Proibição de algodão-doce se espalha na Índia em meio a risco de câncer

Estados na Índia proibiram algodão-doce após amostras terem revelado substâncias químicas que causam câncer.

Um vendedor de algodão-doce em Déli, na Índia (ilustrativa/banco de imagens)

Alguns estados na Índia proibiram algodão-doce e outros estão preparando para isso por preocupações de que um corante artificial usado no doce popular contém uma substância que pode causar câncer.

Publicidade

O estado de Tamil Nadu, no sul da Índia, proibiu a venda do doce na semana passada após testes de laboratório terem revelado que ele contém rodamina-B, uma substância que pode causar câncer.

Puducherry, um território de união, também proibiu o famoso doce enquanto outros estado estão se preparando para conduzir seus testes.

O ministro da Saúde de Tamil Nadu, Ma Subramanian, disse em uma declaração na semana passada que testes de laboratório revelaram a presença da rodamina-B, presente em um corante artificial adicionado ao doce.

Ele disse que, segundo as cláusulas da Lei de Padrões de Segurança Alimentar de 2006, isso foi confirmado ser um alimento “de qualidade inferior” e inseguro”.

A rodamina-B está ligada a um risco aumentado de câncer e é proibida em produtos alimentícios na Europa e Califórnia, nos EUA.

Os estados de Andhra Pradesh e Déli também estão considerando proibir as vendas de algodão-doce para proteger a saúde pública.

Fonte: The Independent

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Japão fornecerá ¥730 bilhões em subsídios extras para 2ª fábrica da TSMC

Publicado em 23 de fevereiro de 2024, em Sociedade

O governo japonês planeja fornecer ¥730 bilhões em subsídios adicionais para a 2ª fábrica da TSMC em Kumamoto, visando aumentar sua rede de fornecimento de chips.

A TSMC é a maior fabricante de chips por contrato do mundo (banco de imagens)

O governo japonês planeja fornecer ¥730 bilhões (US$4,9 bilhões) em subsídios adicionais para a segunda fábrica da Taiwan Semiconductor Manufacturing Co (TSMC) na província de Kumamoto, visto que o país visa aumentar sua rede de fornecimento de chips, disse na quinta-feeira (22) uma fonte com conhecimento do assunto.

Publicidade

A maior fabricante de chips por contrato do mundo deve iniciar as operações em sua primeira planta na província no sudoeste do Japão neste ano, com o suporte de ¥476 bilhões em subsídios.

Espera-se que a TSMC invista um total de cerca de ¥2 trilhões para construir as duas fábricas em meio aos esforços do Japão para aumentar a produção doméstica de semicondutores com auxílio financeiro.

O governo vê o fortalecimento da produção de chips em casa como vital para sua segurança econômica, visto que a dependência na grande fornecedora de Taiwan representa riscos geopolíticos em meio a tensões entre os EUA e a China sobre a ilha autogovernada.

Uma crise em potencial na região poderia levar o Japão a perder acesso a fornecimentos de semicondutores.

A Kioxia Holdings Corp, a Western Digital Corp e a Micron Technology Inc estão entre a fabricantes de chips que vêm recebendo subsídios para seus planos de aumentar produção no Japão.

A empresa taiwanesa estaria considerando uma terceira planta no Japão, transformando potencialmente o país em um principal centro global de produção de chips.

A TSMC realizará uma cerimônia de abertura para a primeira fábrica no sábado (24).

Fonte: Mainichi

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Banco do Brasil - faça remessas com segurança!
UNINTER - Faculdade ONLINE no Japão!