Entrevista com Caroline Miyasaki a Gata de Janeiro

Confira a entrevista exclusiva com Caroline Miyasaki a Gata de Janeiro!!

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Caroline Miyasaki, é de uma beleza única, graças ao seus olhos grandes e perfeitamente simétricos com o seu rosto, corpo exuberante e alta. Depois de sua aparições como repórter em eventos e shows aqui no Japão, sua beleza não passou despercebida e posou para as lentes do fotógrafo do Portal Mie Clayton Moraes. Sem mais delongas vamos para a entrevista com essa gata.

Publicidade


Portal Mie: Quando surgiu esse interesse por ser repórter?
Caroline Miyasaki: Desde criança eu queria trabalhar no meio da comunicação, publicidade e entretenimento. Aqui no Japão tive a oportunidade de trabalhar como repórter e é muito bom trabalhar com o que você gosta. Não levo como trabalho sempre estou me divertindo ou conhecendo novos lugares e pessoas.

Portal Mie: Você já passou por alguma situação ruim com algum entrevistado?
Caroline Miyasaki: Todos sempre foram maravilhosos comigo, mesmo tendo dias que eu estava nervosa, com sono ou com vergonha. Mas já levei um Não de dois cantores internacionalmente conhecidíssimos. A primeira simplesmente fechou a porta na minha cara e chamou os seguranças e o segundo apenas não saiu do camarim mesmo.


Portal Mie: Saindo um pouco dessa pauta repórter, a quanto tempo está no Japão, estudou aqui? Conte um pouco sobre você para os nossos leitores.
Caroline Miyasaki:
Eu vim pro Japão sozinha com 17 anos, depois de acabar todos os estudos no Brasil. Pra conseguir o visto japonês tive que lutar contra o tempo porque se completasse 18 anos e logo a maioridade, nunca conseguiria o visto residencial aqui no Japão porque sou da quarta geração. Aqui no Japão eu só tinha o meu pai, mas ele se casou novamente e a família cresceu. A ideia era apenas juntar dinheiro para fazer faculdade de publicidade ou jornalismo no Brasil, mas comecei a amar o Japão me apegando com tudo e todos e deixei a faculdade como segundo plano. Além disso amo tocar piano, violino, jogar vídeo game e desenhar. Trabalho também com edição de vídeo e faço vlogs para o YouTube com uma amiga.

Portal Mie: Hoje em dia atrizes, modelos e até mesmo repórter entraram para esse mundo dos Youtubers, isso também atrai você de alguma forma?
Caroline Miyasaki: Sim, mas hoje em dia o YouTube está bem rígido e não é como antes, tudo se resume em views e dinheiro. Eu tenho um canal no YouTube mas não sou fissurada por dinheiro e curtidas e faço vídeos por diversão e para alguma forma assistir aquilo daqui uns anos e lembrar dos bons momentos que vivi aqui no Japão.

Portal Mie: Quais são seus lugares preferidos para passear no Japão?
Caroline Miyasaki: Acho que já fiquei 8 horas em lojas de roupas e maquiagens aqui no Japão então acho que é meu lugar favorito. Mas muito gosto também de passear em lugares tipo parques de diversão e aqueles lugares que tem dardo e sinuca pra jogar e em rios.

Portal Mie: Quais são seus cuidados de beleza?
Caroline Miyasaki; O que eu tenho mais cuidado é com o rosto. Uma mulher com a pele hidratada, sobrancelhas feitas e com os cílios alongados não quer guerra com ninguém, né?! Segunda coisa é fazer sempre hidratação no cabelo. Já tive corte químico no cabelo e quase fiquei careca então hoje em dia tenho muito cuidado com meu cabelo, não uso química, evito chapinha e sempre seco bem depois de lavá-los.

Portal Mie: Se você pudesse viver em qualquer lugar do mundo, onde seria?
Caroline Miyasaki: a Irlanda ou aqui mesmo no Japão. A segurança que existe aqui no Japão é perfeita e eu sempre me surpreendo a cada dia.

Portal Mie: Como você enxerga o Brasil vivendo aqui no Japão?
Caroline Miyasaki: Cara, o Brasil tem tudo para melhorar e espero que isso aconteça com políticos menos corruptos e acima de tudo a educação e segurança.


Portal Mie: Em nome da equipe do Portal Mie gostaria de agradecer por sua atenção e simpatia, esse espaço é para os seus agradecimentos.
Caroline Miyasaki: Eu que agradeço a oportunidade de estar aqui, onde tantas meninas lindas e talentosas já passaram e muitas irão passar. Não estava esperando pelo convite e quase caí quando ouvi a proposta!

Quero agradecer a Patricia Yamamoto da Garota Nacional Fashion pelos looks maravilhosos e também ao fotógrafo Clayton Moraes que arrasa muito nas fotos, inclusive ele brinca muito durante o ensaio e fiquei muito a vontade (amei), um ótimo profissional.

Confira as fotos deste ensaio na seção Gata do Portal a partir do dia 01 de janeiro.

Reportagem
Clayton Moraes – Fotógrafo & Colunista
Fotos – cedidas

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

A banda de Rock Fire Desire

Publicado em 27 de novembro de 2019, em
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Um quarteto daqui do Japão vêm chamando a atenção devido suas apresentações enérgicas, um consistente trabalho sonoro e principalmente pelas pitadas de revolta, mostrando como vencer em um determinado objetivo e seguir de cabeça erguida envolvidas em suas letras.

Publicidade


O nome desse grupo é Fire Desire, o que pode ser a fantasia de muitos, é a realidade em termos de música para essa galera. A malícia, o flerte com aquele Rock bem misturado que cada um dos integrantes tem na veia, com um toque de modernidade da atual cena do Rock mundial.

Então vamos ao que interessa, batemos um ótimo papo com Marcos Watanabe, o vocalista da banda e você confere abaixo, se liga!

Portal Mie: Primeiramente é um prazer poder falar um pouco de vocês em nosso site. Gostaríamos de saber como foi o início do Fire Desire?
Marcos Watanabe: A banda vem de uma antiga formação que acabou não dando certo e com o término dessa antiga, os membros que sobraram eu (Marcos Watanabe- vocal), Guilherme (baixista), Fernando (baterista) e oThiago Zurdo (guitarrista) montamos a Fire Desire. O foco da Fire Desire sempre foi desde o princípio as músicas autorais e deixar um pouco de lado os covers, dando ênfase sempre na língua inglesa.


Portal Mie: Quais são as influências que estão presentes no som de vocês? Tem alguma banda brazuca que vocês se inspiram?
Marcos Watanabe: Nossas influências são variadas de acordo com os membros, eu (Marcos Watanabe) sempre ouvi muito rock em geral porém sempre caindo um pouco para o Grunge (Pearl Jam, SoundGarden e afins), já o Fernando veio da cena do Hardcore brasileiro (DeadFish, Raimundos e etc), porém sempre também de olho na cena americana, Guilherme tem influências que vão de Flea (Red Hot Chilli Peppers) até Duff Macken (Guns Rose, Velvet Revolver) e por sua vez Thiago Zurdo seguiu influências de Slash (Guns Roses), Joe Satriani, Eddie Van Halem e até música popular brasileira. Atualmente a Fire Desire tem inspirações em bandas brasileiras como Angra, Sepultura, Nocturnal que seguem uma carreira consolidada internacionalmente, embora o estilo de rock seja um pouco diferente a Fire Desire tenta se espelhar na representatividade que essas bandas tem.

Portal Mie: Como vocês acham que as mídias olham para a cena independente? E ela dá a força que é necessária ou hoje a cena consegue se sustentar por si só?
Marcos Watanabe: A cena independente pelo nome já diz que sempre foi auto de si. Atualmente no Japão pode se dizer que a cena existe e tem um certo destaque, percebo que as mídias e os veículos de comunicação tem olhado por nós mediante do que se pode ser feito e dentro de suas limitações.


Portal Mie: Existem várias bandas que tem uma diferença enorme entre as músicas gravadas e ao vivo, e a presença de palco de vocês é visível e admirável. Vocês acham que isso é um diferencial ou é uma obrigação?
Marcos Watanabe: Primeiramente agradecemos e ficamos lisonjeados com os elogios, significa muito pra nós. Voltando a pergunta, para nós isso é o mínimo que deve ser feito para que um trabalho de qualidade e respeito ao público seja devidamente entregue (que por curiosidade antes de nós já existiam outras bandas no cenário de Nagoya, como a Troyl, Building Trees, Punhalada e etc, que já seguiam e executavam essa linha de pensamento), porém tem o outro lado que infelizmente foi isso que nos diferenciou nos circuitos de bares.

Portal Mie: Quais as mensagens que pretendem passar para o público de vocês?
Marcos Watanabe: As nossas letras tem mensagens diversificadas, algumas mais “revoltadas” e outras mais imersivas porém sempre focando em algo positivo, como vencer em um determinado objetivo e seguir de cabeça erguida.


Portal Mie: Por que o nome Fire Desire?
Marcos Watanabe: O nome “Fire Desire” veio da letra da nossa primeira composição “ Feel These Fire”, que marcou a nossa volta e o nosso desejo de tocar, de fazer rock, basicamente o Desejo de Fogo.

Portal Mie: A possível comparações e rótulos com outras bandas, muito comuns no rock em geral, como lidam com essa situação ou nem passa isso na cabeça de vocês?.
Marcos Watanabe: Nesse quesito é algo que não nos preocupa, pela cena (Nagoya) em si ser amistosa não acaba ocorrendo esse tipo de situação, porém nos circuitos de bares do Japão acredito que isso seja mais comum mas também continua sendo algo que não nos incomoda.

Portal Mie: Como vocês olham para os bares e casas de show aqui no Japão? Ainda falta espaço para as bandas autorais?
Marcos Watanabe: Primeiramente a função de todos os bares é essencial, porque é ali que começa tudo. Acredito que os bares em si oferecem o devido espaço, porém o que é escasso são as bandas autorais, não adianta existir o prato se não existe a refeição.


Portal Mie: Vocês têm um som diferenciado, que foge um pouco dos estilos musicais de outras bandas e cantores brasileiros aqui no Japão. Como foi essa recepção inicial das pessoas? Houve ou ainda há resistências?
Marcos Watanabe: A princípio a única critica era porque tocávamos somente em inglês, porém sempre “batemos os pés” com o nossos princípios, chegou até acontecer um episódio em que ouvimos que o nosso rock não cabia com o público brasileiro no Japão, pelo simples fato de não ser tão popular como outros estilos (sertanejo, pop, funk e pagode), mas continuamos sempre seguindo firmes e fortes mediante a esse tipo situação.

Portal Mie: Em nome da equipe do Portal Mie, agradeço pela atenção e dedicação na entrevista! Esse espaço é livre para qualquer recado que queiram dar para os visitantes desse site.
Marcos Watanabe: Gostaríamos de agradecer ao espaço e a oportunidade, o carinho que o público sempre teve conosco, por sempre estarem atentos à página da banda, nos acompanhando e muitas vezes até pedindo por mais shows. A Fire Desire atualmente está em fase de pré produção com a produtora e gravadora Fusão Estúdio, então podem aguardar novidades pois a cada show que se passa sempre estaremos levando uma ou duas músicas novas(autoral). E também não poderia deixar de agradecer ao fotógrafo do Portal Mie, Clayton Moraes que sempre esteve acompanhando de perto a Fire Desire. Um abraço a todos, fiquem com Deus e continuem atentos na Fire Desire!

Contatos com a banda
Instagran: Fire Desire
Facebook: Fire Desire
YouTube: Fire Desire
Contato para Shows: 080-6910-6601

Fotos da banda Fire Desire no Japão

Clique na imagem para expandir

Reportagem
Clayton Moraes – Fotógrafo & Colunista
Fotos – cedidas

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Kumon - aprenda japonês e tenha oportunidades