Segundo a ONU tropas russas já mataram 331 civis na Ucrânia

A Rússia continua atacando a Ucrânia, destruindo inclusive casas e edifícios, por isso, há tantas mortes de civis, além de centenas de pessoas feridas.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Local bombardeado em Kharkiv (Ukrinform)

No ataque indiscriminado da Rússia na Ucrânia, desde 24 de fevereiro, já foram constatadas 331 mortes de civis, das quais 19 crianças, até quinta-feira (3), segundo a ONU-Organização das Nações Unidas.

Publicidade

Além disso, há 675 pessoas feridas, segundo a ONU.

Só em Kharkiv 188 pessoas foram mortas e 394 estão feridas

O departamento de comunicação da Polícia da Região de Kharkiv relatou através do Telegram, na sexta-feira (4), que durante os 9 dias de ataque da Rússia “um total de 188 pessoas, entre elas 122 civis, incluindo 5 crianças, foram mortas na região.

Prédio residencial atacado pela artilharia da Rússia (Ukrinform)

Segundo a polícia, 35 militares das Forças Armadas da Ucrânia, quatro policiais, 6 militares da Guarda Nacional, 4 funcionários do Serviço de Guarda de Fronteiras do Estado, 2 funcionários da Universidade da Força Aérea Nacional de Kharkiv, 1 funcionário do Serviço de Segurança da Ucrânia e 14 combatentes da defesa territorial morreram, defendendo a região de Kharkiv do ataque das tropas inimigas.

Cerca de 394 pessoas, incluindo 290 civis, ficaram feridas em bombardeios de artilharia da Rússia.

19 criminosos russos detidos

A polícia também disse que 19 criminosos da Rússia foram detidos desde o início da invasão na região de Kharkiv, entre eles 12 militares russos, 2 cúmplices de grupos de sabotagem, uma pessoa suspeita de assassinato premeditado e 4 suspeitos de crimes contra a propriedade e crimes relacionados ao tráfico ilegal de armas.

Fontes: NHK e Ukrinform

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

Rússia nega bombardeio na usina nuclear da Ucrânia em reunião do Conselho de Segurança da ONU

Publicado em 5 de março de 2022, em Notícias do Mundo

Na reunião os países ocidentais acusaram a Rússia pelo bombardeio na usina nuclear, mas o Kremlin negou dizendo que faz parte da desinformação contra o país.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU (NHK)

Uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU foi realizada após o bombardeio da Rússia em uma área da maior usina nuclear da Europa no sudeste da Ucrânia.

Publicidade

Muitos países ocidentais acusaram a Rússia de ameaçar a segurança dos civis em toda a Europa, porém o embaixador russo Vassily Nebenzia alegou que “foram os operadores ucranianos que incendiaram a instalação” e criticou os Estados Unidos por solicitarem essa reunião de emergência.

“Tudo isso faz parte de uma campanha sem precedentes e de desinformação contra a Rússia“, alegou Nebenzia.

A reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU foi realizada na manhã de sexta-feira e depois da 1h30 de sábado (5), horário Tóquio, a pedido dos países membros da Europa e dos Estados Unidos.

Entre eles, a embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Linda Thomas-Greenfield, acusou que “o ataque da Rússia é incrivelmente imprudente e perigoso” e pediu a retirada imediata do seu exército da Ucrânia.

Embora o bombardeio não tenha causado consequências no nível de radioatividade, causou temor de uma nova catástrofe nuclear.

TerroRussia, chamou o representante da Ucrânia

Sergiy Kyslytsya, representante da Ucrânia, na reunião (Ukrinform)

O representante da Ucrânia na ONU, Sergiy Kyslytsya, fez um apelo durante a reunião. “Já é dever comum da comunidade internacional deter assassinos e terroristas russos. Pare fechando os céus sobre a Ucrânia. Pare apoiando a Ucrânia em termos de segurança e assistência humanitária. Pare expulsando os russos das instituições internacionais, pois eles não merecem estar entre nações civilizadas e responsáveis”, enfatizou.

“A Rússia nem tenta escondê-los. Áreas residenciais de cidades e vilas ucranianas em todo o país estão sendo arruinadas por bombas, e mísseis russos. Civis pacíficos estão sendo mortos, infraestrutura crítica totalmente danificada. Ainda ontem, ataques aéreos russos mataram 47 moradores pacíficos da cidade de Chernihiv, incluindo crianças. Mas não é suficiente para a Rússia. Ou TerroRussia, como já podemos chamar”, observou Kyslytsya.

Putin diz que está aberto ao diálogo com Ucrânia, com exigências

Na sexta-feira, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, em conversa telefônica com o chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, o qual pediu o fim dos combates, disse que está “aberto ao diálogo com o lado ucraniano, bem como com todos aqueles que querem a paz na Ucrânia. Mas com a condição de que todas as exigências russas sejam atendidas“.

Essas exigências são a neutralização e desmilitarização, conforme conversa anterior com Emmanuel Macron, presidente da França.

Fontes: NHK e DW

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Empregos no Japão
ISA - Empregos no Japão
Uninter - JAPÃO - Educação a distância
UniFCV Japão - Educação a distância