Aumento de países com restrições de entrada para Japão e outros

Alguns têm proibição e outros estão com restrições, tanto para os passageiros do Japão como de outros países. Antes de viajar confira a informação.

Aeroporto Internacional de Narita (Flickr)

Até as 6h de segunda-feira (23) o número de países com restrição ou proibição de entrada de passageiros do Japão e de outros locais, aumentou para 158, segundo informação do Ministério das Relações Exteriores. 

Publicidade

Muitos dos países listados têm, além da restrição, ordens de cumprimento de normas, como obrigatoriedade de quarentena ou outros procedimentos.

Alguns dos países não restringem apenas os passageiros japoneses, mas de todas as nacionalidades. 

A informação é baseada principalmente em anúncios feitos oficialmente pelas autoridades locais. Porém, como as medidas adotadas por cada país em relação ao novo coronavírus são extremamente fluidas, existe a possibilidade do conteúdo sofrer alteração a qualquer momento.

Por isso, antes de viajar convém se informar na embaixada ou consulado do país.

158 países com entrada proibida ou restrita para passageiros do Japão e de outros locais (PM)

77 Países têm restrições de ação após a entrada

Islândia, Irlanda, Azerbaijão, Emirados Árabes Unidos, Albânia, Irã, Índia, Uruguai, Estônia, Zattini, Etiópia, Gana, Gabão, Guiné, Chipre, Cuba, Guatemala, Granada, Croácia, Quênia, Costa Rica, República Democrática do Congo, Zâmbia, Serra Leoa, Gibraltar, Jamaica, Singapura, Zimbábue, Sri Lanka, Eslováquia, Senegal, Sérvia, São Cristóvão e Nevis, Santa Lúcia, Ilhas Salomão, Tailândia,Taiwan, China, Chile, Togo, Turquia, Nigéria, Nova Caledônia, Nepal, Noruega, Bahrain, Panamá, Paraguai, Palestina, Bangladesh, Timor Leste, Fiji, Polinésia Francesa, Brunei, Estados Unidos, Vietnã, Benin, Belize, Polônia, Bolívia, Portugal, Hong Kong, Honduras, Macau, Malawi, Malta, África do Sul, Myanmar, Mônaco, Maldivas, Montenegro, Laos, Letônia, Lituânia, Romênia, Ruanda e Rússia.

Japão também tem restrições

Por outro lado o Japão também tem restrições e pode impedir a entrada de passageiros provenientes de determinados locais e países. 

São os estrangeiros provenientes de determinadas regiões, os quais permaneceram até 14 dias nesses locais, antes do desembarque no Japão.

  • China: províncias de Hubei e Zhejiang
  • Coreia do Sul: algumas localidades mais graves 
  • Irã: algumas localidades mais graves
  • Itália: algumas localidades mais graves
  • San Marino
  • Suíça: Ticino e Basel-Stadt
  • Espanha: Navarra, Basco, Madri, La Rioja
  • Hong Kong: passageiros do navio Weterdam

Na quinta-feira (19) o governo decidiu que viajantes provenientes de 38 países, mesmo sendo cidadão japonês, terão que passar por um período de quarentena (2 semanas) em local designado. São de países da UE-União Europeia, Irã, Iraque e Egito.

Quarentena para quem vem dos EUA

A partir de 26 todos os passageiros vindos dos Estados Unidos, independente da nacionalidade, portanto, incluindo os japoneses, deverão ficar 2 semanas em locais designados – casa ou hotel – por duas semanas de observação, sem poder usar transporte público.

Medidas mais rigorosas

“Além das medidas para impedir a propagação da infecção no Japão, continuaremos a monitorar e analisar de perto o status de outros países para adotar medidas rigorosas nas fronteiras”, declarou o Primeiro-Ministro na segunda-feira (23).

Fontes: governo e NHK

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Canadá e Austrália não enviarão atletas aos Jogos Olímpicos de Tóquio

Publicado em 23 de março de 2020, em Notícias do Mundo

Os comitês olímpicos canadense e australiano estão pedindo que os Jogos sejam adiados até 2021.

Avião especial Tokyo 2020 (PM)

Canadá e Austrália não enviarão atletas aos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 por causa dos riscos associados ao surto do novo coronavírus, disseram em declarações separadas os comitês olímpicos de ambos os países no domingo (22).

Publicidade

Os comitês olímpicos de ambos os países estão pedindo que os Jogos sejam adiados até 2021.

“Enquanto reconhecemos as complexidades inerentes em torno de um adiamento, nada é mais importante do que a saúde e segurança de nossos atletas e da comunidade mundial”, disse o Comitê Olímpico Canadense e o Comitê Paralímpico Canadense em uma declaração conjunta. “Isso não é somente sobre a saúde dos atletas – é sobre a saúde pública”.

O conselho executivo do Comitê Olímpico Australiano se encontrou por teleconferência na manhã de domingo (22) e concordaram de forma unânime que uma equipe olímpica australiana não poderia ser formada dada as circunstâncias em mudança no mundo todo, disse o comitê em uma declaração.

O comitê também disse “nossos atletas nesse momento precisam dar prioridade às suas próprias saúdes e a das pessoas em torno deles, e poderem retornar para suas famílias”.

“Está claro que os Jogos não podem ser realizados em julho”, disse Ian Chesterman, chefe de missão em Tóquio da equipe australiana. “Nossos atletas têm sido magníficos em suas atitudes positivas ao treinamento e preparação, mas o estresse e a incerteza vêm sendo extremamente desafiadores para eles”.

COI diz que não está cancelando as Olimpíadas

As decisões de comitês ocorreram horas após o conselho executivo do Comitê Olímpico Internacional – COI ter dito que estava considerando adiar – mas não cancelar – os Jogos de Verão deste ano em Tóquio por causa da pandemia do novo coronavírus.

O conselho do COI disse que está considerando várias opções para lidar com o surto em curso, incluindo modificar planos para permitir que os Jogos de Tóquio 2020 comecem como programados para 24 de julho ou mudar a data de início.

O conselho executivo do COI descartou o cancelamento dos Jogos, dizendo que isso “destruiria o sonho olímpico de 11 mil atletas” e de todos aqueles que os apoiaram, de acordo com uma carta do presidente do COI, Thomas Bach, aos atletas.

A declaração canadense agradeceu ao COI por dizer que não cancelaria os jogos, dizendo que o COI aprecia a “importância de acelerar a tomada de decisão em relação a um possível adiamento”.

O primeiro-ministro japonês Shinzo Abe disse que uma decisão para adiar as Olimpíadas e Paralimpíadas de Tóquio poderia ser necessária se os Jogos não puderem ser realizados de uma forma completa.

Abe fez a observação durante uma sessão parlamentar nesta segunda-feira (23) após o COI ter anunciado no domingo (22) que o grupo decidiu intensificar o planejamento de cenário para os Jogos de Tóquio 2020 em reação à pandemia de coronavírus.

O COI enfrenta pressão crescente para adiar os Jogos, visto que um número exorbitante de pessoas em todo o mundo foram infectadas e outras morreram em decorrência da Covid-19.

Pistas, ginásios e espaços públicos estão fechados em grande parte do mundo e grandes eventos de qualificação foram cancelados.

Fonte: CNN

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Banco do Brasil - promoção Torcida BB!
Kumon - aprenda japonês e tenha mais oportunidades!