Nova cepa de gripe suína é detectada em humano pela primeira vez

A Agência de Segurança de Saúde do Reino Unido está monitorando a situação de perto, mas atualmente não se sabe o quão transmissível é a cepa.

A pessoa foi diagnosticada com a infecção, a A(H1N2)v, como parte da vigilância nacional de rotina da influenza (ilustrativa/banco de imagens)

Uma nova cepa de gripe suína – similar a um vírus de influenza que atualmente está circulando em porcos – foi detectada em um humano no Reino Unido pela primeira vez.

Publicidade

A pessoa foi diagnosticada com a infecção – a influenza A(H1N2)v – como parte da vigilância nacional de rotina da influenza, após ir ao médico em North Yorkshire com dificuldades para respirar.

A pessoa envolvida não trabalhava com porcos e se recuperou totalmente. A fonte da infecção ainda é desconhecida e está sob investigação.

A UKHSA disse que está monitorando a situação de perto e tomando medidas para aumentar a vigilância dentro de programas existentes envolvendo hospitais.

Houve um total de 50 casos humanos de influenza A(H1N2)v reportados globalmente desde 2005, mas nenhum deles está relacionado geneticamente à nova cepa.

Os subtipos H1N1, H1N2 e H3N2 são os principais de vírus A da gripe suína em porcos e ocasionalmente infectam humanos.

Com base em informação anterior, a UKHSA disse que a cepa detectada no Reino Unido é diferente dos recentes casos humanos de H1N2 em outros lugares no mundo, mas é similar aos vírus em porcos no Reino Unido.

Meera Chand, diretor de incidentes na UKHA, disse: “Essa é a primeira vez que detectamos esse vírus em humanos no Reino Unido, embora ele seja muito similar a vírus que foi detectado em porcos”.

Criadores de porcos foram solicitados a reportarem quaisquer suspeitas de gripe suína em seus animais ao seus veterinários imediatamente.

Não se sabe até agora o quão transmissível é essa cepa ou se poderia haver outros casos no Reino Unido. Também é muito cedo para dizer se a cepa poderia ter potencial pandêmico.

A UKHSA notificou a Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre o mais recente caso.

Em 2009, houve uma pandemia em humanos causada pela cepa da influenza H1N1, comumente referida como gripe suína. Ela agora circula em humanos sazonalmente.

Fonte: News Sky

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Chiba combate população em aumento de veados-latidores, ultrapassando 70 mil

Publicado em 28 de novembro de 2023, em Sociedade

Esses animais, consideradas pestes, estão se tornando cada vez mais acostumados com a presença humana.

Os muntíacos estão se tornando cada vez mais acostumados com a presença humana (YouTube/FNN)

Moradores na província de Chiba têm uma grande peste em suas mãos, os muntíacos (cervos-latidores) uma espécie invasora da família dos cervos, que triplicaram em número nos últimos 10 anos após terem escapado de uma instalação abandonada.

Publicidade

Imagens registradas no jardim de uma residência na cidade de Ishumi, destacam um muntíaco curioso fungando e mostrando interesse na câmera.

Esses animais, consideradas pestes, estão se tornando cada vez mais acostumados com a presença humana.

“Ultimamente, um muntíaco vem dormindo na sombra de uma árvore ao lado da minha casa. Ele parece ter se instalado em nosso jardim e sempre está por aqui”, explicou um residente.

Originários da China e Taiwan, acredita-se que esses muntíacos tenham escapado de uma instalação fechada na cidade de Katsuura há 20 anos e desde então se proliferaram no sul de Chiba. A população desses animais continuou a crescer, chegando a cerca de 71,5 mil em 2022, aproximadamente 3 vezes o número na última década.

Um fazendeiro local na faixa dos 70 anos lamenta o impacto na agricultura. “Olhe isso, consumido por um muntíaco. Mesmo se berinjelas crescem bem, elas não podem ser mais vendidas”.

Os muntíacos causam danos a várias plantações, levando o Ministério do Meio Ambiente a designá-los como espécie invasiva específica. Entretanto, a familiaridade crescente de muntíacos com humanos em 2023 está exacerbando o problema.

Mesmo quando uma equipe de filmagem se aproxima de um muntíaco deitado no chão, ele não foge apesar de parecer estar em alerta e pronto para escapar. Esse comportamento se contrasta com sua reputação anterior como animais tímidos que fugiriam assim que avistassem humanos a distância.

O diretor do Centro de Pesquisa Médica de Animais da Ásia, o Dr. Machida, explica que, “A escassez de alimentos pode ter feito com que eles descessem para áreas residenciais, perdendo o medo de humanos. Se você encontrar um muntíaco na cidade, recomendo que não os toquem devido ao risco de doenças como raiva e infecções por carrapatos”.

Fonte: News on Japan

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
Banco do Brasil - faça remessas com segurança!
Estude NIHONGO com o Kumon!
UNINTER - Faculdade ONLINE no Japão!