Trabalhadores vietnamitas que fizeram greve são processados pela empregadora

A empresa está exigindo o pagamento de uma indenização de 2 milhões de ienes aos trabalhadores vietnamitas por causa da greve.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Sindicato em coletiva de imprensa na quinta-feira (UHB)

Na quinta-feira (24) o Sindicato dos Trabalhadores de Sapporo realizou uma coletiva de imprensa para informar sobre a ação judicial do Rancho Hanabatake, a qual produz os famosos caramelos frescos e bolos, exigindo o pagamento de 2 milhões de ienes aos trabalhadores vietnamitas que fizeram greve. 

Publicidade

Segundo as explicações, 38 funcionários vietnamitas protestaram contra o aumento das contas de serviços públicos – água, energia elétrica e gás – do alojamento, em 26 de janeiro na Fábrica Tokachi No. 2 do Rancho Hanabatake, na vila Nakasatsunai (Hokkaido). 

Sem diálogo, decisão de greve

Nessa ocasião, a empresa não tinha sindicato, e os funcionários notificaram a empresa através de um grupo no LINE, em 25 de janeiro pedindo para rever o aumento de mais que o dobro, pois eram descontados 7 mil ienes e a empresa passou a cobrar 15 mil ienes.  

Local de trabalho dos vietnamitas (UHB)

Como o presidente da empresa não respondeu, os 40 trabalhadores decidiram fazer greve no dia 26, depois de várias tentativas de diálogo. Nessa noite, após a greve, o presidente da empresa informou que voltaria a descontar 7 mil ienes. 

Depois da greve, corte dos trabalhadores

No entanto, em 7 de fevereiro a empresa deu aviso de suspensão do vínculo empregatício para encerrar em 15 de março, enviando uma notificação de caducidade do contrato de trabalho, além de um aviso de ação disciplinar por 7 dias de suspensão do trabalho pela greve, para os 40 vietnamitas, incluindo os 2 que não participaram da greve.

Após a greve, 4 desses trabalhadores, os quais lideraram o movimento, aderiram ao Sindicato dos Trabalhadores de Sapporo, cidade onde fica a sede da empresa. 

Contra esses 4 trabalhadores a empresa entrou com uma ação para que eles paguem 2 milhões de ienes, ou seja, 500 mil para cada um. O sindicato está defendendo os 4, com o argumento de que “foi um ato legítimo para defender as condições de trabalho”.

Trabalhadores não regulares e vulneráveis

Dois dos 4 vietnamitas que a empresa exige indenização (UHB)

No entanto, o Rancho Hanabatake se sente prejudicada pelo “abandono do local de trabalho“, na greve anterior à formação do sindicato, por isso exige a indenização.

Um dos trabalhadores vietnamitas que participou da reunião disse que “fiquei assustado com a forma que a empresa está lidando com a situação, mas quero continuar trabalhando lá”.

É terrível ver essa empresa usando unilateralmente palavras pesadas para buscar compensação por danos das pessoas extremamente vulneráveis, como os trabalhadores estrangeiros não regulares. Quero pedir a desistência da indenização porque é extremamente injustificado”, declarou o representante do sindicato.

O representante da empresa não quis se manifestar.

Fontes: Asahi e UHB

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Entrada de estrangeiros no Japão, com novo visto: inscrição online obrigatória

Publicado em 25 de fevereiro de 2022, em Política

O governo japonês criou um novo sistema para acompanhar a entrada dos estrangeiros, seja para estudar ou trabalhar, valendo também para os nikkeis.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Imagem ilustrativa da Imigração no aeroporto de Narita (Flickr)

Na quinta-feira (24) o MHLW-Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar do Japão informou sobre o ERFS-Entrants, Returnees Follow-up System ou Sistema de Acompanhamento dos Entrantes e Retornados, na tradução livre. 

Publicidade

Trata-se de uma página online para ser preenchida obrigatoriamente antes do estrangeiro entrar no país, criando um login, que começa a funcionar a partir das 10h de sexta-feira (25). 

Mas, atenção, pois é para os estrangeiros que desejam entrar no Japão, com novo visto, a partir de 1.º de março, como uma das novas medidas de fronteira, pois passará de 3,5 mil passageiros do exterior para 5 mil diários. 

Fluxo do novo sistema online (divulgação)

Depois de preencher o formulário online, receberá um certificado de recibo, o qual deve ser impresso pois é necessário apresentá-lo para obtenção do visto no consulado japonês

Fluxo do novo sistema, obtenção de visto e entrada no Japão (divulgação)

Depois de obtido o visto no Consulado-Geral do Japão no país de origem, deve baixar o app MySOS, para o monitoramento da saúde e da localização durante a quarentena, por causa da pandemia do coronavírus.

Até sexta-feira de manhã as páginas web de explicação e do formulário a ser preenchido estão somente em japonês. Pode ser que em breve o governo disponibilize em inglês ou outros idiomas. Por enquanto, a recomendação é usar um tradutor online, pedir ajuda de alguém fluente no idioma, ou pedir à empregadora.

Para abrir as respectivas páginas web, toque sobre as linhas em azul.

Fonte: divulgação 

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância