Parque do período 300a.C em Nara: túnel do tempo

Um novo parque para visita pública será inaugurado em Nara, como importante sítio arqueológico do Período Yayoi. Vale a pena ir até lá!

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

O novo parque permite ver e sentir como viviam os japoneses 300 anos antes de Cristo (Sankei)

O período Yayoi é datado de 300a.C. a 250d.C., marcando a idade do ferro no Japão. O povo dessa época tão antiga já produzia cerâmica, materiais para agricultura feitos de bronze, tecidos, vivia em construções de madeira e rochas.

Publicidade

Em Tawaramoto-cho (Nara) será inaugurado em 17 deste mês um grande parque de cerca de 100 mil metros quadrados onde tem um sítio arqueológico muito importante.

Reprodução gráfica da maior aldeia do período Yayoi, em Nara (divulgação)

No local havia a maior aldeia do período Yayoi, a qual ocupava uma área de 420 mil metros quadrados.

Desse sítio arqueológico que foi designado patrimônio histórico em 1999, foram encontrados diversos objetos de decoração e arquitetura da época, além de utensílios usados pelo povo.

Desde 2009 a cidade vem investindo na construção do parque, como um monumento histórico do país, incluindo o Lago Karako.

Novo parque em Nara, com o lago Karako e paisagem idêntica à época (Sankei)

Foram reproduzidos o símbolo do período, de acordo com os desenhos feitos nas cerâmicas, como uma bela torre de 12,5 metros de altura próxima ao lago.

Reprodução fiel da torre da época, em arquitetura avançada (divulgação)

Do lado oeste do parque foi construída uma parada para os veículos (michi no eki) chamada Resty Karako-kagi (レスティ 唐古・鍵). Essa será inaugurada no dia 20.

É um parque onde os visitantes poderão sentir o período Yayoi. Convidativo para os estudantes presenciarem a história do Japão, um período importante. A recriação da paisagem do período, incluindo as rurais, fazem a pessoa refletir sobre como era a vida da época. Também é possível ver a olho nu a preservação das reservas subterrâneas. No lado sul do parque, as ruínas dos grandes edifícios da época encontradas nas escavações são representados apenas por pilares.

Para reproduzir o cenário de Yayoi, foram plantadas árvores e flores de acordo com a vegetação da época. É recomendado fazer passeios pela natureza da época, como caminhadas para observação das plantas e seres vivos.

Que tal fazer uma viagem no túnel do tempo e conhecer como viviam os ancestrais?

Para saber como chegar ao Parque Karako-kagi toque aqui (唐古・鍵遺跡史跡公園, lê-se Karako-kagi Iseki Shiseki Koen – Parque das Ruínas do Sítio Arqueológico Karako-kagi) .

Assista ao vídeo produzido pela Sankei.

Fontes e fotos: Sankei e divulgação 

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Japonês de 112 anos é reconhecido como o homem mais velho do mundo

Publicado em 11 de abril de 2018, em Sociedade

Ao receber um certificado em sua casa, Nonaka fez um sinal da vitória com seus dedos e disse “Obrigado”.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Masazo Nonaka de 112 anos é o homem mais velho do mundo (Guinness World Records)

Masazo Nonaka, um japonês de 112 anos de Hokkaido foi reconhecido como o homem mais velho do mundo, informou o World Guinness Records na terça-feira (10).

Publicidade

Nonaka nasceu na vila de Ashoro em 25 de julho de 1905, ano em que Albert Einstein publicou sua teoria da relatividade.

O Guinness vinha tentando confirmar a existência do homem mais velho no mundo após o detentor anterior do título, Yisrael Kritsal, ter morrido em agosto passado aos 113 anos.

Nonaka vive com sua família. Sua esposa, com quem ele teve dois filhos e três filhas, morreu em 1992.

Ao receber um certificado das mãos de uma representante do Guinness em sua casa, Nonaka fez um sinal da vitória com seus dedos e disse “Obrigado”.

Nonaka usa uma cadeira de rodas, mas não precisa de cuidado especial em sua vida diária. Ele lê jornais todas as manhãs e assiste a lutas de sumô e óperas na tevê.

“O êxito de Nonaka é extraordinário – ele pode nos ensinar uma importante lição sobre o valor da vida e como ampliar os limites da longevidade humana”, disse Criag Glenday, editor chefe do Guinness.

O Japão é um dos países de exemplo para longevidade. Nabi Tajima, uma japonesa de 117 anos residente na província de Kagoshima, provavelmente será reconhecida como a mulher mais velha do mundo, após a morte de Viole Brown da Jamaica, a detentora anterior do título, que morreu aos 117 em setembro.

Fonte: Mainichi
Imagem: Guinness World Records

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Kumon - aprenda japonês e tenha oportunidades