Terremoto de magnitude 6,2 abala Indonésia e outros países

Um forte terremoto na Indonésia foi sentido também nos países vizinhos e a população saiu para as ruas.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Ponto vermelho indica o epicentro (Google Map) e o terremoto causou danos (@fjr_wnd)

Ocorreu um forte terremoto, às 10h39 (horário Tóquio) e 8h39 (local) de sexta-feira (25), na Regência Pasaman Barat, província de West Sumatra, Indonésia. 

Publicidade

O tremor sacudiu os edifícios dos países vizinhos como Cingapura e Malásia. 

O epicentro está localizado a cerca de 17 quilômetros a nordeste da regência, a 12km de profundidade, informou a Agência Meteorológica, Climatológica e Geofísica do país.

Segundo a BMKG, a agência, esse terremoto não gerou alerta de tsunami.

Há relatos de danos materiais, pois as imagens mostram edifícios arruinados, mas não se sabe dos danos humanos. Há muitas fotos nas redes sociais das pessoas nas ruas, tanto na Indonésia, quanto na Cingapura e Malásia.

As 17 mil ilhas da Indonésia são propensas a terremotos porque o país se estende pelo Anel de Fogo do Pacífico, um arco de falhas e vulcões que causa frequentes abalos sísmicos.

Veja alguns dos posts no Twitter.

Fontes: Bloomberg, News Digest e Twitter 

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Trabalhadores vietnamitas que fizeram greve são processados pela empregadora

Publicado em 25 de fevereiro de 2022, em Sociedade

A empresa está exigindo o pagamento de uma indenização de 2 milhões de ienes aos trabalhadores vietnamitas por causa da greve.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Sindicato em coletiva de imprensa na quinta-feira (UHB)

Na quinta-feira (24) o Sindicato dos Trabalhadores de Sapporo realizou uma coletiva de imprensa para informar sobre a ação judicial do Rancho Hanabatake, a qual produz os famosos caramelos frescos e bolos, exigindo o pagamento de 2 milhões de ienes aos trabalhadores vietnamitas que fizeram greve. 

Publicidade

Segundo as explicações, 38 funcionários vietnamitas protestaram contra o aumento das contas de serviços públicos – água, energia elétrica e gás – do alojamento, em 26 de janeiro na Fábrica Tokachi No. 2 do Rancho Hanabatake, na vila Nakasatsunai (Hokkaido). 

Sem diálogo, decisão de greve

Nessa ocasião, a empresa não tinha sindicato, e os funcionários notificaram a empresa através de um grupo no LINE, em 25 de janeiro pedindo para rever o aumento de mais que o dobro, pois eram descontados 7 mil ienes e a empresa passou a cobrar 15 mil ienes.  

Local de trabalho dos vietnamitas (UHB)

Como o presidente da empresa não respondeu, os 40 trabalhadores decidiram fazer greve no dia 26, depois de várias tentativas de diálogo. Nessa noite, após a greve, o presidente da empresa informou que voltaria a descontar 7 mil ienes. 

Depois da greve, corte dos trabalhadores

No entanto, em 7 de fevereiro a empresa deu aviso de suspensão do vínculo empregatício para encerrar em 15 de março, enviando uma notificação de caducidade do contrato de trabalho, além de um aviso de ação disciplinar por 7 dias de suspensão do trabalho pela greve, para os 40 vietnamitas, incluindo os 2 que não participaram da greve.

Após a greve, 4 desses trabalhadores, os quais lideraram o movimento, aderiram ao Sindicato dos Trabalhadores de Sapporo, cidade onde fica a sede da empresa. 

Contra esses 4 trabalhadores a empresa entrou com uma ação para que eles paguem 2 milhões de ienes, ou seja, 500 mil para cada um. O sindicato está defendendo os 4, com o argumento de que “foi um ato legítimo para defender as condições de trabalho”.

Trabalhadores não regulares e vulneráveis

Dois dos 4 vietnamitas que a empresa exige indenização (UHB)

No entanto, o Rancho Hanabatake se sente prejudicada pelo “abandono do local de trabalho“, na greve anterior à formação do sindicato, por isso exige a indenização.

Um dos trabalhadores vietnamitas que participou da reunião disse que “fiquei assustado com a forma que a empresa está lidando com a situação, mas quero continuar trabalhando lá”.

É terrível ver essa empresa usando unilateralmente palavras pesadas para buscar compensação por danos das pessoas extremamente vulneráveis, como os trabalhadores estrangeiros não regulares. Quero pedir a desistência da indenização porque é extremamente injustificado”, declarou o representante do sindicato.

O representante da empresa não quis se manifestar.

Fontes: Asahi e UHB

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância