O que o Japão tem a aprender com o Brasil sobre forma de trabalhar

Dois engenheiros de TI-tecnologia de informação falam da forma de trabalho no Brasil, demais países, e o que o Japão tem a aprender com eles.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Brasileiros e funcionários de outros países trabalham pensando nas férias (Pixabay)

Tanto se fala sobre reforma da forma de trabalhar no Japão e este tem sido um dos temas mais discutidos da atualidade.

Publicidade

Um press release da editora Gentosha para divulgação do lançamento de um livro, publicado na quinta-feira (22), em um site específico para isso, gerou uma grande repercussão.

O release fala sobre as experiências em relação à forma de trabalhar, de dois engenheiros de TI-tecnologia da informação, em diversos países, quando estiveram envolvidos em desenvolvimento de projetos.

Valorização das férias no Brasil

Em países como o Vietnã, Filipinas e Coreia do Sul, a impressão foi de que são relativamente próximos da maneira japonesa de trabalhar. No entanto, não trabalham nos feriados e não fazem horas extras, uma tendência global, apontam.

Um dos países que deixaram os dois admirados foi o Brasil. Segundo os comentários deles, “recentemente no Japão se fala sobre a reforma da forma de trabalhar. É um tema que faz gerar esforços para o governo e para as administrações locais, na tentativa de reduzir o expediente em feriados, por exemplo. Se no Brasil o povo ouvir isso pode ser até embaraçoso”.

Aí eles explicam que a legislação brasileira prevê 1 mês de férias para quem trabalhou durante 1 ano, e ainda são remuneradas. Também, a jornada semanal é limitada a 44 horas. Em relação às horas extras permitidas, de 1 a 2 por dia, são pagos 50% de adicional.

Na Europa

Os países europeus também são avançados em relação à forma de trabalhar. Na Alemanha o trabalhador pode gozar de 24 dias de férias remuneradas depois de trabalhar 6 meses.

Na França, depois de 1 ano de trabalho o funcionário tem direito a 5 semanas de férias remuneradas. Na Suécia está em teste a jornada de 6 horas diárias. Enquanto que na Holanda é óbvio trabalhar 4 dias da semana.

Trabalham para tirar férias

O país dos dois engenheiros tem a cultura dos trens pontuais e é famoso no mundo por isso. Mas a pontualidade se estende a outras áreas, como entrega dos projetos. O que eles relatam é que nos países onde as férias são longas os funcionários e empresas não se importam muito com os prazos de entrega dos projetos.

Nesses países não importa se os engenheiros são consultores, gerentes de projeto, usuários, enfim, todos tiram férias independente do cargo ou das funções. E nem se importam se o projeto vai atrasar.

Finalizam os comentários apontando que há vantagens e desvantagens no modo de trabalhar no exterior, mas que o Japão poderia considerar alguns fatores desses países para a tal reforma.

Afinal, os funcionários trabalham para gozar das merecidas férias, sempre com viagens.

Fonte: divulgação
Foto: Pixabay

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

+ lidas agora

> >

Vamos Comentar?

--

Creme para as mãos: os 10 mais vendidos no Japão

Publicado em 26 de fevereiro de 2018, em Dicas Especiais

Você hidrata as mãos sempre? Especialmente no outono-inverno as mãos ficam ressecadas. Veja o ranking dos mais vendidos no país. Bônus de 3 para usar o ano todo.

Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis! Poderia nos ajudar compartilhando esta página?
Obrigado pela sua opinião! Informaremos os responsáveis para melhorar! Volte sempre!

Época de reforçar os cuidados com as mãos: veja os 10 melhores + bônus (Pexels)

Durante o ano todo é recomendável usar creme para proteger as mãos que trabalham, lavam, usam detergentes e sabões. Tudo isso pode ressecar ou danificar a pele. Para ter mãos macias e hidratadas, independente do sexo, são apresentados abaixo os mais vendidos no começo de 2018.

Publicidade

Mas, de bônus segue também sugestões dos 3 cremes para serem usados durante todo o ano. Afinal, as mãos que acariciam precisam estar bem cuidadas!

Os melhores momentos para aplicar o creme são sempre depois de executar algum trabalho. Antes de passá-lo convém lavar bem as mãos. O ideal é aplicar também todas as noites, antes de dormir. Se estão demasiadamente ressecadas ou danificadas, convém aplicar várias vezes ao dia, até o desaparecimento dos sintomas.

Para aplicar, basta pegar uma quantidade que possa ser espalhada pelas palmas e costas das mãos e massagear os dedos, as cutículas e toda a extensão da pele até os punhos.

10 cremes para as mãos mais vendidos no Japão no começo do ano

10 – Creme medicinal da Avène

A famosa marca das águas termais Avène tem esse creme medicinal para tratar da pele ressecada ou danificada pelos estímulos externos. Além de proteger as mãos, à medida que vai usando a pele vai ficando hidratada e resistente. Contém ingredientes de óleo essenciais naturais e cera de abelha, o que promove alto efeito hidratante. O tubo com 102g custa em torno de 1,3 mil ienes.

9 – Mentholatum

Este creme medicinal da fabricante Rohto contém vitaminas B2 e E, os quais melhoram a circulação do sangue para manter a pele saudável. Como ingrediente hidratante, o creme tem colágeno vegetal do extrato de cenoura. Para eficiência basta massagear as mãos e pulsos para sentir os efeitos imediatos. Além disso tem um efeito relaxante com o aroma cítrico. O ideal é massagear até que o aroma de laranja desapareça. Logo vai sentir o efeito. O frasco contém 145g e o fabricante sugere o preço de 1,4 mil ienes.

8 – Atrix Extra Protection

É um creme bastante popular, queridinho das donas de casa que manipulam água o dia todo. É medicinal, contém queratina que protege as mãos dos estímulos externos. Voltado para quem tem rachaduras e vermelhidões na pele, pois tem ação hidratante com a vitamina E e ácido hialurônico. Restaura rapidamente a pele danificada e é recomendado para quem não gosta de cheiros pois é livre de fragrância. O tubo com 70g custa em torno de 700 ienes.

7 – L’Occitane

É o carro chefe dessa fabricante famosa no mundo todo. E a fama justifica: tem 20% de manteiga de karité, um super ingrediente hidratante. O item mais vendido da L’Occitane é amado em todo o mundo, o qual deixa as mãos bem macias e hidratadas. Toda a família pode usá-lo e tem um aroma agradável, bem típico da marca. No Japão tem alta popularidade entre as mulheres. O tubo com 30g custa em torno de mil ienes.

6 – Urea, da Shiseido

Este é um creme medicinal que recupera até as piores situações das mãos ásperas. Tem 10% de ureia mais ácido hialurônico, o que faz devolver a maciez rapidamente. Indicado também para calcanhares e joelhos ásperos e profundamente ressecados, para aplicação local. O creme é livre de fragrância. O pote de 100g custa em torno de 700 e é recomendado pelo seu custo x benefício.

5 – Neutrogena

Famoso nos 40 países onde é comercializado, a fórmula é da Noruega, com 99% de glicerina. Este creme foi desenvolvido especialmente para ajudar os pescadores noruegueses que trabalham em ambientes altamente agressivos. Os resultados são considerados excelentes, por isso, prova-se que as pesquisas para seu desenvolvimento são eficazes. Como o creme penetra nas camadas mais profundas, a promoção da recuperação é rápida, devolvendo a hidratação e maciez para a pele. Os usuários contam que passam a noite antes de dormir e no dia seguinte a pele está recuperada. Ele não tem cor e tampouco fragrância. O tubo tem 56g e custa em média 1,8 mil ienes.

4 – Pax

Creme para mãos com ingredientes naturais e excelente poder hidratante. Não usa nada de corantes, conservantes ou surfactantes sintéticos. A combinação do óleo essencial de rose hip com trealose tornam um creme hidratante fácil da pele se familiarizar. Ele devolve a suavidade e a umidade natural da pele. Tem um aroma de fruta cítrica – laranja – o que faz dividir a preferência, mas é suave e refrescante. Só tem um detalhe: não é recomendado para quem tem eczema atópico. O tubo com 50g custa em torno de 500 a 700 ienes.

3 – More Deep

Outro da Shiseido, este também é à base de ureia, enriquecido com xilitol e vitamina E. Um combate a aspereza da pele, o outro devolve a maciez e outro previne o ressecamento. Altamente recomendado por usuários que trabalham com as mãos, em condições agressivas, como água quente, ao ar livre, etc. Contém pó de massagem para que possa promover a circulação do sangue massageando as mãos. Não deixa a mão com sensação grudenta. O pote contém 100g e custa na faixa de 700 ienes.

2 – Locobase Repair

Este creme é altamente recomendado para quem tem mãos excessivamente secas e também calcanhar, joelhos e cotovelos. É um hidratante que combina ceramida com ácido oleico, ácido palmítico, etc. Além de promover a recuperação, tem um longo efeito hidratante. Cobre firmemente a pele para protegê-la, inclusive da água. Como tem agente de baixa irritação, não tem adição de fragrância e muito menos corantes, é recomendado inclusive para o aplicações tópicas no rosto e até na pele do bebê. O tubo com 30g custa entre 1,6 a 1,9 mil ienes.

1 – Yuskin A

Não é à toa que é campeão de vendas. Por causa de seus 4 princípios ativos é excelente para lesões provocadas pela exposição ao frio, vermelhidão, rachadura e aspereza. Vitamina E, ácido glicirrízico (tem propriedades antiinflamatórias, antialergênicas e descongestionante), cânfora dl e glicerina, mais ácido hialurônico e vitamina C, fazem deste creme um excelente recuperador da pele danificada no inverno, não só das mãos, como dos pés e regiões secas do corpo. Tem cheiro de medicamento na hora que se passa na pele, mas logo desaparece. É indicado para mãos e pés de crianças a idosos, imprescindível no inverno. O pote com 120g custa em torno de 700 ienes.

Bônus: cremes para usar o ano todo

Para manter a pele das mãos e as cutículas sempre hidratadas e macias, convém usar creme diariamente. Os mais recomendados para o uso frequente, para levar na bolsa ou mochila e passar durante o trabalho, são os 3 listados abaixo. Afinal, as rugas das mãos denunciam a idade.

Creme para as mãos de uso diário

Coen Rich Q10

Este creme é famoso tanto entre os japoneses quanto entre os turistas estrangeiros. É um creme medicinal que previne inclusive o envelhecimento das mãos, pela ação do ácido hialurônico e ceramida, além da coenzima Q10. O de embalagem vermelha atua nas camadas mais profundas, devolvendo a maciez para as mãos e cutículas. Ele hidrata profundamente, por isso, pode ser usado o ano todo.

A linha completa tem o de cor pink, que é em gel e leve perfume, o pérola que é um extra protetor, o roxo que é recomendado para ser usado a noite e o laranja que ajuda a tirar mancha com o efeito whitening ou clareador, de tirar manchas. Todos vêm em tubo de 80g e custam na faixa de 500 ienes.

Vaseline

É um tradicional que toda a família, desde o bebê, pode usar. É um excelente protetor da pele contra o ressecamento e evita a formação de rugosidades. O pote contém 368g e custa em torno de 700 ienes.

Curél

Da fabricante Kao, este também é um creme tradicional para evitar ressecamento, por isso, pode ser usado o ano todo. É medicamentoso, composto de ceramida, óleo essencial de eucalipto e vitamina E. Não deixa aquela sensação de melado ou oleosidade e protege a pele o ano todo. O tubo contém 50g e custa em torno de 1,5 mil ienes.

Se gostou, compartilhe com seus amigos.

Mãos masculinas também merecem cuidados

Fontes: My Best, Amazon e fabricantes
Fotos: Amazon e fabricantes

.
Passagens Aereas para o Brasil
Casa Própria no Japão
Produtos Brasileiros no Japão
Empregos no Japão - Konishi Sangyo
Fujiarte - Empregos no Japão
FUJIARTE - Empregos no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
Apartamentos para alugar no Japão
ISA - Empregos no Japão
UniFCV Japão - Educação a distância
Uninter - JAPÃO - Educação a distância