Dois adolescentes são presos pelo calote de ¥200 mil no taxista

O taxista que fez uma viagem longa com os dois disse que pareciam ser pessoas boas. Não imaginou que fosse levar calote.

Ponto de taxi da estação de Yokohama (ANN)

Na terça-feira (10) a polícia informou sobre a prisão de um rapaz de 19 e sua namorada de 17 anos, por fraudar um taxista. 

Publicidade

Segundo as informações, na madrugada de 22 de novembro, o casal pediu a um dos taxistas do ponto da saída Nishi da estação de Yokohama (Kanagawa) para ir até Higashi Yodogawa-ku, na cidade de Osaka (província homônima), de forma educada, conforme o relato do motorista de táxi que tomou o calote.

O taxista percorreu 532 quilômetros, usando as vias expressas, e levou cerca de 8 horas para chegar ao destino conforme pediu o casal

Trecho percorrido pelo taxista a pedido do casal (ANN)

Quando chegou na porta da casa, o rapaz ouviu o valor da tarifa, de 211.360 ienes, e disse “aguarde um momento que vou pegar o dinheiro com minha mãe”. Mas, o casal fugiu. O taxista relatou para a polícia que não desconfiou porque os dois eram educados e pareciam ser pessoas boas. 

A empresa onde o taxista trabalha registrou denúncia na delegacia mais próxima. A polícia abriu investigação e até o começo do ano não tinha localizado o casal

No entanto, em 6 de janeiro, o rapaz do calote se entregou na Delegacia de Higashi Yodogawa. Contou que resolveu se apresentar por recomendação da mãe. Assim, o casal de namorados foi preso.

“Sabia que para voltar para Osaka custaria caro. Se ficasse muito caro já tinha a intenção de fugir”, relatou o rapaz durante o interrogatório, segundo a polícia

A reportagem da ANN ouviu alguns taxistas sobre esse caso. Um disse que “essa ocorrência é terrível. Eu teria pedido para mostrar o cartão de crédito ou o dinheiro antes da corrida”. O outro disse que antes de uma corrida longa é preciso anotar informações como endereço e telefone.

Fonte: ANN

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Baleia perdida em Osaka pode ser presságio de terremoto

Publicado em 11 de janeiro de 2023, em Sociedade

Não se trata de uma conclusão científica, pois as opiniões se dividem, mas já há casos anteriores. Outra questão: como salvar a baleia.

Baleia fotografada na terça-feira (ANN)

A baleia na Baía de Osaka foi confirmada na segunda-feira (9) pela Guarda Costeira em águas rasas onde grandes navios não podem passar, cerca de 150 metros da área de estacionamento da via expressa Hanshin-Wangan, em Nishiyodogawa-ku, na cidade de Osaka (província homônima).

Publicidade

Parece ser uma cachalote, a maior espécie de baleias, e essa tem cerca de 8 metros de comprimento. Os especialistas analisam que ela possa ter chegado a esse local tão raso, cerca de 2 a 3 metros de profundidade, por que pode estar enfraquecida e se deixou levar pela maré. 

“Acredita-se que as cachalotes viajam entre o mar profundo e as águas superficiais para encontrar comida, como polvos. É raro que tenha conseguido chegar à foz do rio Yodo”, disse um deles.

Presságio de terremoto?

Isso é conhecido como encalhe, ou seja, baleias e golfinhos deixam seus habitats naturais e entram em águas rasas, causado pela incapacidade de seguir presas ou fazer a leitura das correntes, ou por parasitas. Mas o ponto de preocupação é se pode ser presságio de um grande terremoto.

Houve casos de grandes terremotos após esses encalhes. Em fevereiro de 2011, 107 baleias-piloto encalharam na Ilha Stewart, 2 dias antes do terremoto de Canterbury, na Nova Zelândia.

Oito dias antes do terremoto de Kumamoto em 2016 no Japão, uma baleia jubarte encalhou na praia de Ogomori-machi, na cidade de Nagasaki.

Uma semana antes do Grande Terremoto no Leste do Japão em 2011, cerca de 50 golfinhos apareceram na costa da cidade de Kashima (Ibaraki), e essa conexão com o terremoto se tornou um assunto de destaque.

“Sabe-se que as réplicas ou tremores secundários após o terremoto causam grandes vibrações no fundo do mar. Isso causa erro na capacidade das baleias e golfinhos de transmitir suas ondas ultrassônicas, impossibilitando a confirmação de sua posição, por isso encalham durante a fuga.

A zona de falha que causou o Grande Terremoto de Hanshin-Awaji atravessa a Baía de Osaka, mas dado que essa baleia está perdida nessa área, pode ser um presságio para o Nankai Trough”, disse um escritor científico.  

Como salvar essa baleia

Baleia perdida deve estar com muita fome (ANN)

Atualmente existem opiniões diferentes entre os especialistas sobre a relação entre as baleias encalhadas ou perdidas em águas rasas com a ocorrência de um terremoto. Mas, pode ser um presságio.

Na quarta-feira (11), a preocupação do governo da cidade de Osaka é ouvir especialistas para saber como agir no sentido de ajudar essa baleia cachalote, pois parece estar enfraquecida.

Um deles apontou que está fraca de fome, já que consome 80 a 90 quilos de pescados e lulas e onde está só oferece 1% de suas necessidades diárias.

Fontes: Asagei, Mainichi e ANN

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
Life Card - cartão exclusivo para brasileiros