Mistério dos telefones do Garfield que surgem em praias é solucionado 30 anos depois

O mistério por trás de aparelhos de telefone com formato do gato dos quadrinhos que atormentaram praias pitorescas na França por décadas foi solucionado.

Em 2018, defensores do grupo antilixo Ar Vilantsou tornou o telefone um símbolo de poluição por plástico nas praias da região de Finistère – parte da qual é designada um parque marinho (imagem dos telefones Garfield – FRED TANNEAU/AFP)

Uma comunidade costeira na França finalmente solucionou o mistério por trás de aparelhos de telefone do Garfield que marcou suas praias pitorescas por décadas.

Publicidade

Desde os anos 1980, a costa de Iroise na Bretanha recebe um estoque de aparelhos de telefone de cor laranja com formato do famoso gato dos quadrinhos.

Ativistas antilixo vêm recolhendo fragmentos dos aparelhos por anos enquanto limpam as praias.

Mas agora a fonte do problema foi encontrada – um contêiner de transporte perdido.

Em 2018, defensores do grupo antilixo Ar Vilantsou tornou o telefone um símbolo de poluição por plástico nas praias da região de Finistère – parte da qual é designada um parque marinho.

Usado como aparelho doméstico comum, os olhos do Garfield se abrem quando o telefone é tirado do gancho e milhares foram fabricados e vendidos durante os anos 1980. Hoje em dia, colecionadores ainda compram e vendem online o telefone vintage.

As equipes de limpeza de praias suspeitaram há muito tempo que um contêiner de transporte perdido havia regurgitado sua preciosa carga laranja. Mas eles nunca conseguiram encontrá-lo.

A atenção da mídia para a nova campanha, no entanto, atraiu a atenção de um fazendeiro local que lembrou da primeira vez que o téléphone Garfield apareceu após uma tempestade no início dos anos 1980, quando ele ainda era jovem.

Ele também sabia a localização do contêiner – em uma caverna no mar isolada e acessível apensa quando a maré está baixa.

“Você tinha que realmente conhecer bem a área”, disse ele à Franceinfo, que havia feito a cobertura da campanha. “Encontramos um contêiner encalhado em uma fenda. Estava aberto. Muitas das coisas haviam sumido, mas havia um estoque de telefones”, lembrou.

Membros do grupo Ar Viltansou, acompanhados por jornalistas da Franceinfo, se organizaram para encontrá-lo.

Escalando as rochas escorregadias até a caverna, a equipe avistou vestígios de um contêiner de transporte destruído – e logo, entre as rochas, telefones do Garfield – em uma condição mais completa do que qualquer outro encontrado antes deles.

Telefones vinham sendo encontrados há décadas em litoral francês (Le Monde)

“Essa é a primeira vez em nossas vidas que vimos isso”, disse aos repórteres Claire Simonin-Le Meur, membro do grupo.

Dentro da fenda rochosa, eles encontraram plástico laranja saindo por trás das rochas. O contêiner parecia se manter como algo enterrado após três décadas.

O contêiner continua inacessível e não se sabe o quanto de sua carga está ali. Uma outra questão é que os itens que escaparam e continuam a aparecer nas praias da Bretanha.

Nesse meio tempo, tanto a Ar Viltansou quanto autoridades locais disseram que vão continuar recolhendo Garfields do litoral.

Fonte: BBC

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Navio baleeiro parte para última pesquisa e depois à caça comercial

Publicado em 29 de março de 2019, em Sociedade

Um navio baleeiro parte de Taiji, em Wakayama, para as atividades de pesquisa no Oceano Pacífico, com vistas à caça comercial das baleias.

Familiares e amigos se despedem dos tripulantes do navio baleeiro (Sankei)

O navio baleeiro de pequeno porte, o Dai Nana Katsu Maru, de 32 toneladas, partiu às 10h do Porto de Taiji (Wakayama), com 6 tripulantes para a última pesquisa sobre as baleias no Oceano Pacífico.

Publicidade

Em resposta à decisão do governo de retirar-se da Comissão Internacional da Baleia-IWC, a equipe do navio retomará a caça comercial em julho, depois de 31 anos.

Cercado pelos familiares e amigos o capitão Takashi Takeuchi, 40, declarou “este ano, com a reabertura comercial a energia é outra. Queremos que a população de todo país coma excelente carne de baleia”.

Segundo informações da cooperativa dos pescadores o navio Dai Nana Katsu Maru se juntará às frotas de outras províncias, como Hokkaido, por exemplo. Até junho vão capturar algumas baleias-de-minke, conhecidas também como baleias-anã, em Aomori e pesquisarão juntos a idade, peso e outras avaliações.

Depois de julho atuarão na captura com o objetivo comercial, nas águas de Hokkaido e Chiba, até final de outubro.

Fontes: ANN e Sankei

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
Empregos no Japão - HUMAN