Mais de 100 hotéis no Japão são vítimas de golpes no Booking

Alguns dos hotéis disseram que seus clientes perderam dinheiro após os golpistas terem roubado seus detalhes de cartão de crédito.

A Booking.com Japan se negou a comentar sobre os danos financeiros (banco de imagens)

Mais de 100 hotéis no Japão se tornaram vítimas de fraudes por email que tentam roubar informações de cartão de crédito usando reservas de acomodação no site Booking.com, de acordo com um cálculo da divulgado pelo site Mainichi no sábado (13).

Publicidade

Alguns dos hotéis disseram que seus clientes perderam dinheiro após os golpistas terem roubado seus detalhes de cartão de crédito.

A Agência de Turismo do Japão instruiu a Booking.com Japan K.K., a unidade japonesa da grande operadora de site de reservas de acomodação, a conduzir uma investigação.

A Booking.com Japan se negou a comentar sobre os danos financeiros.

Os golpes por pishing ocorrem enquanto casos similares são reportados no mundo, e o Japão registra um retorno aos níveis do turismo em auge após restrições da covid-19 terem sido suspensas.

Com a ajuda da empresa de cibersegurança anônima Piyokango, a pesquisa descobriu que desde 26 de março, cerca de 118 acomodações em pelo menos 21 províncias foram afetadas desde junho do ano passado.

Golpistas enviam emails a hotéis no Japão para acessar seus sistemas de gestão na Booking.com. A mensagem contém um link, o qual infecta um computador uma vez que é clicado.

Os hackers então roubam as credenciais da Booking para enviar solicitações fraudulentas de pagamentos a clientes com reservas, dizendo a eles que suas estadas serão canceladas sem pagamento com antecedência.

Os clientes são então direcionados a inserirem seus detalhes de cartão de crédito para um site falso.

Casos similares de golpes foram confirmados pela primeira vez na Europa em 2022, com incidentes se espalhando em hotéis nos EUA, Ásia e Oceania.

A Booking disse em dezembro passado que não pede a clientes que forneçam detalhes de cartão de crédito via chat ou email.

Fonte: Mainichi

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Vendas de alimentos ‘funcionais’ caem no Japão após mortes por consumo de suplemento

Publicado em 15 de abril de 2024, em Sociedade

Cinco pessoas morreram após consumirem produtos da farmacêutica Kobayashi que continham arroz fermentado vermelho, chamado de beni koji no Japão.

Outras fabricantes de suplementos estão se apressando para garantir aos seus clientes que suas ofertas são seguras (ilustrativa/banco de imagens)

Consumidores no Japão estão se distanciando de suplementos alimentares e outros chamados de “alimentos funcionais” devido a um escândalo de saúde ligado a produtos contendo arroz vermelho fermentado da Kobayashi Pharmaceutical.

Publicidade

Outras fabricantes de suplementos estão se apressando para garantir aos seus clientes que suas ofertas são seguras. Entretanto, restaurar a confiança na indústria não será fácil, principalmente devido às críticas de que faltam no Japão medidas rigorosas para garantir a segurança de suplementos.

Cinco pessoas morreram e mais de 100 foram internadas após consumirem produtos da Kobayashi que contêm arroz fermentado vermelho, chamado de beni koji no Japão. Um recall dos produtos foi emitido.

A Agência de Assuntos do Consumidor pediu a cerca de 1,7 mil fabricantes de produtos similares – categorizados pelo governo como kinosei hyoji shokuhin, ou alimentos considerados “funcionais” – se elas receberam relatos de problemas de saúde e se possuem sistemas para coletar tais dados.

A pesquisa, a qual os entrevistados teriam que responder até a sexta-feira da semana passada, oferecerá feedback para medidas de seguimento em um momento de crescentes preocupações de consumidores sobre consumir quaisquer alimentos funcionais, não apenas aqueles da Kobayashi.

As vendas de aproximadamente 860 produtos os quais são considerados funcionais foram compiladas usando o sistema de coleta de dados de varejo Nikkei POS. As vendas semanais a cada mil compradores foram reunidas de supermercados a nível nacional.

As vendas de alimentos considerados funcionais, incluindo bebidas, caíram 11% no ano na semana de 1º de abril.

A demanda havia perdido ritmo antes neste ano com a subida de preços, mas o declínio foi mais ameno, a 6,7% para a semana de 11 de março.

A queda acelerou para 10,4% na semana de 18 de março, durante a qual a Kobayashi anunciou um recall de seus produtos com arroz fermentado vermelho. A queda continuou em torno de 10% desde então.

Alimentos com afirmações funcionais foram introduzidos em 2015 como alternativa de baixo custo à classificação tokuho, ou alimentos com qualidades especiais, o que exige verificações do governo.

A nova categoria foi designada para facilitar a vida de empresas menores em oferecer alimentos com valor agregado. Tudo que elas precisam é apresentar evidência de eficácia.

Ao contrário de produtos farmacêuticos, alimentos com rótulos funcionais não precisam ser administrados sob os regulamentos de Prática de Boa Fabricação do Japão.

Isso significa que não existe supervisão sobre assuntos incluindo método de fabricação, ingredientes ou concentração, assim como em que forma o produto é comercializado, como comprimidos ou cápsulas.

Fora do Japão, produtos comparáveis a alimentos com afirmações funcionais são regulados de forma mais rigorosa.

A União Europeia e a Associação de Nações do Sudeste Asiático têm regras ainda mais exigentes.

Fonte: Asia Nikkei

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Banco do Brasil - promoção Torcida BB!
Kumon - aprenda japonês e tenha mais oportunidades!