Fim do julgamento do ex-diretor da Nissan, preso junto com Ghosn

O ex-diretor da Nissan, acusado de ocultar os ganhos de Ghosn, foi considerado culpado em uma parte e inocente em outra.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Greg Kelly, ex-diretor da Nissan (NHK)

O julgamento do ex-diretor da Nissan, Greg Kelly, 65 anos, realizado no Tribunal de Tóquio, terminou na manhã de quinta-feira (3), com pena de prisão de 6 meses e sursis de 3 anos, ou seja, suspensão condicional da pena se o condenado reincidir em crime doloso. 

Publicidade

Kelly foi preso pela Promotoria de Tóquio em novembro de 2018, no mesmo dia em que o então CEO da montadora japonesa, Carlos Ghosn.

O réu estava sendo acusado de violação da Lei de Instrumentos Financeiros e Câmbio, por omitir parte das compensações de Ghosn nos relatórios de valores mobiliários.

Dos 8 anos fiscais em pauta, foi absolvido em relação às declarações de 2010 a 2016 mas em relação ao de 2017 foi considerado culpado.

A Nissan Motor admitiu a omissão e foi condenada a pagar uma multa de 200 milhões de ienes. 

Greg Kelly era um executivo com carreira nos EUA, ingressando na Nissan de seu país em 1988 e foi nomeado diretor em 2008, sendo que quando foi preso acumulava duas diretorias e era o braço direito de Ghosn. Desde que foi preso insistiu na sua inocência.

Em relação a Carlos Ghosn, o qual fugiu do Japão em 31 de dezembro de 2019, continua no Líbano e o seu julgamento no Japão continua suspenso.

Fontes: NHK e Asahi  

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Proibição do espaço aéreo russo cancela 23 voos entre Japão e Europa

Publicado em 3 de março de 2022, em Sociedade

Segundo o Ministério dos Transportes do Japão, os voos cancelados até 6 de março envolvem 4 companhias aéreas europeias.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Um avião da Lufthansa no Aeroporto de Kansai em Osaka (banco de imagens)

Pelo menos 23 voos entre Japão e Europa foram cancelados devido às medidas retaliatórias russas em relação ao uso de seus espaços aéreos.

Publicidade

Funcionários do Ministério dos Transportes do Japão disseram que os voos cancelados até 6 de março envolvem 4 companhias aéreas europeias – Finnair, KLM Royal Dutch Airlines, Lufthansa e Air France.

A União Europeia – UE fechou seu espaço aéreo para aeronaves russas devido à invasão de Moscou da Ucrânia. A Rússia retaliou ao banir companhias europeias de passarem pelo seu espaço aéreo.

Até agora, a Japan Airlines – JAL e a All Nippon Airways – ANA não foram afetadas pela proibição russa, embora a maioria de seus voos de e para a Europa passem pelo espaço aéreo russo.

O Ministro de Relações Exteriores, Yoshimasa Hayashi, foi questionado em sua coletiva de imprensa no dia 1º de março se o Japão seguiria o exemplo da UE e consideraria barrar aeronaves russas do espaço aéreo japonês

Ele disse que não eram apenas as diferenças geográficas entre Japão e UE, mas também a necessidade de considerar os efeitos na distribuição de produtos.

Fonte: Asahi

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância