Tsunami no Japão em consequência do forte terremoto nas Filipinas

O tsunami leva algum tempo para ocorrer após o terremoto, portanto, fique atento e saia de perto da costa.

Epicentro do forte terremoto de magnitude 7,7 nas Filipinas (Google Map)

O governo japonês disparou o J-Alert ou alerta nacional para o tsunami em grande parte das regiões banhadas pelo Oceano Pacífico, na madrugada de domingo (3), logo após a informação da Agência de Meteorologia do Japão (AMJ).

Publicidade

Ele será gerado por causa do forte terremoto de magnitude 7,7 ocorrido às 23h37 de sábado (2), no horário de Tóquio, com epicentro próximo a Mindanao. Segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos  (USGS), foi a 32,8 quilômetros de profundidade.

É esperado um tsunami de 1 metro de altura, por isso, as pessoas devem se afastar da costa e da margem dos rios, pois ainda há tempo de buscar um lugar mais alto e se proteger. Há previsão de tsunami ou alteração do nível do mar em toda a costa assinalada em azul, porém as em amarelo são as sob alerta:

  • À 1h30 em Miyakojima e Yaeyama
  • Às 2h30 em Miyazaki
  • Às 3h nas ilhas Izu
  • Às 3h em Shizuoka, no sul de Mie, Aichi, Wakayama, Tokushima, Kochi e leste de Kagoshima

Os horários são previsão emitida pela AMJ, podendo ter alteração.

Mapa divulgado pela AMJ mostra epicentro do forte terremoto e as áreas em amarelo com alerta de tsunami

Os pescadores que estão no mar e as pessoas que estão pescando na costa devem se afastar imediatamente. Um tsunami de 1 metro de altura é perigoso, além de que pode vir mais de uma vez. O governo apela para a população costeira não ir à costa para ver o tsunami, pelo risco.

Poucos minutos depois, ocorreu um outro terremoto de magnitude 5,8 no mesmo local.

Ainda não há notícias sobre os danos humanos ou materiais.

Fontes: USGS, WeatherNews, NHK e AMJ

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Número de ataques de ursos no Japão passa de 200

Publicado em 2 de dezembro de 2023, em Sociedade

Segundo o Ministério do Meio Ambiente do Japão, os ursos geralmente entram em hibernação no mês de dezembro, mas também alertam que mais ataques são possíveis.

Setenta por cento dos ataques de ursos ocorreram no nordeste do Japão (NHK)

Autoridades do governo japonês dizem que ataques de ursos a nível nacional passaram da marca de 200 pela primeira vez.

Publicidade

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, houve 212 vítimas nos 8 meses desde abril, que marca o início do ano fiscal japonês.

Trinta pessoas foram atacadas em novembro, o segundo maior número para o mês.

A contagem total excede o recorde anterior de 158 no ano fiscal de 2020. Os registros vêm sendo mantidos desde 2006.

Algumas vítimas perderam suas vidas, incluindo 2 em Hokkaido, 2 em Iwate, 1 em Toyama e 1 em Nagano.

Setenta por cento dos ataques ocorreram no nordeste do Japão, incluindo 70 em Akita e 45 em Iwate.

O ministério enviou especialistas a Iwate e Toyama mediante pedido para ajudar as províncias a capturarem e estudarem ursos.

O ministério diz que os animais geralmente entram em hibernação no mês de dezembro, mas também alertam que mais ataques são possíveis.

Fonte: NHK

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Banco do Brasil - faça remessas com segurança!
Estude NIHONGO com o Kumon!
UNINTER - Faculdade ONLINE no Japão!