Mundo tem duas vezes mais dias com temperaturas acima de 50ºC

Temperaturas extremamente quentes expõem desafios sem precedentes para a saúde humana e como nós vivemos.

Mais dias extremamente quentes (ilustrativa/banco de imagens)

O número de dias extremamente quentes todos os anos quando a temperatura chega a 50ºC dobrou desde os anos 1980, revelou uma análise global da BBC.

Publicidade

Elas agora também ocorrem em mais áreas do mundo do que antes, expondo desafios sem precedentes para a saúde humana e como nós vivemos.

O número total de dias com temperatura acima de 50ºC aumentou em cada década desde 1980. Em média, entre 1980 e 2009, as temperaturas passaram de 50ºC em cerca de 14 dias ao ano. O número aumentou para 26 dias ao ano entre 2010 e 2019.

No mesmo período, temperaturas de 45ºC ou mais ocorreram em média em duas semanas extras ao ano.

“O aumento pode ser 100% atribuído à queima de combustíveis fósseis”, disse Friederike Otto, diretor associado do Instituto de Mudança Ambiental na Universidade Oxford.

Com o aquecimento no mundo, temperaturas extremas se tornam cada vez mais prováveis.

O calor pode ser mortal para os humanos e a natureza, e causar grandes problemas a construções, estradas e sistemas de energia.

E após temperaturas recordes de 48,8ºC na Itália e 49,6ºC no Canadá neste verão, cientistas alertaram que dias com mais de 50ºC acontecerão em outros lugares a menos que cortemos as emissões de combustíveis fósseis.

Fonte: BBC

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Tarzan da vida real morre de câncer após retornar ao ‘mundo civilizado’

Publicado em 14 de setembro de 2021, em Ásia

Ho Van Lang morreu de câncer 8 anos após iniciar ‘vida moderna’, incluindo comida processada e álcool.

Ho Van Lang viveu na floresta o Vietnã por 41 anos (banco de imagens, Docastaway)

Um homem conhecido como Tarzan da vida real morreu de câncer no fígado 8 anos após ter retornado para o “mundo civilizado”.

Publicidade

Ho Van Lang, de 52 anos, morreu da doença em 6 de setembro após sobreviver 41 anos na floresta com seu pai, o qual fugiu para a selva em 1972 quando o bombardeio dos EUA durante a Guerra do Vietnã matou metade de sua família.

Os dois restabeleceram contato com a sociedade vietnamita em 2013 e acreditavam que a Guerra do Vietnã ainda estava acontecendo quando eles entraram em uma vila para buscar ajuda médica para o pai de Lang, Ho Van Thanh.

Após 2013, Lang passou a ter um estilo de vida relativamente moderno, mas alguns amigos e observadores acreditam que as tensões e dieta pobre do mundo “civilizado” tiveram um efeito prejudicial sobre sua saúde.

O amigo de Lang, Álvaro Cerezo, disse que viver uma vida “moderna” teve consequências fatais para ele após passar a consumir comidas processadas e às vezes bebida alcoólica.

“Ele era um ser humano incrível, para esquecê-lo será impossível, sentirei sua falta todos os dias”.

“Mas não gostava de vê-lo vivendo na civilização. Sempre fiquei preocupado com ele, que seu corpo não conseguiria lidar com tal mudança drástica”.

Cerezo conheceu Lang através de seu trabalho com a Docastaway – uma organização que ajuda pessoas que querem escapar da civilização e passar poucos dias ou semanas completamente sozinhas em uma ilha deserta.

Durante a amizade deles, Cerezo registrou na câmera alguns dos momentos mais vulneráveis, emocionais e belos de Lang, incluindo sua vida na selva, se adaptando à vida civilizada e retornando à floresta.

Cerezo também escreveu um livro sobre a vida de Lang, e agora compilou uma montagem de imagens que ele fez quando os dois viveram juntos na floresta.

Fonte: Daily Mail

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Banco do Brasil - junto a comunidade no Japão
Kumon - aprenda japonês e tenha mais oportunidades!