura” após exames médicos em 2017 terem mostrado que pelo menos 45 por cento de seus funcionários tinham altos níveis de LDL, o colesterol “ruim”.

Um prato de chicken nanban (ilustrativa/banco de imagens PM)

A sede da Yahoo Japan em Tóquio está impondo um “imposto de fritura” em seu refeitório para promover estilos de vida mais saudáveis entre seus funcionários.

Publicidade

Sob o sistema que entrou em vigor no dia 8 de outubro, os preços para refeições que incluem frituras, como tonkatsu (costela de porco empanada e frita) aumentaram, enquanto pratos que vão peixes grelhados ou cozidos custam menos.

A empresa decidiu “cortar a gordura” após exames médicos em 2017 terem mostrado que pelo menos 45 por cento dos funcionários tinham altos níveis de LDL, o colesterol “ruim”.

Cerca de mil funcionários almoçam no refeitório todos os dias e pratos que incluem frituras foram bem mais populares do que o de peixes grelhados ou cozidos.

Em 8 de outubro, o preço do chicken nanban (frango frito com molho tártaro) servido no refeitório da empresa aumentou em 100 ienes, sendo vendido a 691 ienes.

Por outro lado, o peixe cozido cavala no molho de missô com “kenchin-jiru”, sopa de vegetais, custa 543 ienes, redução de 150 ienes.

No prato de chicken nanban (à esq.) são cobrados 100 ienes de imposto de fritura, já na refeição que vai peixe (à dir.) houve redução de 150 ienes no valor (Asahi)

Até o fim do horário de almoço, todos os 375 pratos de peixe estavam esgotados, ultrapassando as 275 porções de nanban.

“O prato que vai peixe cozido nunca excedeu 200”, disse um funcionário da Yahoo Japan. “Acho que o novo sistema teve um grande efeito”.

Em abril e maio antes do aumento de preço, o número diário de pratos à base de peixe vendidos no refeitório era de aproximadamente 128, comparado a 480 para os que incluíam frituras.

Fonte: Asahi

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
Life Card - cartão exclusivo para brasileiros